Missão One-Post para Louis Clement - Salve a mamãe

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Missão One-Post para Louis Clement - Salve a mamãe

Mensagem por Convidad em Seg Fev 04, 2013 3:47 pm

Era uma noite normal no Acampamento meio-sangue, o jovem semideus Louis estava com seus irmãos envolta da fogueira, cantando variadas músicas. De repente o fogo aumentou, se transformando em um homem, vestindo uma capa preta cintilante, o deus olhou para o garoto e começou a falar:

- Olá Louis Clement, venho observando sua habilidades, então decidi testa-lo. Um grupo de cinco dos mais perigosos Ciclopes da terra sequestrou sua mãe. Sua missão será ir até a frança, na Torre Eiffel até as quatro horas da tarde de amanhã. Senão a morte chegará até ela.


Código:
1 - Primeiro narre a conversa com a Morte.

2 - Em seguida se prepare para uma grande batalha e arrume um jeito de ir até a França.

3 - Quando chegar ao local marcado sua mãe estará cercada de  vinte ciclopes, derrote-os e pegue sua mãe.

4 - Assim que pegar sua mãe os líderes da gangue aparecerão a lutarão com você. Novamente os vença.

5 - Depois que terminar leve sua mãe até a casa dela e volte ao Acampamento meio-sangue.


Última edição por Lord Thanatos em Qua Fev 06, 2013 11:47 am, editado 1 vez(es)

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão One-Post para Louis Clement - Salve a mamãe

Mensagem por Convidad em Qua Fev 06, 2013 11:31 am

[OFF: Eu vou por a noite, porque no livro a fogueira sempre acontecia a noite.Colocar durante a tarde fica sem sentido]

Naquela noite, o chalé de Apolo inteiro se preparava para a cantoria costumeira das noites de verão, em volta da fogueira. Eu peguei um violão da sala de música no subsolo do chalé e algumas cifras para tocar. Minha irmã pediu que eu fizesse um solo de “I’m yours” no lugar dela, pois ela estava rouca.

Quando deu a hora de irmos para a fogueira, levei meu violão e as cifras. Todo o acampamento já estava reunido em volta dela para nossa reunião de sempre. Havia um local para eu colocar os papéis com as cifras e um banquinho pra eu me sentar enquanto tocava o violão.

Quíron deu alguns recados para os semideuses ali presentes e olhou pra mim, me liberando pra cantar, dei o primeiro acorde na música e comecei a cantar. Mas minha canção foi interrompida antes da segunda estrofe. O fogo da fogueira começou a aumentar subitamente e todos se afastaram, até que ele tomou a forma de um homem com uma capa preta, cintilante e que me fez ter calafrios. Era Thânatos, o deus da morte.

- Olá Louis Clement, venho observando suas habilidades, então decidi testá-lo. Um grupo de cinco dos mais perigosos Ciclopes da terra sequestrou sua mãe. Sua missão será ir até a frança, na Torre Eiffel até às quatro horas da tarde de amanhã. Senão a morte chegará até ela.

Eu fiquei com raiva, com medo, preocupado... Uma mistura dos piores sentimentos possíveis.

-Por que fez isso? – Eu disse, jogando o violão para o lado.
-Eu já lhe disse semideus, quero testá-lo.
-Mas precisava pegar minha mãe? – Indaguei, revoltado.

Thânatos não respondeu, apenas murmurou “Torre Eiffel, até às quatro horas” e desapareceu no fogo, que voltou ao seu estado normal. Olhei para Quíron, ele estava sem palavras. Deixei uma lágrima escorrer de meus olhos e saí correndo para o chalé de Apolo.

Maria veio atrás de mim, me segurou pelo braço e pediu que eu não fosse.

-Maria, é minha mãe, tenho que fazer isso.

Ela me lançou um olhar triste e me deu um beijo rápido. “Boa sorte, meu príncipe”, foi o que ela disse. Entrei dentro do meu chalé e fui atrás de armas e tudo o que eu pudesse pegar pra enfrentar ciclopes perigosos. Eu não poderia levar armas enormes dentro de uma mochila, então escolhi as melhores: Minha espada venenosa, que ganhei de Macária, minha espada de ouro negro, que ganhei de meu senhor Chronos e minha armadura do espaço-tempo, que ganhei por me tornar um senhor do tempo. Também coloquei minha aljava com meu arco nas costas e meu escudo dourado (em forma de relógio), ganhados quando fui reclamado por Apolo.

Agora eu estava pronto para ir para a Torre Eiffel enfrentar todos os ciclopes, precisava arranjar um jeito de sair de Long Island e ir até Paris, antes das quatro da tarde do outro dia. Eu não poderia ir voando, pois demoraria muito, não poderia ir em Sprite, pois o cansaria, mas poderia usar o Jumper e me teletransportar até lá. Ciente de que isso poderia atrair mais monstros, porém eu faria qualquer coisa pela minha mãe. Fui até meu quarto e peguei uma foto da Torre Eiffel que minha irmã me mandou como um cartão postal dizendo como estava a vida por lá, depois peguei uma foto da colina meio-sangue que uma de minhas irmãs me deu.

Despedi-me dos meus irmãos e irmãs e de Maria. Fui novamente até a fogueira e respirei fundo, fechei os olhos e me concentrei no “Champ de Mars”, lugar aonde eu sempre ia quando pequeno durante a semana. Então dei um salto e senti uma pressão na boca do estômago e um frio estranho, um calafrio me percorreu a espinha e... Não sei descrever qual foi a sensação quando senti o chão abaixo dos meus pés.
Abri os olhos e me senti aliviado, eu havia chegado ao meu destino. Mas minha missão estava apenas começando, olhei a minha volta, a procura dos tais ciclopes que Thânatos mencionou, eu imaginava que seriam apenas uns dois ciclopes, de modo que já estou acostumado a enfrentar na arena do acampamento, mas quando olhei para trás e vi um monte de figuras horrendas formando uma roda em volta de algo, eu quis voltar para o acampamento na mesma hora.

Eu precisava afastá-los de lá, provocá-los, fazer alguma coisa. Coloquei minhas mãos uma a frente da outra e concentrei a maior quantidade de ar que eu pude, eu podia ouvir o barulho do vento se concentrando no espaço entre as minhas mãos, um dos ciclopes provavelmente sentiu meu cheiro e se virou pra ver o que era, neste instante e por impulso, lancei a esfera que se formou na minha mão em direção dele. O projétil foi com tanta força que jogou o ciclope longe e afastou todos os outros, então pude ver minha mãe desacordada, amarrada a algo que parecia um pilar que fora colocado ali por segurança pelos mortais.

O ciclope que foi jogado longe se chocou contra a Torre Eiffel e torci para que não tivesse amassado parte da estrutura de um dos monumentos mais famosos do mundo e o motivo pela França ser tão conhecida. Todos os ciclopes olharam com raiva para mim e tentaram pular em cima de mim, eles eram realmente gigantes, mais que os ciclopes normais. Então dei um salto e fui parar a dez metros de altura, depois subi mais cinco metros e me mantive no ar, os ciclopes ainda assim pareciam os maiores gigantes do mundo. Peguei meu arco e armei duas flechas nele, mirei contra o ciclope que me pareceu mais tonto e digno de morrer mais rápido. Encantei as duas flechas e a lancei contra o ciclope, as armas foram perseguindo o monstro até acertar sua cabeça e suas costas, paralisando-o. Isso só deixou os outros ciclopes com mais raiva ainda e começaram a pular o mais alto que podiam, subi mais um pouco no ar. O ciclope que fora flechado morreu, se desfazendo em pó. Talvez porque a força da flecha tenha feito com que a ponta dela penetrasse seu corpo, o envenenando.

Agora me restavam 19 ciclopes, 18 se considerar o ciclope que estava desacordado abaixo da torre. Bem, armei mais uma flecha no arco e lancei na direção dele, acertando a barriga do monstro, obviamente era o que faltava pra ele morrer, agora sim me restavam 18 ciclopes.
Armei mais duas flechas no meu arco e as encantei mais uma vez, agora para que elas zunissem de modo muito alto e incomodassem os ciclopes. Eu já estava começando a me cansar de encantamentos e de ficar controlando o ar para voar. Lancei as flechas gritantes contra o ciclope que me pareceu mais ansioso pra pegar meu corpo e servir como prato principal junto de minha mãe no jantar dos ciclopes. Uma flecha acertou o olho dele, a outra acertou sua testa e ele caiu no chão, desmaiado. Os outros ciclopes foram cambaleando para trás quando ouviram o barulho da flecha gritante.

Agora estava fácil, essa missão não seria tão horrível quanto pensei, afinal. O que eu tinha que fazer agora era descer e desembainhar minhas espadas. Dito e feito. Avancei na direção do ciclope mais próximo e desferi um corte nele com minha espada de ouro negro, logo fiz o mesmo com mais dos ciclopes que vieram tentar me atacar juntos, porém cambaleantes. Abri meus braços quando os dois estavam bem perto e desferi um corte em cada um, um foi ferido pela espada de ouro negro e outro pela espada venenosa. Ambos caíram no chão, o que sofreu o corte venenoso se desfez em pó. Mais dois tentaram me atacar, mas modifiquei a luz para ficar invisível e desferi um corte nas costas de um e mais um na barriga do outro ciclope, ambos com minha espada venenosa.

Quando todos os ciclopes estavam paralisados pela dor causada pela espada de ouro negro, desferi cortes com a minha espada venenosa em seus corpos, fazendo-os se desfazer em pó. Olhei a minha volta para conferir se todos os ciclopes estavam mortos. Minha mãe agora estava acordada e com uma cara de pavor.

-Calma mãe, não foi nada! – Eu disse, arfante.

Aproximei-me de onde ela estava amarrada e vi que não era uma corda normal e sim uma espécie de corda de ferro. Então peguei minha espada de ouro negro, que era a mais afiada e cortei a corda, demorando cerca de 5 minutos até que minha mãe estivesse sã e salva no chão.

-Vem, mãe! Vamos chamar um táxi e vamos pro apartamento, você precisa tomar um chá – Eu disse. Ela
assentiu, com um olhar preocupado.

-Muito bem, semideus, você completou a missão – Ouvi a voz de Thânatos atrás de mim, respirei aliviado.

-Obrigado e... – Quando me virei, não era Thânatos e sim ciclopes. Mais cinco daqueles monstrões, mas estes com mais cara de maus e me pareceram serem mais fortes. Eu já estava muito cansado pra fazer o que fiz com os outros ciclopes.

-Mãe, pegue um táxi! Vá para o apartamento, prometo que eu volto.

Ela saiu correndo na medida do possível, sabe-se lá quanto tempo ela havia ficado sem comer e amarrada por aquelas cordas. Minha mãe não era do tipo “Oh, eu só vou se você for”, se eu falo pra ela fazer algo, ela faz (quando se relaciona com algo do tipo estar sequestrada e prestes a ser atacada por ciclopes malignos).

Embainhei minhas duas espadas e bati palmas para os ciclopes, o som foi estridente, alto, irritante, indescritivelmente ruim. Os ciclopes atrás do ciclope do meio ficaram surdos e começaram a correr de um lado para o outro, trombando uns com os outros. O que parecia ser o líder deles tapou os ouvidos e sorriu com aqueles dentes horríveis para mim.

-Você se acha espertinho demais. – Ele disse
-Eu SOU espertinho demais - Provoquei

O ciclope avançou na minha direção. Peguei as luzes da cidade e formei uma barreira a minha frente, bloqueando a passagem do ciclope, esta era a grande vantagem de batalhar na “cidade-luz” durante a noite, fui avançando até a barreira empurrar todos os ciclopes por uns três metros.Como a luz não era solar, a barreira ficou meio apagada e frágil, mas serviu até que não aguentei mais segurá-la.

O monstro avançou na minha direção, coloquei as mãos a frente do corpo e fiz uma rajada de vento empurrar ele para o lado, dois dos ciclopes se livraram de seu distúrbio mental e avançaram na minha direção. Usei o ar para empurrá-los pra trás, logo mais dois ciclopes vieram atrás de mim cerrei meus punhos e fiz o vento dar um soco neles. Mas eu não poderia ficar só naquilo, tinha que fazer alguma coisa.
Comecei a entoar uma canção para todos os ciclopes, era uma canção calma, lenta... Como os ciclopes estavam meio tontos, não conseguiram tampar os ouvidos e acabaram adormecendo. Eu tinha pouco tempo até que eles acordassem, cerca de cinco minutos. Usei fortes rajadas de vento para afastar os grupos de ciclopes adormecidos até o mesmo lugar. Agora eu estava extremamente cansado.

Eu ainda tinha forças pra usar mais um poder. Concentrei toda a minha energia em minhas mãos, tudo o que pude. Até formar a maior esfera que já formei em toda a minha vida, toda roxa e que fazia uns barulhos estranhos. Lancei-a na direção do amontoado de ciclopes, cinco ciclopes adormecidos foram atingidos pela esfera. Uma luz tomou conta do Champ de Mars e fechei meus olhos. Quando os abri, não havia mais nenhum monstro lá... Tudo estava acabado e algumas árvores, um banco e um pouco de grama haviam sumido.

Minha visão ficou turva e embaçada, tudo foi escurecendo até que eu caí de joelhos no chão. Quando acordei, eu estava na minha cama, em casa. O ventilador do teto do meu quarto girava rapidamente e havia bolsas de gelo pelo meu corpo todo.
Minha irmã estava do meu lado, sorrindo, os cabelos loiros dela e os seus lindos olhos azuis eram a melhor coisa que pude ver naquele momento.

-Oi, Nicolle – Eu disse, com uma voz fraca.
-Oi, Louis – Ela respondeu, com sua voz doce – Está melhor?
-O que houve?
-Mamãe não pegou um táxi quando você pediu, ela ficou te esperando e quando você desmaiou... Ela te trouxe pra cá. Você precisa ir antes que Pierre chegue, ele vai estranhar o fato de você não estar no acampamento de verão.

Levantei-me com muita dor, eu tentaria ficar voando com Fanta até que me sentisse bem o bastante pra voltar pro acampamento. Fui até a varanda e assobiei para o dragão, em um minuto ele estava na frente da varanda. Voei e pousei no “lombo” dele.

-Tenho que ir, até logo, irmã.
-Até logo, maninho semideus... – Ela respondeu, distante.

O dia já havia amanhecido, deviam ser umas nove da manhã em Paris, pela posição em que se encontrava o sol. Ordenei que Fanta desse voltas ao redor da cidade, até que eu conseguisse usar o Jumper pra voltar pro acampamento. Pensando nisso, lembrei-me do que eu havia feito pra chegar até Paris, havia usado o Jumper e esse poder deixa um rastro que...

Não pude completar meu pensamento, uma harpia apareceu voando na frente de Fanta. O dragão soltou baforadas de fogo nela, fazendo-a descer queimando e voltar normalmente para cima, já que ela era imune ao fogo.

Peguei meu arco e armei uma flecha nele, mirei no peito da harpia e encantei a flecha, lancei-a. A flecha perseguiu o monstro até acertá-lo bem no alvo, penetrou em seu corpo e fez ela se desfazer em pó. O encantamento me cansou mais ainda.

Continuei voando com Fanta durante uma hora, nenhum monstro apareceu. Ordenei que Fanta pousasse em um bairro chique de Paris, eu já estava pronto pra usar o Jumper.
Concentrei-me na imagem da colina meio-sangue e dei um salto. Novamente aquela sensação esquisita percorreu meu corpo e em alguns segundos que pareceram eternos, eu estava caído de cara em algum lugar. Depois de alguns minutos, abri meus olhos e levantei a cabeça, reconhecendo que era a colina meio-sangue. Fechei mais uma vez meus olhos e esperei que alguém me visse do lado do pinheiro de Thalia. Mas fiquei com medo de mais monstros e usei a pouca força que tinha para atravessar a fronteira do acampamento e aí sim fechei meus olhos.

Pelo menos, apesar de chegar quase morto no acampamento, mais uma missão de semideus foi completada e minha família estava a salvo. Acabei adormecendo, em meus sonhos, Thânatos apareceu em sua capa preta cintilante.

-Muito bem semideus, provou suas habilidades... – Ele disse, sombrio.

Depois, desapareceu...

Armas:
♠ Espada Venenosa - Uma espada feita de prata e ferro estígio. Emana uma Aura venenosa que corrói e mata o oponente, se for monstro, em no máximo 15 segundos. Em semideuses a sua aura deixa eles em estado de coma e febres muito altas. Só pode ser usada por LOUIS. Caso contrário, alma é absorvida pela espada e vai até Macária. INDESTRUTÍVEL. [By: Mac]
-☼ Arco e Flechas do sol iluminado - Um arco muito forte e poderoso, podendo ser empunhado apenas pelos filhos de Apolo, este arco faz as flechas que forem lançadas, que quando atingem o inimigo, começa a queimar sua ponta, assim fazendo a ponta da tal derreter, e caso a flecha esteja dentro do inimigo isto é meio que fatal. [By: Apolo] (Item Obrigatório)
-☼ Escudo de ouro imperial - Um escudo de ouro imperial muito lindo, que tem meio que um formato de um sol, e umas lâminas a margem, este escudo fica mais forte na luz do sol, assim podendo defender, com mais precisão. Vira um relógio dourado [By: Apolo] (Item Obrigatório)

Espada de Ouro Negro - possui um núcleo de energia primordial que causa uma explosão de dor no local atingido e uma rodada depois paralisa o local. (by Chronos)
Poderes:
Perícia com o arco - Nível 13: Aprenderá a atirar duas flechas com o arco, ao invés de uma por vez.
Explosão Sônica - [Nível 30] - Esta onda sonora criada, é tão intensa que poderá causar distúrbios mentais nos oponentes atingidos.
Tiro Certeiro - Nível 30: Sua flecha seguirá sempre até o alvo, até que o acerte.
Disparo Sônico - Nível 22: Sua flecha pode destruir monstros ao redor pelo alto barulho provocado.
Canto do sono - Nível 29: Sua melodia pode deixar ocasionar o sono nas pessoas, por 5 minutos.
Luminocinese - [Nível 15] - Controla totalmente a Luz, podendo solidificar ela e torná-la como se fosse o material mais resistente do universo.. Pode ficar invisível mudando a luminosidade do local e criar ilusões perfeitas. Além de poder transformar trevas em luz.. Ou seja, é possível fazer qualquer coisa com a luz.
Nível 30- Voo perfeito- Agora os filhos de Éolo podem voar com naturalidade.
Nível 35- Afastar III- Agora pode afastar o que quiser. ( Somente três vezes Por missão). (Afastei dois ataques dos ciclopes e depois juntei eles)
Nível 12- Soco de vento- Você pode envolver os punhos e uma grande quantidade de ar e aplicar um golpe bem mais forte.
Jumper - Você pode se teleportar para qualquer lugar no mundo, desde que tenha uma imagem dele, tanto em fotografia quanto em memória. Ao olhar a imagem você também pode ver como se estivesse lá, deixa um rastro de energia.
Nível 26
• Esfera Temporal Avançado – Cria uma esfera gigantesca e pode arremessá-la, ao tocar no alvo o desintegra rapidamente. (uma vez por missão)


Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão One-Post para Louis Clement - Salve a mamãe

Mensagem por Convidad em Qua Fev 06, 2013 11:54 am

Avaliação >> Houve alguns pequenos erros de ortografia, mas nada importante. Apenas sugiro que solte um espaço depois do hífen de uma fala, só para ficar mais organizado. No mais sua missão ficou muito boa.

3 Níveis >> 500 Dracmas

Atualizado


Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão One-Post para Louis Clement - Salve a mamãe

Mensagem por Convidad em Seg Mar 18, 2013 12:35 pm

Movido para o Tártaro

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão One-Post para Louis Clement - Salve a mamãe

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum