Ficha de personagem de August

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ficha de personagem de August

Mensagem por August N. Evins em Qui Jun 19, 2014 2:58 pm

Nome: August Norvalho Evins x Idade: 14 anos x Progenitor Mortal: Thomas N. Evins x Progenitor Divino: Perséfone x Nascido: Nova York

Descreva como você é, física e psicologicamente:
Fisicamente: Um menino magro, mas que possui um pouco de massa muscular normal de um jovem de 14 anos, olhos "grandes" e pele clara, cabelos escuros, depende de seu ponto de vista no sol.
Psicologicamente: Bipolar, não sabe o que gosta e o que não gosta. Tudo para ele é na brincadeira ou serio de mais.




Conte sua história, narrando desde sua infância até sua chegada ao Acampamento:

Já fazia mais de 1.500 anos desde a transferência do Olimpo para os Estados Unidos, os deuses menores foram os primeiros a fazer contato intimo com os mortais, depois os deuses Olimpianos, alguns anos depois surgiu o acampamento meio-sangue o lugar para jovens especias. Hoje irei narrar a história do jovem August que aos seus 14 anos descobriu sua verdadeira origem e veio morar aqui no acampamento, meu nome é Quíron e essa é mais um episodio de "Jovens Semideuses"


- Corta! Ótima filmagem Quíron.

- Obrigado meu jovem Grove. Vou beber um gole de água e voltamos a gravar.

~ Cinco minutos depois ~

A alguns anos atrás, especificamente no ano de 1999 um homem Nova-iorquino se apaixonou loucamente por uma donzela que ele encontrou na primavera em um restaurante chique. Esta moça ela só podia sair de sua casa poucas vezes em sua vida e esta é uma das vezes, seu nome é Perséfone, para alguns conhecida como a deusa das plantas e lady do submundo, para outros uma impressionante filha de Zeus que por azar teve que casar com seu irmão Hades.

A jovem se aproxima da mesa onde estava o rapaz chamado de Thomas, mas para os amigos mais íntimos Tom, ela sorri para o rapaz sua beleza o deixa no mesmo instante nostalgiado e seduzido completamente, todavia, esse atração não era um feitiço lançado pela deusa e nada disso, alguns humanos são mais sensíveis a presença dos deuses e isso causa amor a primeira vista. Ela pergunta se pode se sentar ao lado dele, ele um tanto bobo responde que sim. Eles passam horas e horas conversando como se fossem melhores amigos a mais de mil anos.

Na mesma noite o rapaz em uma tacada de sorte levou a donzela a seu quarto alugado onde se deleitou de um banquete carnal com a mesma, nessa orgia humana a deusa acabou concebendo uma criança. Na mesma noite a deusa explicou ao homem tudo sobre o que havia ocorrido. Primeiramente ele riu, mas quando percebeu que ela não estava brincando e que sua barriga já apresentava uma gestação elevada de 7 ou 9 meses ele desmaia.
Quando o rapaz acorda ele encontra uma linda cesta feita de vinhas entrelaçadas com rosas vermelhas e dentro um lindo bebe. Assim nasceu o pequeno August.

- Tio Quíron! Tio Quíron!

- Corta! Corta! O que você quer Pietro?

- O meu pai não deixa eu brincar com os dragões.

- Diga ao seu pai que eu deixei, leve Anne com você ela vai lhe ajudar.

- Obrigado tio.

Onde paramos mesmo? Ah sim, a criança nasceu saudável e linda seu pai pensou varias e varias vezes em joga-la no lixo, mas um sentimento de culpa o tomava conta então sempre desistia todas as vezes.
Em Janeiro de 2002 ele começou sua carreira escolar, mas era uma criança muito diferente das outras, possuía um déficit de atenção e uma dislexia grave, que prejudicava o seu desempenho na escola, aos 10 anos entrou para o colégio militar e fui uma completa ruína, todos os dias levava surras de seus colegas valentões, quando o menino saiu dela seus gostos haviam mudado ele estava um tanto "bipolar".

Seu pai notava que ele gostava de coisa tanto masculinas quanto feminina, quando chegou aos seus 13 anos suas duvidas de sua origem era frequentes e não deu mais para seu querido pai esconder a verdade. Em uma tarde de primavera ele contou tudo sobre sua mãe, de onde ela veio e que ele era um semideus. Demorou um ano para seu pai descobrir um modo de manter o jovem seguro, nesse longo ano a vida do menino foi tribulada por ataque de seres "diferentes" como na mitologia grega, cães infernais, Harpias etc.

Quando chegou o tão esperado dia o menino se sentia vibrando de emoção ao encontrar jovens como ele.

- Entre ai pequeno August.

- Oi tio Quíron, obrigado por me receber aqui hoje é uma honra.

- Não foi nada meu pequeno, agora me conte como esta sendo sua estadia aqui?

- Cara, tipo assim eu conheci diversas pessoas legais, irmãos e irmãs que me apoião do jeito que sou, não liga se sou feio, bonito, gordo, magro, hetero ou homo e cada uma aceita uns aos outros como são e isso é muito bom.

- E a arena você já conheceu? Já lutou com algum monstro?

- Sim, eu já visitei a arena, contudo, ainda não tive a audácia de lutar.

- Bem você tocou em um assunto anterior mente muito bom, você já conheceu alguém aqui que já se apaixonou?

O menino sorri.

- Ah tio Quíron isso é história para contar depois, agora eu tenho que ir...

- Então isso é tudo.

~ As câmeras param de gravar e todos vão embora ~
avatar
August N. Evins
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 2
Data de inscrição : 19/06/2014

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de personagem de August

Mensagem por Circe em Qui Jun 19, 2014 6:03 pm

Bem, eu praticamente ignorei as partes do reality show e fui direto para a história... Ficou até que legal a ideia do reality show, mas com ela você não conseguiu atender tudo que buscamos no teste. Narre mais sobre as emoções do personagem e a mudança para o Acampamento, como foi que ele chegou lá? Refaça sua história, a parte do seu pai junto com a Perséfone está boa, no entanto o resto precisa ser mais desenvolvido. Tente de novo e boa sorte ^^

Reprovado

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------



Circe
"Gostosuras ou travessuras?"
avatar
Circe
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 109
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de personagem de August

Mensagem por August N. Evins em Qui Jun 19, 2014 7:07 pm

Nome: August Norvalho Evins
Idade: 16 anos
Progenitor Mortal: Thomas N. Evins
Progenitor Divino: Perséfone
Nascido: Nova York

Descreva como você é, física e psicologicamente:
Fisicamente: Um menino magro, mas que possui um pouco de massa muscular normal de um jovem de 14 anos, olhos "grandes" e pele clara, cabelos escuros, depende de seu ponto de vista no sol.
Psicologicamente: Bipolar, não sabe o que gosta e o que não gosta. Tudo para ele é na brincadeira ou serio de mais.


Conte sua história, narrando desde sua infância até sua chegada ao Acampamento:

Meu nome é August tenho 14 anos, sou do signo de Capricórnio, minha carreira escolar é lotada de mudanças, faltas e notas vermelhas. Tudo isso por conta do meu déficit de atenção e de minha dislexia grave. Mal podia me concentrar nas aulas e tudo mais. No intervalo os colegas das series acima da minha sempre vinha tirar brincadeiras comigo e eu, na maioria das vezes, ia parar na secretaria como o culpado de tudo.

Minha mãe “morreu” muito nova, eu era apenas um bebe quando isso ocorreu, e meu pai me culpa por isso e ainda diz que se nunca  tivesse me gerado ela ainda estaria com ele e blá blá blá. Eu nem ligo mais pra isso ele que se ferre bonitinho!

Uma tarde estava eu e meus amigos tomando cerveja em um bar na esquina de casa, quando o meu pai veio todo se achando o top na balada puxar meus cabelos e me arrastar para casa. Como seu eu fosse criança, eu já tenho 14 anos vou fazer 15 já sou quase um homem feito e ele me trata como um verme? Isso me deixe completamente furioso.

Chegando em casa me deparo com uma pilha de louça suja a minha espera, resto de caixas de pizzas, cerveja, sacos de salgadinhos e tocas aquelas porcarias industrializadas jogadas aos meus pés, ele olhou para mim e deu um sorriso maligno e disse:

- Junte cada uma dessas coisas, quando acabar pode vadiar seu vagabundo.

Meu coração se comprimiu e o ódio tomou conta cada vez mais de meu coração, em silêncio chorei e limpei cada sujeira do lugar, lavei a louça e deixei a casa um brinco. Em seguida segui a cozinha, enquanto ele estava no banheiro, peguei uma cadeira e coloquei no trinco da porta depois voltei a cozinha e procurei nos utensílios de limpeza álcool e fosforo. Derramei metade o pote de álcool sobre o sofá e um pouco em cima da cama do quarto do banheiro em seguida ateie fogo.

A casa foi consumida por todo o fogo em alguns segundos, eu já não era mais aquela criancinha tola que ele achava e acabou se lascando com isso.

Alguns anos apos a morte de meu pai minha vida mudou completamente, agora com 16 anos tudo parecia tomar consciência das coisas, meu arrependimento de ter causado a morte de meu pai vinha todas as vezes que chegava aquelas datas comemorativas tão importantes como, Dia dos pais, Pascoa, Natal etc. Certa tarde estava tomando um café na esquina junto com uma amiga minha, Charllote, e estávamos conversando sobre assuntos foras de nexos. E eu me desliguei um momento enquanto ela falava para prestar atenção em uma coisa que eu vi passar bem rápido, de inicio pensei que era apenas minha imaginação brincando comigo, todavia, isso foi tirado de letra quando uma vendaval fez as cadeiras e mesas se afastar para os lados, Charllote começou a gritar sobre ta ocorrendo um ciclone ou algo do tipo. Para mim aquilo não era ciclone nem aqui nem na china era uma enorme ave voando e batendo as asas em alta velocidade, esfreguei meus olhos pensando ser coisa da minha cabeça, mas não era a coisa voou em minha direção em uma rasga-mortalha por sorte não me feri, com reflexos rápidos me abaixei e ela passou zumbindo em minhas costas.

Meu coração batia freneticamente, tipo como se fosse sair pela minha boca, a ave voltou a contra atacar a mim novamente eu não sabia o que fazer olhei para Charllorte e a vi encolhida de baixo da bancada de olhos fechados esperando o impacto do ciclone.

- Corre Charlly, corre.

Foi a unica coisa que consegui dizer para minha amiga antes da ave acertar a  mesa onde ela tava e a jogar a vinte metros longe de mim, seu corpo bateu contra um hidrante. Eu estava em pânico não sabia mais o que fazer, minhas mãos tremiam como bambu verde.
Isso foi meio louco, só o que eu tinha para me protejer ela uma colher de chá, uma cadeira e uma mesa com a perna quebrada.

Joguei a colher nele, tipo pensei que ia da certo, ele comeu a colher como se fosse de papel e voou em minha direção, usei a cadeira para me defender do golpe que seria certeiro. Pobre cadeira virou uma pilha de lixo e eu ganhei um ematoma no ombro.
Só me sobrou a perna da mesa, ele voa novamente tentando me beliscar com seu bico, giro a perna como um cajado. Eu me senti o Matrix naquele momento eu consegui girar o cajado 360º e fincar ele no estômago da gigante ave, depois desviei e ele voou para cima e desceu em uma rasga mortalha, não sei se foi minha imaginação, meu eu vi surgir na ponta do "cajado" uma chama negra que foi na direção da ave gigante a chama tocou nas asas do bicho que entrou em combustão no mesmo instante. Eu olhava para o Grifo depois para o cajada, para minha mão e para Charlly  e depois "puff" cai no chão desmaiado.

Quando acordei estava cercado de gente que eu nunca tinha visto antes, era uma menina loira dos olhos azuis, outra de pele negra e olhos verdes, um menino de um olho só, pera um menino de um olho só? Eu esfreguei meu olho e percebi que eu não estava mais na esquininha do café e nem mais vestido com minha roupa costumeira.

- Onde estou - Perguntei um tanto desnorteado.

- Olá August. - Disse uma voz vinda de trás das crianças. Ou eu tava realmente doido ou tinha morrido ou sei lá mais o que, a voz que eu ouvi era de um homem metade cavalo e metade homem. Só não desmaiei de novo por que uma menininha me segurou.

- Eu sou Quíron o munitor do acampamento e você meu jovem tem muito a aprender sobre aqui, sabe aquele bicho que você lutou?

- Fiz que sim com a cabeça. - Era um Grifo e poderia ter lhe matado, por sorte um de seus dons foram acionadas, no entanto ele ainda não pode definir quem é seu pai ou sua mãe.

Pai, mãe? Que arrumação é essa?

- Meu pai morreu e minha mãe também, meu pai eu o matei.

- Então sua mãe deve estar muito triste com você.

- Minha mãe morreu! Você não sabe nada sobre isso.

O cavalo que se chamava Quíron galopou um pouco e me disse com uma voz calma.

- Eu sei muito mais do que você pensa meu jovem August. Você é um semideus, filho de uma deusa com um deus, depois de sua luta com o grifo seu lado humano foi afetado por isso desmaiou, sorte a sua que uma patrulha de sátiros estavam passando na hora e presenciou tudo  e lhe socorreu. Agora descanse.

Quando ele falou descanse eu desmaie na hora.

Em meu sonho havia uma linda mulher que dizia ser minha mãe, ela tinha cabelos negros e uma pele linda, sua pele era clara como se ela só pegasse sol uma vez na vida e olhe lá, ela estava sentada mexendo com algumas rosas e sorri para mim.
- Meu pequeno vou lhe contar uma história: A alguns anos atrás, especificamente no ano de 1999 um homem Nova-iorquino se apaixonou loucamente por uma donzela que ele encontrou na primavera em um restaurante chique. Esta moça ela só podia sair de sua casa poucas vezes em sua vida e esta é uma das vezes, seu nome é Perséfone, para alguns conhecida como a deusa das plantas e lady do submundo, para outros uma impressionante filha de Zeus que por azar teve que casar com seu irmão Hades.

A jovem se aproxima da mesa onde estava o rapaz chamado de Thomas, mas para os amigos mais íntimos Tom, ela sorri para o rapaz sua beleza o deixa no mesmo instante nostalgiado e seduzido completamente, todavia, esse atração não era um feitiço lançado pela deusa e nada disso, alguns humanos são mais sensíveis a presença dos deuses e isso causa amor a primeira vista. Ela pergunta se pode se sentar ao lado dele, ele um tanto bobo responde que sim. Eles passam horas e horas conversando como se fossem melhores amigos a mais de mil anos.

Na mesma noite o rapaz em uma tacada de sorte levou a donzela a seu quarto alugado onde se deleitou de um banquete carnal com a mesma, nessa orgia humana a deusa acabou concebendo uma criança. Na mesma noite a deusa explicou ao homem tudo sobre o que havia ocorrido. Primeiramente ele riu, mas quando percebeu que ela não estava brincando e que sua barriga já apresentava uma gestação elevada de 7 ou 9 meses ele desmaia.

Quando o rapaz acorda ele encontra uma linda cesta feita de vinhas entrelaçadas com rosas vermelhas e dentro um lindo bebe. Assim nasceu você meu pequeno August.
Quando  a mulher parou de contar a história eu acordei tremendo e na minha cabeceira havia uma rosa vermelha como as do sonho.

Habilidade usada:
Nível 1 :
Perícia com cajados (e) ou arco e flecha. Tem facilidade para manusear um cajado, e o utilizam muito bem. São bons com arco e flecha, mas não tanto quantos os filhos de Apolo, ou as caçadoras de Ártemis. Com o cajado nesse nível, os filhos de Perséfone podem lançar chamas negras mais difíceis de se extinguir do que o normal.
avatar
August N. Evins
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 2
Data de inscrição : 19/06/2014

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de personagem de August

Mensagem por Circe em Sex Jun 20, 2014 8:58 pm

Sua história está... Bem, só uma dica, narrar no presente não dá muito certo para você. Quando estiver escrevendo uma história a releia do ponto de vista do leitor que não conhece suas intenções e não do seu ponto de vista.


Reprovado

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------



Circe
"Gostosuras ou travessuras?"
avatar
Circe
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 109
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de personagem de August

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum