Missao one-post para Enzo - A videira

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Missao one-post para Enzo - A videira

Mensagem por Convidad em Sex Mar 01, 2013 5:41 am

O Sr D. estava preocupado. Uma videira mágica estava crescendo ao sul do Canadá. As uvas dessa videira podem deixar os deuses e monstros mais fortes, mas pode ser fatal para os mortais e semideuses. Agora o problema é que os monstros haviam encontrado a tal videira e Dioniso precisava que alguem fosse derrotá-los e destruir a videira e ele já sabia quem ele iria chamar.

Regras:
-Diga que o Sr. D te chamou na hora do café da manha e lhe pediu que voce fosse atras da videira
-Argos te levará até o aeroporto e lhe dará as passagens.
-Encontre a videira ao sul de uma grande cidade canadense.
-Dez dracaenae estarão rodeando a videira, mate-as.
-Um lestrigão sentirá o cheiro das uvas e virá atrás delas, lute com ele.
-Arrume um jeito de destruir a videira e volte pro acampamento.
-Boa sorte!

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missao one-post para Enzo - A videira

Mensagem por Convidad em Sex Mar 01, 2013 12:59 pm


Meu plano era tomar um café da manhã sossegado e de preferência sozinho, mas não aconteceu assim por que meu pai me chamou antes. Enquanto eu passava pela frente da Casa Grande ele me chamou e eu atendi. Subi as escadas da Casa Grande e ele me olhou com um pequeno sorriso e disse:
-Filho, tem uma videira mágica que nasceu numa cidade do Canadá, preciso que vá até lá e destrua essa erva por que ela é perigosa nas mãos erradas.
-Pode deixar. Parto agora?-Disse colocando a mão na barriga por que estava com fome. O meu pai percebeu e disse:
-Sim, parte agora, Argos te levará ao aeroporto e lhe entregará as passagens para Toronto. A videira esta ao Sul de Toronto, você sentira ela quando estiver perto. Tome isso para matar sua fome.-Então Dionísio me entregou um pedaço de pão, mas quando eu comi senti gostos totalmente diferentes, os melhores que já provei.

Passei no chalé de Afrodite, as meninas acordavam e se arrumavam para o dia, mas eu preparava minhas armas. Coloquei a minha aljava nas costas, embainhei a minha espada insana entre minhas costas e minha aljava. Coloquei um cinto com minhas adagas presas e deixei meu bracelete com um diamante já no meu pulso esquerdo. Coloquei em uma mochila água e minha capa de invisibilidade e parti.

Assim que estava fora do acampamento, Argos me esperava pronto para me levar ao aeroporto. A viagem foi quieta e curta, logo estava com a passagem na mão e embarcando. Pensei sobre os meus inimigos da viagem e onde estaria a videira. Quando pousamos e senti o friozinho que fazia, percebi estar em Toronto. Por sorte usava uma calça jeans escura e uma camisa de manga longa azul. Na mesma hora eu comecei a caminhar e me vi num ponto de ônibus. Entrei no primeiro ônibus que ia para o Sul, ainda bem que falava e lia francês e por sorte ele aceitou dólares, o pouco que tinha.

O ônibus me levou ao sul, para fora da cidade. De repente senti algo diferente, primeiro um calafrio ao ver uma mulher serpente atravessar a rua do nada e ninguém perceber, talvez eles tenham visto apenas uma mulher com pressa, mas eu sabia o que ela queria. Depois eu senti o poder de meu pai irradiar, o cheiro de uvas frescas e até mesmo um calor diferente, só sentido quando Dionísio esta por perto. Dei ordem para o ônibus parar e ele estacionou, desci e agradeci e logo me cobri com a capa da invisibilidade.

Não andei muito para ver o que acontecia. Ao lado da estrada estava uma das florestas típicas do Canadá, com pinheiros e arvoredos de folhas finas como agulhas. Por entre elas crescia uma videira verde viva e suas folhas eram vistosas e de verde brilhoso. As uvas eram magníficas, até eu sentia vontade de comer e a fragrância era incomparável. O problema que várias mulheres cobra, as dracaenae, rodeavam a videira e analisavam a planta, uma delas até segurava uma das frutas.

Meu arco se materializou na minha mão e eu me posicionei ao lado de uma das árvores. Agachei e coloquei uma flecha Febe na corda, ela tinha um brilho poderoso, o poder da Lua estava concentrado nela e ela percorreria a distância em alta velocidade. Disparei e a dracaenae que segurava uma uva virou pó como impacto e a energia fria congelou o tronco de outra dracaenae.

Todas as híbridas sibilaram e praguejaram, suas línguas chicoteavam no ar e elas acabaram me achando rapidamente. Minha mão pegou uma nova flecha e soltei, ela explodiu em calor como o Sol e mais uma delas virou pó. Depois eu atirei algumas flechas perfurantes e duas mais dracaenae caíram, mas as que sobraram logo se aproximaram. Uma delas sibilou e atacou e eu desviei e rolei no chão. Depois eu tirei minha adaga de fogo e cortei o ar, projetando um corte de fogo que fez poeira da dracaenae mais próxima.

Andei para trás e as outras quatro me cercavam, recuperaram suas lanças e escudo e eu estava apenas com minha adaga de fogo nas mãos. Para minha sorte, uma briga de ursos pardos acontecia não muito longe. Usei minha benção de Hécate e concentrei nos animais que logo pararam de brigar entre si e avançaram contra as dracaenaes. O urso desfez uma das serpentes com uma mordida no pescoço, mas outra acertou a lança no animal o fazendo cair morto.

Senti raiva na hora e desembainhei minha outra adaga e avancei. Ela tentou me espetar com sua lança, mas eu desviei a rota do golpe com a face da adaga de gelo e deixei o frio ser transmitido pelo cabo da arma, forçando ela a soltar. A mulher cobra sibilou, mas eu nem dei chance dela pensar, atirei a adaga de fogo que mais parecia uma bola de fogo que explodiu a dracaenae. Olhei ao redor e o outro urso estava encarando a última serpente. Eu peguei meu arco novamente e atirei uma flecha de Atlas, e o impacto de um soco de duas toneladas a fez gritar e se esvair.

O urso que sobrou fugiu quando eu liberte-o de seu controle e eu também ajoelhei para rezar pelo urso morto. Cortei lhe a cabeça e com minha adaga de fogo queimei o corpo, joguei a crânio nas chams e dediquei a Hécate a morte desse animal que me ajudou e minha vitória. Depois disso eu me aproximei da videira, ela para eu destruir a planta e eu planejava cortar o caule com minha adaga, mas um barulho de galho quebrando me chamou atenção.

Virei rápido e um lestrigão estava a uns dez metros de mim. Segurava um machado nas mãos e suas tatuagens negras eram horrendas, todas de mortes absurdas de humanos na mão de monstros. Levantei e desembainhei minha espada insana e meu escudo Phanton já se desdobrou. O lestrigão se quer perdeu tempo e já veio atacando com seu machado levantado. Eu desviei de seu golpe que veio em vertical e cortei na cintura dele com minha espada. Achei que seria um golpe sem defesa, mas ele afastou o golpe com um soco no meu ombro.

Depois de me socar o lestrigão tentou me espetar com uma das lanças que as dracaenae deixaram e eu aparei o golpe com meu escudo, ataquei com a borda laminada e cortei o peito do lestrigão. Tentei aproveitar sua fragilidade momentânea para cortar ele com minha espada, mas ele me desarmou com um golpe da face do machado e a espada foi para longe.

Afastei-me levando a mão na minha aljava, sabia que uma flecha poderia me dar alguma vantagem na batalha. Atirei seguidamente duas flechas de Oceano, elas acertaram o lestrigão com uma explosão de água, mas o principal foi que agora o campo estava com poças grandes nele. Quando o lestrigão caiu dentro de uma delas eu solidifiquei a água, ela congelou e endureceu como gelo eu me armei de minha espada de novo.

Quando monstro com dificuldade quebrou o gelo, literalmente, eu já estava perto o suficiente para errar meu golpe. Dei um corte na altura do pescoço do lestrigão que além de causar um sangramento, a espada causou uma dor torturante o fazendo se contorcer de dor. Depois descrevi um arco de cima para baixo e cortei o lestrigão no peito, onde uma tatuagem de leão comia um homem.

Depois de lutar com o monstro e ganhar, caminhei até a videira, não sabia se qualquer espada poderia cortar a videira, mas fiz a escolha mais lógica que era usar a lâmina que meu próprio pai fez. A espada ao cortar a videira, senti um cheiro ótimo, de vinho fresco e me senti bem, minhas energias voltarem e minha missão acabou. Fui para o aeroporto e consegui entrar em um voo para os Estados Unidos com meu dom de convencer os outros, dizendo que me perdi de meu pai na hora do embarque.

Cheguei ao acampamento e a primeira coisa que fiz foi ir contar ao meu pai meu sucesso.



♦ Capa da Invisibilidade - Permite aos filhos da Morte ficarem invisíveis. [ By: Thanatos ]

♦ Escudo Laminado da Morte - Escudo feito totalmente em ouro negro imperial, com uma caveira em diamante branco em seu centro, e ao olhar para esta o usuário se sente com medo. O escudo é redondo, tendo o tamanho um pouco maior que a circunferência da roda de um caminhão, possuindo lâminas de diamante branco em seu redor. Possui lâminas em forma de losango com a parte frontal com maior tamanho e largura, com seu centro de ouro imperial negro, e as bordas, ou fio da Lâmina, de diamante branco, que corta aço como papel e pode aguentar até mil socos de um centímano. Ao olhar nos olhos da caveira, o oponente pode ter uma visão do submundo, enquanto ele paga seus pecados, dura dois turnos, e dependendo do nível do usuário até mais. Se torna um bracelete negro com um diamante branco cravado. [ By: Thanatos ]>>>Phanton.

Arco da noite: Arco de ouro negro decorado com fios de ouro celestial. A corda do arco e feita de prata divina e ele aparece magicamente nas mãos. [by: Ártemis]

Aljava do Caçador de Titãs: Aljava tem flechas com poderes dos titãs, uma flecha ao acertar congela(Crios), outra perfura com facilidade qualquer defesa(Japeto, o Perfurador), outra queima e libera uma luz parecida coma do Sol(Hiperion), outra flecha a encostar produz um impacto como um soco de duas toneladas(Atlas), Uma flecha ela ao acertar libera uma fragância que retarda tudo a sua volta(Cronos), uma das flechas libera uma onda de água no inimigo(Oceano), outra produz um feixe de luz que cega todos que olharem(Téia), outra flecha é feita de pura energia lunar, provocando uma explosão gélida( Febe) e para encerrar uma das flechas, depois de mirar um inimigo, persegue ele até o atingir, podendo seguir por dez minutos.(Mnemosine) Infinitas as flechas. [by: Ártemis]

-Adaga de fogo [Presente do papai Dio ^^]

-Adaga de gelo [Presente do papai Dio ^^]

*Espada insana - Ao desferir um corte no oponente com essa espada, lhe causará uma tontura muito forte caso ele seja mais forte que você e se ele for mais fraco, causará um distúrbio mental que o impedirá de te atacar. [Dura dois turnos] [By: Papis Dio ^^]

Poderes Usados.

Código:
ΨSolidificação - Neste Nível o Guerreiro de Atlântida poderá mudar a Água de estado Liquido para Sólido,podendo atacar inimigos

♥Fluência em francês: Desde cedo sabe falar francês, mesmo sem ter aprendido diretamente.

Benção de Hécate para seu Afilhado, que as feras não lhe façam mal algum e que tu tenhas dominio sobre todo monstro que voa, rasteja ou se ergue do chão, que come carne humana e destroi a vida.



Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missao one-post para Enzo - A videira

Mensagem por Convidad em Sex Mar 01, 2013 1:22 pm

Bem, algumas coisas aconteceram bem rápido na sua missão, mas você teve uma boa narração, uma boa criatividade e eu gostei de não ver tantos erros de digitação e ortografia na missão, apesar de ter alguns.

Você conseguiu:

5 níveis e 560 dracmas (Máximo 6 níveis)

E mais:

Benção de Dioniso - Uma vez por treino ou três vezes por missão, você pode se transformar em um leopardo forte e que atinge uma velocidade de 200km/h [Dura três turnos]

Atualizado


Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missao one-post para Enzo - A videira

Mensagem por Convidad em Seg Mar 18, 2013 12:43 pm

Tártaro

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missao one-post para Enzo - A videira

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum