Missão One-Post Para Gwen Tommien

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Missão One-Post Para Gwen Tommien

Mensagem por Convidad em Sex Dez 28, 2012 8:40 am


Aragogue ataca novamente

Missão de Gwen Tommien || Luta || Floresta



Era uma tarde comum na vida de Gwen Tommiem, filha de Eros, mas como sempre havia problemas no Acampamento, Gwen estava caminhando solitariamente na floresta do acampamento quando se deparou com uma enorme aranha, mandada por Ananque para matar os filhos de Atena, mas o destino mudou, e fez com que Gwen fosse até a floresta e encontrasse o monstro, mesmo estando assustada a brava semideusa não recuou e enfrentou a fera.

Código:
Pontos obrigatórios:

1 - Narre como estava indo seu passeio na floresta até se deparar com o monstro.

2 - Descreva o momento que encontrou o monstro e como era ele.

3 - Lute com ele e vença.

4 - Depois de matar o monstro receba a visita de Anaque, que irá falar que se vingará de você, mas não atacará voce por enquanto.

5 - Volte para o acampamento da maneira que quiser.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão One-Post Para Gwen Tommien

Mensagem por Gwen Tommien em Sab Dez 29, 2012 12:23 pm

Aquele meu all-star alado tendia a desamarrar. Agora, eu estava com um pé sobre o toco, amarrando meu cadarço. Meus cabelos ruivos caiam em cascata ao lado do meu rosto, enquanto eu tinha a cabeça abaixada. Minha mochila lilás estava pousada no solo ao meu lado, contendo todos os meus itens que não estavam em meu corpo. O meu colar de prata divino estava sempre em meu pescoço, com o símbolo de Eros. No meu pulso pendiam a pulseira de ouro com três pingentes e meu bracelete escudo. No meu dedo indicador estava meu anel de prata com uma safira e eu usava a minha jaqueta de couro, que fez muito efeito pelo frio que fazia no momento.

- Que caramba... – Disse com raiva. As asinhas haviam começado a bater e me desconcentraram. Terminei de amarrá-los e peguei minha mochila, seguindo a trilha para floresta.

- Pela estrada a fora eu vou bem sozinha levar essas armas pra matar monstrinhos... Lálálálá! – Canto dando risadas. No meio de um dos versos, ouço um som estranho e sinto um cheiro doce. Viro um pouco minha cabeça para trás, atenta. Alguns galhos são quebrados e então um guincho fino vem do meio das árvores.

- Meus deuses... – Uma aranha enorme surge do meio dos galhos. Enorme eu quero dizer quase do tamanho de um gigante. Suas pernas peludas distribuídas em oito se mexiam lentamente, como que preparando para o bote, enquanto suas pinças batiam ameaçadoramente. Engoli em seco e comecei a recuar.

- Muito bem irmã. Sua missão é caçar filhos de Atena, nos vingar... Mais uma garotinha indefesa assim vai ser um bom petisco. – Uma voz do meio das árvores disse as palavras. Tentei localizar o novo inimigo, mais já não estava em lugar nenhum. Transformei meu anel em arco e tirei de lá uma Flecha de Luz, encaixando-a e puxando o cordel.

Quando eu soltei, a besta havia acabado de pular. Eu tinha mirado em seu emaranhado de olhos e fechado os meus próprios. A explosão ocorreu em poucos milésimos. O monstro urrou de dor por causa do bronze celestial e de ódio por estar cega momentaneamente. Aproveitei e ataquei. Minha jaqueta foi se expandido e se tornando minha armadura dourada, as asas se abriram e eu alcei voo.

A aranha estava caindo em cima de mim, mais eu não parei. Era um caindo e outro subindo. Levei minha mão na mochila e tirei minha adaga dionisíaca. Suas pernas se agitavam logo acima de mim e então, eu só vi uma massa negra. Bati com impacto no seu corpo aracnídeo e comecei a ser empurrada para baixo. O vendo da queda estava me açoitando e naquele momento apenas alguns metros nos separavam de uma morte esmagada. Peguei a adaga e a enfiei em sua barriga, liberando todo o veneno.

Ela começou a se contorcer e guinchar de dor. Eu não teria muitas chances de escapar, apenas uma. Ativei as asinhas do all-star e comecei a ser puxada para frente, se esfregando em todo seu corpo, inclusive sua “saída de escape”. Quando cheguei ao ar livro, abri as asas da armadura novamente.

O monstro caiu com impacto no solo, que tremeu. Ela ainda se contorcia com a dor do veneno, mais sua visão já estava voltando ao normal. Preparei minhas asas e comecei a soltar penas totalmente afiadas. Elas começaram a acertar as costas do aracnídeo, que guinchava de dor a cada ‘penada’. Elas formaram um mosaico estranho em suas costas empapadas de sangue, quase que um labirinto. Ela estava tentando se voltar para cima, girando para os lados, mais a cada movimento que ela fizesse, a dor do veneno ardia mais.

- NÃO! – Gritou a voz novamente, visto que sua irmã estava prestes a morrer. Uma aura negra ficou envolta de aranha, que começou a recuperar seus poderes.

- Ei! Isso não é justo! – Mais não pude reclamar por muito tempo. Uma teia voou em minha direção, se prendendo em minha armadura. Ela se levantou e começou a lançar outras, prendendo meus braços.

- AHHHHH! ME SOLTA! – Gritei exasperada, tentando me mover no ar. Suas teias se prendiam nas árvores e depois em mim, proibindo-me de todos os movimentos. Ela pulou e foi parar em cima de mim e tudo pareceu balançar. Tentei me mover novamente, sair voando, mais as minhas asas estavam presas, bem como as do all-star. Eu estava começando a entrar em desespero, sua cabeça agora estava logo acima de mim e a pinça estalava desagradavelmente. Ela fez um som de presunção e preparou para me picar, mais parou no ato.

O vento girava em torno de mim, criando um escudo imune a esse tipo de ataque. Sorri fracamente e comecei a pensar em minhas possibilidades. Meus braços estavam esmagados e eu não conseguira levar as mãos a minha mochila. Suspirei. A coisa ainda tentava me picar, agora nervosa, mais a benção ainda fazia efeito. Então, uma ideia surgiu em minha cabeça.
Fiz que surgisse meu escudo a partir do bracelete e ele estufou as teias que prendiam meu braço esquerdo. Na mão direta, fiz surgir à espada rosa. Logo com sua lâmina afiada, as teias foram cortadas. A aranha não pareceu perceber nada, ainda tentava me mordeu com aquelas pinças nojentas, todos os seus olhos estavam virados para o escudo de vento que começava a ficar gradativamente mais fraco.

Quando meu braço da espada ficou livre, preparei para um ataque desesperado. Subi a espada e realizei um corte em vertical.

- CUIDADO! – O grito de seu amigo sombrio foi tarde demais. A espada entrou em contato com os pelos de sua perna, realizando um corte e decapitando-a. Ela fez um barulho estranho de dor e pendeu em diagonal, agora que perdera um de seus apoios. Aproveitei esse momento e comecei a cortar as outras teias. Um minuto e eu estava livre. A benção agora já não era forte, então abri as asas e me libertei por completo, antes de me afastar, chutei a criatura na cabeça e ela caiu novamente na terra, criando agora uma cratera.

Realizando um giro no ar, tentei pensar com clareza. Eu tinha que fazer com que aquele ‘amigo’ dela estivesse ocupado. Peguei uma flecha de luz e esperei, ele com certeza falaria alguma coisa agora que ela tinha perdido uma de suas pernas. Não estava enganada.

- Vamos garota, levante. Você vai nos vingar! – Apontei para a direção de sua voz e lancei, fechando os olhos. Não sabia se eu tinha acertado, mais a explosão foi forte o suficiente para cega-lo. Ele gritou com raiva e sorri.
Dessa vez agora eu não utilizaria meu arco, ou adaga ou espada. Eu tinha uma arma forte e queria usá-la. Tirei da mochila um chicote de três pontas, que brilhavam com eletricidade. Ainda dava para ouvir os berros do homem que ajudava a aranha, cego e também os guinchos dela. Lancei meu passo para trás e o chicote estalou no ar, depois o lancei para frente. Ele se enroscou cada ponta em três de suas pernas.

- Toma isso! – Falei, rindo maleficamente quando o choque percorreu todo o seu corpo. Seu urro de dor foi intenso, e o urro de seu irmão também foi horrível. Parecia que sua ceguisse estava passando. Soltei o chicote novamente e comecei a açoita-la. A cada pontada de eletricidade ela dava um berro e perdia mais o controle de si mesma, ficando mais fraca. Ataquei-a mais uma vez e guardei o chicote novamente.

- Agora vai ser o seu fim, coisa asquerosa. Pelo Rony! – Tirei três flechas de bronze celestial envenenadas da mochila, já transformando meu anel em arco. Encaixei-as no cordel e puxei, mirando em pontos vitais. O seu coração, os olhos e o coração de novo. Sorri.

- NÃÃÃÃÃÕ! – O homem gritou. Agora eu conseguia ouvir as movimentações de que ele estava correndo até nós, mais já era tarde. As flechas saíram em um voo rápido acertando todos os pontos que eu predefini. O último guincho da criatura não durou muito depois que ela virou pó.

Desci, planando pelo céu. Quando pousei no solo, o impacto foi surdo. Ao longe, um homem surgiu. Observando suas características, percebe que eu o conhecia, mais seu nome...

- Você! Sua filha nojenta de Eros! – Ele veio em minha direção apontando um dedo nodoso para mim. Seus trejeitos aracnídeos eram visíveis.

- Olha quem fala. Faz quanto tempo você não toma um bom banho? – Disse franzindo o nariz. Seu cheiro era horrível. Abri um sorriso sínico.

- Eu te matarei... – Ele sussurrou, tremendo de ódio. – Sim, mais não agora... – Ele continuou falando, agora olhando pro chão como se fosse louco, falando mais para si mesmo.

- Tente. E eu acho que você deveria largar os filhos de Atena de lado, se não seu destino será bem ruim. – Desafiei-o, fazendo minha espada rosa aparecer. A lâmina brilho perigosamente com a luz solar.

- Poupe-me tolinha. Quando você menos esperar, eu vou estar lá. – Ele disse, ainda tremendo com ódio. Eu poderia ver a ameaça por traz de toda aquela loucura. Estremeci. – Agora, que você apodreça no tártaro.

E ele desapareceu. Não vi como nem quando, estranho. Suspirei mais aliviada. Eu estava suja com resquícios de teia de aranha. Meu cheiro estava fortemente adocicado, fazendo meu estomago revirar. Fiz a espada voltar ser o pingente e sai voando, atravessando toda a floresta assim.

- Chega de monstros... – Sussurrei.

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

Gwen Tommien
Senhora do Tempo || Guardiã de Éter || Prole de Eros
@thanks
avatar
Gwen Tommien
Filhos de Eros
Filhos de Eros

Mensagens : 164
Data de inscrição : 24/12/2012
Idade : 20
Localização : Acampamento Meio-Sangue

Ficha do personagem
Level: 65
Energia:
750/750  (750/750)
HP:
750/750  (750/750)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão One-Post Para Gwen Tommien

Mensagem por Convidad em Sab Dez 29, 2012 2:36 pm


Avaliação da missão

Missão de Gwen Tommien || Luta || Floresta



Estas serão sua recompensas:

- 350 Exp

- 200 Dracmas


Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão One-Post Para Gwen Tommien

Mensagem por Convidad em Seg Mar 18, 2013 12:59 pm

Tártaro

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão One-Post Para Gwen Tommien

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum