Ficha de Reclamação

Página 8 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ficha de Reclamação

Mensagem por Narrador em Qua Dez 26, 2012 9:22 am

Relembrando a primeira mensagem :

Os semideuses que desejam ser reclamados devem postar sua Ficha de Reclamação NESTE tópico... Aqui vai a Ficha:


1) Nome:

2) Quer ser filho de qual deus? (3 grandes e Nyx requer teste especial)

3) Por que quer ser filho desse deus?

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.

5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).



Última edição por Narrador em Sex Dez 28, 2012 7:43 am, editado 1 vez(es)

Narrador
Mortos
Mortos

Mensagens : 141
Data de inscrição : 24/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Sex Mar 29, 2013 9:12 pm

Oliver, em sua história, a variação de tempo chegou a ser confusa e implicou ainda mais pela acentuação e concordância ortográfica.
Está aprovado somente pelo roteiro que sua história levou, mas tente baixar um corretor ortográfico, ou peça a alguém um link de um online.

Reclamado

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Lucas S. Granbry em Ter Abr 02, 2013 2:40 am


Lucas Stark Granbry

Ficha do Personagem


1) Nome:
Lucas Stark Granbry

2) Quer ser filho de qual deus? (3 grandes e Nyx requer teste especial)
Ares
3) Por que quer ser filho desse deus?

Pela sua vontade e um certo amor por guerras, lutas e mortes ( o que mais prefere), o desejo por sangue, sendo facilmente igualado ao seu pai, daria tudo pra honrar seu nome, dentro e fora de guerras, tornando seu pai o melhor.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.

Luke(Seu Apelido) é um tanto quanto perturbado, vive revivendo a noite em que sua mãe passou por aquela porta, e nunca mais voltou, o que o tortura, cada vez mais. Apesar de ser um filho de Ares, e adorar arrumar brigas com todo mundo do acampamento, é muito romântico quando deseja, recitando palavras sinceras e verdadeiras, não engana as pessoas e não possui medo de nada, se apaixona facilmente e se apega muito também facilmente, se machucando em futuros próximos.

5) Narre sua história.

Lucas era um garoto problematico na escola, quase todo dia ele ia a diretoria por causa de suas brigas com outro alunos,não se importava se
era suspenso ou expulso.O Garoto só gostava das brigas.
Um dia chamaram a mãe de Lucas na escola,o garoto tinha visto sua namorada com outro garoto,e o mesmo foi tomar satisfação,o garoto que estava com a namorada de Lucas deu um soco no rosto de Lucas.Lucas então passou a mão na região que ele tinha acertado o soco era perto de sua boca e tinha aberto um pequeno ferimento.Lucas limpou o sangue que estava saindo e foi em direção ao outro garoto, Lucas deu uma joelhada no estomago dele, depois uma cutuvelada em sua nuca.O Garoto caiu no chão desacordado.
Lucas no dia seguinte arrumou uma mala e fugiu de casa,em busca de um lugar para ficar, o garoto entra em uma floresta, lá o mesmo ouve uma voz em sua cabeça dizendo:
-{???}Filho meu, está indo na direção certa!Siga ao Norte...
Lucas não sabia o que era aquilo, talvez ele estivesse doido, mas decidiu seguir o caminho que a voz mandou.Horas depois, Lucas chega a um lugar, de longe poderia ser visto, era um tipo de Acampamento,mas então o garoto ouve alguma coisa ali perto, que saiu dos arbutos, era uma criatura estranha, era meio homem e meio touro,Lucas tinha estudado sobre aquelas criaturas, e chegou a conclusão de que era um Minotauro.
Lucas começa a correr em direção ao acampamento, e o Minatauro vinha logo atrás.
O Minotauro consegui-o fazer um corte no braço de Lucas, e o garoto desmaiou,depois de um tempo Lucas acorda em um tipo de enfermaria e olha para os lados para vê onde o Minotauro está, e vê seu melhor amigo lá.
-{Lucas}Pedro!Quanto tempo eu fiquei aqui?
-{Pedro}4 Dias
Lucas então se levantou e perguntou a Pedro o que era ali.
-{Pedro}Aqui é o Acampamento Meio-Sangue!
Lucas arregalou os olhos e saiu dali,avia algo lhe chamando,Lucas então andou até um tipo de chalé,então ouviu a voz novamente.
-{???}Aqui é sua nova Casa, Meu Filho...
Lucas ficou olhando sua nova "Casa" e adentrou o chalé.
Depois de alguns meses no Acampamento Lucas recebe o resultado do teste de reclamação, e seu Pai era Ares...
[/right]
This Sparrtaaaaaaaaaaaaaa!!!

@Thay




avatar
Lucas S. Granbry
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 20
Data de inscrição : 04/02/2013

Ficha do personagem
Level: 3
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
350/350  (350/350)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Ter Abr 02, 2013 12:57 pm

Reclamado.
Apesar de você repetir muito as palavra e de sua história ser um pouco tediosa resolvi aprovar a ficha porque acho que esses erros podem ser corrigidos futuramente.

- Atualizado -

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Kurt C. Ackles em Qua Abr 03, 2013 8:27 pm

1) Nome: Kurt Damon

2) Quer ser filho de qual deus? (3 grandes e Nyx requer teste especial) Tânatos

3) Por que quer ser filho desse deus? Adoro sua história de grandes lutas, habilidades e força

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.
Sua história é ótima, não saber quem é seu pai, sua luta com Hércules e ser a Personificação da Morte..

5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).
Nascido em Chicago, fui criado por minha mãe uma simples trabalhadora de uma empresa funerária, fundada pelo meu Avô, um ex coveiro que trabalhava no Cemitério Central de Chicago.
Durante anos me perguntei quem era meu pai, minha mãe diz que sou parecido com ele em vários aspectos desde físicos até personalidade como meus olhos cinzas ou não ficar realmente feliz em alguns momentos.
Como a empresa da minha família é pequena, sempre ajudei o máximo que pude desde rezando pela família ou carregando alguma coisa aqui ou ali, mas fazendo isso me perguntando o que seria a Morte, não morrer, mas sim como seria a própria morte, como sempre dizem ser um esqueleto usando um roupão que tapava seu rosto ou um simples homem que anda por ai matando quem quer apenas olhando ou tocando.
Até aquele dia, que estava indo para a escola normalmente com meu único amigo, não realmente amigo, apenas andava com ele, já que sempre que nós conversávamos, ele se afastava, como se tivesse medo de mim. Enquanto estávamos indo olhei para o lado e vi uma coisa cinza andando por ai, não a primeira vez, sempre que via essas coisas não comentava porque já estava ficando mais comum a cada dia e me chamariam de louco ou simplesmente não falariam comigo, só que dessa vez veio até mim, me olhando como se procurasse alguma coisa, até chega a me tocar e escuto sua voz gélida passando pelos meus ouvidos:

-Óh filho da Morte, me dê a passagem! Preciso ir, mas dizem que não posso!

Continuo andando simplesmente e a coisa cinza falando comigo sem parar sobre passar, mas para onde? Fico me perguntando isso várias vezes, mas não falo nada para ninguém, até que alguma coisa me puxa para baixo, não apenas uma, mas várias e depois uma voz:

-Preciso da sua ajuda filho.

Filho. Essa palavra ecoou em meus ouvidos e vejo um anjo, não exatamente um anjo, um homem com asas negras voando na minha frente, seus olhos cinzas me olhavam de um jeito gélido, faço um sim com minha cabeça e de repente chamas aparecem ao meu redor, me levando para um local que não reconheço, parecia uma casa comum, mas de um jeito mórbido, como um enterro, saio dali e falo com algumas pessoas, até descobrir o que realmente sou.
avatar
Kurt C. Ackles
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 55
Data de inscrição : 24/12/2012

Ficha do personagem
Level: 11
Energia:
200/200  (200/200)
HP:
200/200  (200/200)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Qua Abr 03, 2013 8:45 pm

Apesar de já saber como funciona e eu esperar mais de você, Reclamado Cria de Thânatos!
Atualizado

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Andrew Hembree em Sab Abr 06, 2013 7:52 am

1) Nome: Andrew Hembree
2) Quer ser filho de qual deus? Perséfone
3) Por que quer ser filho desse deus? Por que admiro sua história e o simbologismo por trás dela.
4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido. Sou uma pessoa equilibrada, assim como Perséfone representa, na minha opinião, o equilibrio entre o submundo e o mundo inferior. Também sou ligado com a natureza, uma das esferas de poder da deusa.
5) Narre sua história:
O que posso dizer sobre mim? Bom, nasci em Washington, onde sempre morei. Meu Pai era u único familiar que eu conhecia. Tirando o fato de que o trabalho o impossibilitava de me dar a atenção devida, afinal, a vida de um advogado não é fácil. Desde meus 3 anos a minha babá, Anna, se tornou uma mãe para mim.
Sempre que eu indagava meu Pai sobre o que teria acontecido com a minha mãe ele vinha com uma história absurda e epois ficava horas trancado em seu escritório. Com isso, decidi ignorar a existência de minha mãe.
Na escola meus problemas eram frequêntes. O THDA e a dislexia eram apenas alguns deles. Nunca tive muitos amigos, com excessão do Pablo. Ele era um garoto que andava de muletas devido à uma deficiência que eu nunca lembrava qual era, mesmo assim, era um bom amigo.
Em um belo dia de Primavera, quando voltávamos da escola, Pablo interrompeu nossa conversa, a alguns metros da minha casa, e ficou como se tivesse escutado algo depois ele "farejou" o ar, sim, ele fez isso. No primeiro momento não entendi nada, até que ele sussurrou algo que me deixou mais confuso ainda. Monstro.
Meu amigo começou a ir mais rápido e a dizer que precisávamos chegar em casa logo. Não entendi nada, mas sua expressão demonstrava preocupação. Corri para casa, a porta estava aberta e a cena que encontrei me deixou paralisado. Uma criatura, um misto de serpente e mulher segurava meu pai e minha babá, pelo pescoço, um em cada mão.
Eu não sabia o que fazer. Foi quando uma voz soou na minha cabeça: "Ataque meu filho, você consegue."
Jamais havia escutado essa voz, mesmo assim ela tinha um tom familiar, acolhedor. Olhei para o lado e peguei um cabo de vassoura que estava próximo e de uma forma até que habilidosa girei o objeto ao mesmo tempo que eu girava meu corpo e lhe atingi uma pancada certeira no lado da cabeça. A madeira se rompeu e o monstro, desorientado, soltou os dois.
Agora sim as coisas haviam piorado, o monstro desviou sua atenção e tentou me atacar. Corri para fora, assim que cruzei a porta me virei para ver se o monstro ainda vinha contra mim. A fera já estava próxima e agarrou meu pescoço, me levantando do chão. Achei que iria morrer, minha visão escureceu, minha respiração ficou lenta, nesse instante a pressão em meu pescoço sumiu. Caí no chão ofegante e tonto. Consegui, enfim, perceber que o monstro se contorcia no chão e com um grito extremamente alto, explodiu em uma núvem de pó, deixando apenas uma faca junto aos seus restos. Pablo se aproximou e pegou a faca do chão.
- Sempre, tenha uma faca de Bronze Celestial para emergências - disse me olhando. Em seguida me ajudou a levantar e fomos ver como estávam Anna e meu Pai.
Por um milagre eles ainda estávam vivos, apenas inconcientes. Sentei no sofá, confuso com tuso o que havia acontecido. Foi aí que Pablo me contou sobre tudo, que os Deuses Gregos eram reais e que eu era filho de uma dessas Deusas. Também me contou que aquela criatura era uma Dracaenae e que ele era um Sátiro. Assim que a história terminou ele me disse para arrumar as minhas coisas porque me levaría até um lugar seguro para os semideuses, um tipo de acampamento. Preparei minhas coisas e juntos partimos para Nova Iorque.
avatar
Andrew Hembree
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 121
Data de inscrição : 11/01/2013
Idade : 20

Ficha do personagem
Level: 5
Energia:
140/140  (140/140)
HP:
140/140  (140/140)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Pietro L. Parker em Sab Abr 06, 2013 11:03 am

1) Nome:
Bryann
2) Quer ser filho de qual deus? (3 grandes e Nyx requer teste especial)
Dionísio
3) Por que quer ser filho desse deus?
Quero Ser filho de Dionísio por admirá-lo por ser o único Deus olimpiano filho de um mortal , e por ser deus da festas e do vinho que esses aspectos se encaixa na minha personalidade.
4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.
Tenho os olhos semelhante ao de Dionísio, Curto festas para sair com os amigos , minha personalidade é um pouco forte , alto entre outras demais.
5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).
Quando eu era um garotinho aos 8 anos Morávamos eu e a minha mãe em uma casa muito simples todas as manhãs eu me acordava sedo para ir para escola em quanto minha mãe ai trabalhar de doméstica na casa de um senhor . Na minha escola conheci um amigo que me apoiava em quase tudo, ele tinha o jeito estranho por que ele tinha barba e também por ele ser aleijado era péssimo em todas as matérias . as vezes quando voltava da escola escutava vozes estranhas de um homem mais não me a sustava porque era uma voz de um homem que parecia gostar de mim ,quando chegava em casa abusava das uvas que la havia ,e minha mãe dizia que eu sempre era igual a meu pai mais eu não sabia o por que que ela nunca me falava qual era . um dia a noite dei uma saidinha escondido da minha mãe a procurar de ir com os amigos para uma festa no central park , antes de chegar onde Denis morava um forte bicho como um pássaro com azas enormes passou rapidamente e me cortou a perna eu fiquei caído , ele veio em cima de mim mais não tive medo fechei meus olhos e lancei um olhar que nunca tinha feito que o deixou ele tonto ate bater em uma parede . ele falou coisas estranhas , e disse que minha vida estava no fim . comecei a correr mancando demorei muito tempo quando cheguei comecei a contar a ele o que havia acontecido , Denis olhou para de um jeito estranho e me falou .
- Não estou gostando nada do que você me falou , estou pronto para te dar umas ótimas ferias . Bryann perguntou:
- Que ferias , não estamos no final do ano . Denis falou:
- Você e especial Bryann e seu lugar não é aqui , venha comigo e vai ver que estou certo . Bryann falou :
- Tudo bem , espero que não seja nada demais .
A casa de Denis era uma casa velha ele me levou a um celeiro e ela havia um cavalo com azas .Bryann perguntou :
- È um pegasus . Bryann perguntou .
- Sim . Sobe ai . Disse Denis
Bryann sobiu no pegasus e foi voando ate um monte muito distante , eles não perceberão mais não estavão sozinhos quando faziam a tal viagem uma arpia passou rapidamente e puxou Denis que o derrubou do pegasus , Bryann sem saber o que fazer puxou o pegasas para baixo rapidamente onde pegou Denis quando ele iria cair no chão que a queda o mataria .
Denis entregou um cadarço de tênis e falou para Bryann :
- Use isso . disse Denis
- Bryann sem saber esticou o cadarço de tênis . o cadarço virou uma corrente com um ganho enorme .
A arpia apareceu novamente da escuridão e puxou Bryann , ele lançou a corrente e amarou ela junto e os dois cairão mais não tão de preça que só fez bryann quebrar o braço , apos a queda Denis pousou no pegasus e jogou uma garrafa de vinho para Bryann Beba isso . Bryan falou :
- Não é horas para beber .
Bryann Bebeu seu braço se reconstruiu ficando normal , Denis disse a Bryann.
- eu não estava errado quando falei que você é especial .
Apos eles chegar la no topo tinha como se fosse uma entrada de um templo com pedras enormes . Denis Falou :
- Bem Vindo ao Acampamento Meio-Sangue .


------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------



Para viver a vida o amor  não é preciso te-lo mais sim encontra-lo. O amor em nossos corações é como uma caixa de chocolate saborosa cheia de segredos que não pode ser entregue a qual quer um. Mais o amor que tenho dentro do meu peito sinto que entreguei ele a uma garota  que o merece mais do que eu ofereço  '' Harmony isso que tenho dentro do meu peito já e seu, prometo te respeitar , te amar, te proteger,te dar carinho. Me desculpe mais não sou perfeito,Pois se fosse nada iria te faltar .Só quero dizer com essas pequenas palavras que Eu Te Amo e vou sempre estar ao seu lado nas horas ruins e boas de nossas vidas.
Harmony ♥ Pietro
avatar
Pietro L. Parker
Filhos de Dionísio
Filhos de Dionísio

Mensagens : 49
Data de inscrição : 05/04/2013
Idade : 23
Localização : No coração da Harmony S2

Ficha do personagem
Level: 8
Energia:
170/170  (170/170)
HP:
170/170  (170/170)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Rafael L. Máximos em Sab Abr 06, 2013 1:41 pm

Andrew Hembree >>>> Reclamado
Bryann K. Walker >>>> Reclamado

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

Eles podem me matar, mas a superioridade moral é minha.
(Doctor Who)
avatar
Rafael L. Máximos
Filhos de Macária
Filhos de Macária

Mensagens : 1010
Data de inscrição : 24/12/2012
Idade : 21

Ficha do personagem
Level: 100
Energia:
990/990  (990/990)
HP:
999/999  (999/999)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Quéfren J. McLanders em Seg Abr 08, 2013 7:08 pm


I Write Sins Not Tragedies
Just a dime stone poet, keeping pace, talking his face blue
Tears are comforting.




1) Nome:
Quéfren J. McLanders

2) Quer ser filho de qual deus? (3 grandes e Nyx requer teste especial)
Ares.

3) Por que quer ser filho desse deus?
Porque considero Ares um Deus que procura suas próprias alternativas, que nunca aceita o que é lhe dito, que sempre acha uma saída, nem se for ele mesmo que a faça, também considero seu temperamento explosivo interessante, pois é com ele que ele consegue ganhar guerras, lutas, e sempre conseguir suas respostas.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.
Meu temperamento é controlado, mas quando estou em uma batalha, ele muda a cada ataque que levo, como se cada ataque aumentasse a raiva, mas meu limite é muito pouco, quando levo dois ataques, a fúria me domina por completo, mas também o meu controle com armas de combate físico é muito interessante, pois domino muito bem.

5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).
Nunca interesse em saber quem é meu, porque se ele foi embora, é porque ele não liga para nenhum de nós mesmo, nem liga para mim, nem liga para minha mãe, minha mãe sempre quis me contar quem é ele, mas eu sempre começo um novo assunto e ela acaba por não me contar, mas eu tenho que admitir que lá no fundo eu sempre quis saber quem é ele, as vezes eu até chego perto da minha mãe para perguntar quem é ele, mas o orgulho é maior, então não consigo falar com ela, em um certo dia chuvoso, eu estava conversando com minha mãe, até que ela decidi tocar no assunto do meu pai, eu fiz o que eu sempre faço, tento trocar de assunto, mas parece que dessa vez não deu muito certo, ela disse que não mudaria de assunto, e então comecei uma discussão com ela:

-Pelo amor de Deus né mãe? Ele nunca esteve aqui, porque você quer me contar dele, eu simplesmente não quero saber dele, ele que fique no lugar onde está, eu consegui viver esses anos sem ele, então posso viver o resto da minha vida sem saber quem é ele, fique calma, eu nunca te culparei por não me ter contado de nada, porque até mesmo foi eu que te impede de contar.

-Acredite Quéfren, seu pai é um bom homem, ele sempre disse que te amaria, acontece que ele tem um trabalho a fazer, e agora ele está ausente, mas um dia ele te verá e você verá ele, e você vai se arrepender disso tudo, então por favor, escute apenas isso, seu pai é um homem que te ama, ele é especial, um dia ele precisará de você e um dia você precisará dele.

-Sim, um dia ele precisará de mim, e é nesse dia que ele se arrependerá de nunca ter ficado comigo, nem pelo menos pra deixar sua marca de pai, acredite, nunca fiquei com raiva dele, apenas acho que não devo nada a ele, mas ele me deve muito, então agora eu vou sair por aquela porta, vou "tomar" um pouco de ar e vou voltar para casa e fingir que essa conversa nunca aconteceu, Ok?

Logo me levanto do sofá, pego minha mochila, e vou até o banco da praça da cidade onde eu moro, refletir sobre a conversa que tive com minha mãe, será que ela está certa e eu errado? Será que um dia precisarei dele e ele precisará de mim? Ficou aquelas dúvidas, e como eu faço para tentar refletir isso, começo a desenhar, então peguei um lápis e uma caneta, e comecei a desenhar o que seria meu pai, já que não sei como ele é, então comecei a desenhar de um jeito que eu imagino que ele seja. Depois de um bom tempo desenhando o desenho de meu pai, olhava o horário em meu relógio, e via que estava tarde demais, então guardei meus materiais de desenho, e fui andando lentamente para casa, quando chego no quintal dela, vejo uma pessoa, ou o que parecia ser uma pessoa, então jogo uma pedra nele e digo:

-Ou cara, o que você está fazendo ai no quintal de minha casa? Não me diga que está comendo o capim ou as plantas, me faz um favor, sai dai ou se não acredite, eu vou fazer você sai.

-Calma, calma, espera, você é o Quéfren, não é? Posso te chamar de Quéf? Tá vou te chamar assim mesmo, meu nome é Ryan, eu sou um sátiro mandado pelo acampamento meio-sangue, para te levar até lá, espero que seja bonzinho e venha sem querer briga.

-Espera, você chega no quintal da minha casa, começa a comer o capim, coloca um apelido em mim, me ameaça, quer me levar para um lugar estranho e ainda diz que é um sátiro? Você é louco ou o que?

- Olha só para minhas pernas.

Quando observo bem, as penas dele, são pernas de bode pelo que parecia, eu fiquei totalmente abismado, então logo queria saber o que era, ele me explicou tudo, que meu pai é o Deus Ares, o Deus da Guerra, que eu sou um Semi-Deus, tenho poderes e que tenho que ir para um lugar chamado Acampamento Meio-Sangue, logo arrumo minhas coisas, dou uma desculpa para minha mãe, dizendo que encontrei meu pai e quero vê-lo, e então fui para o acampamento Meio-Sangue com o sátiro Ryan.




vestindo: this
escutando: -------------
credtis @Ann
avatar
Quéfren J. McLanders
Filhos de Ares
Filhos de Ares

Mensagens : 2
Data de inscrição : 23/03/2013

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Ter Abr 09, 2013 2:16 pm

Reclamado.
Houveram alguns erros, mas creio que eles podem ser concertados com o tempo. Ainda assim, foi o suficiente para ser reclamado como prole do deus da guerra.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Glenn Roodker em Qua Abr 10, 2013 4:02 pm

1) Nome: Glenn Roodker

2) Quer ser filho de qual deus? Anteros

3) Por que quer ser filho desse deus? - Anteros é o deus da ordem, podendo assim ser bastante persuasivo para que outros lhe atendam. Ele também é o deus do divórcio e separação de casais.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido. - Sou bastante persuasivo, posso conseguir o que quero com qualquer mortal. Consigo separar casais facilmente, e adoro fazer isso.

5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).

Filho de mãe viúva chamada Kathrine, nasci em Nova York, onde passei a minha infância brincando de coisas adoráveis... só pra minha mãe, todos os outros odiavam. Tudo o que eu gostava de fazer era ficar 'brincando' de fazer o que o chefe mandou. Eu sempre era o chefe. Quando protestavam, eu sempre dizia: 'Ei, ei. Você quer que eu seja o chefe! Não é?!' e eles obedeciam. Faziam resmungos na hora de brincar, mas bastava um olhar e um sorriso aparecia no rosto de cada um deles.

Que seja, não estou nem aí se eles gostam ou não. Também gostava de separar casais. Na escola, ninguém jamais ficou com a garota que eu gosto, porque quando ela namorava alguém, ou eu separava-os, ou eu dava ordens para o garoto que está namorando ela terminar com ela. E sempre dava certo.

Um dia eu estava voltando da escola, altos-papos com Larisse, a garota que eu gostava. Deixei-a na porta de casa e segui em direção a minha casa.

Uma coisa me atrapalhou. É, uma coisa. Um cão do tamanho de uma van industrial veio em minha frente, e os outros andantes gritaram: ''poodle!''. Será que estavam com problemas de visão? Ou eu estava? Ou estava louco? Bom, só sei que senti um peso na mochila da escola. Eu corri pra me afastar e ver o que tinha lá dentro.

Me afastei uns dez metros do cão, e ele procurava a cauda. Eu aproveitei e me escondi num beco escuro. Tirei a mochila, e encontrei uma adaga. Deixei ela cair da mão, e ela tilintou no chão. O cão ouviu e veio na minha direção, farejando o ar. Eu saí de trás de um latão de lixo e raspei com a adaga no seu pelo, fazendo o cão uivar de dor. Aproveitei e subi em suas costas, como um toureiro faz.

Ela ficou pulando como um touro, e eu me segurei em seu pescoço. Pus a adaga nos dentes e subi em sua cabeça. Peguei a adaga com uma das mãos, e com a outra eu segurava forte em seu pelo. Peguei a adaga e cravei no monstrengo, que foi se transformando em pó. Pulei e caí em uma lata de lixo aberta, mas por sorte, ninguém me viu como um sujinho.

- Aí está ele. Venha! - disse alguém, me puxando e chamando um táxi.

- Long Island, por favor. - disse o meu sequestrador, dando cem dólares ao taxista.

O táxi foi bem rápido, e chegamos num acampamento de verão comum, exceto por centenas de espadas se cruzando e fazendo barulhos horrendos e irritantes. Uma floresta imensa ficava a direita das pessoas, mas pareciam não se incomodar. Eu entrei, e nem li a placa. Nunca fui de fazer isso, por causa da dislexia. E eu entrei eufórico, por causa do meu TDAH.

- Ahn, olá? - disse, procurando conhecidos, ou até mesmo aquela garota. Era o dia do meu aniversário, talvez fosse uma surpresa dela.


avatar
Glenn Roodker
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 2
Data de inscrição : 10/04/2013
Idade : 21
Localização : Em qualquer lugar, ou por aí, sei lá.

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Sebastian Sw. Lancaster em Qua Abr 10, 2013 4:13 pm


Ficha de reclamação



1) Nome:
Sebastian Swesthee Lancaster

2) Quer ser filho de qual deus? (3 grandes e Nyx requer teste especial):
Hércules (grupo que acabou de ser criado).

3) Por que quer ser filho desse deus?: Não é devido pela aparência, pode até ser o corpo atlético se é que vou encontrar um personagem ao nível esperado. Enfim, um dos motivos é a persistência, força de vontade e a teimosia, como o próprio Hércules tinha.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido:
Como disse a cima, não é devido a aparência, mais sim um pouco do corpo atlético. Continuando, a persistência e a teimosia, seria um dos pontos prováveis que se assemelha entre meu personagem e Hércules.

5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação):

Sebastian... Nascido em 17 de abril de 1998, reside em Nova Iorque, até conhecer o acampamento meio-sangue. Enfim, contarei um pouco dessa história do Filho de Herácles. Sebastian, chamado muitas vezes de teimoso por sua mãe, e a conclusão dessa teimosia, eram boas palmadas que levava, porém ele segurava seu choro deixando apenas as lágrimas descerem sua aparência ficava a mesma, séria e se controlando, isso desde pequeno, por volta de 6 anos.

Sebastian não conhecia seu pai, mas ouvia sua mãe falar sozinha sobre um nome "Hércules" de vez em quando, era algo assustador pro jovem que via filmes de suspense. Hércules é um deus que é o progenitor de Sebastian, porém é aquilo... O mesmo não sabe.

Um dos fatos importantes da vida de Sebastian seria a vida escolar, era a onde mais aprontava, pois ele não saia muito a rua com a idade de 10 anos, era uma festa e outra e de volta para casa. O garoto protegia muito seus amigos, é fiel a eles. Em quais quer confusões que os seus amigos esteja envolvido, Sebastian estava lá para defender e acabava sobrando tudo para ele. Enfim, desses fatos foi uma das "maiores" brigas da escola onde Sebastian estudava. Aos 12 anos, o garoto estava lá no seu canto, quando bate o sinal do recreio... Todos foram para o refeitório comer. Em questão de segundos, um certo garoto trombou com Sebastian fazendo derrubar o seu prato. Sebastian é tão persistente que ele não iria sair dali enquanto não brigar com o outro garoto.

O jovem olhou fixamente nos olhos do seu "oponente" e começou a desferir golpes em direção do rosto. Sebastian efetuou um soco de direta no maxilar do jovem fazendo-o cair... De repente outro três amigos do garoto que havia caído vieram ajuda-lo na briga. Sebastian ficava apenas armado no ataque, quando um veio correndo na intenção de acertar um soco, então Sebastian em seu reflexo efetuou um chute frontal no peito de um, fazendo cair sem ar. O segundo tentou acertar um chute vertical em direção nas costelas do lado esquerdo de Sebastian, só que rapidamente ele pós o braço esquerdo mas em baixo para defender, em seguida o filho de Hércules acerta um soco na boca do garoto, fazendo-o chorar e sair do local. O último garoto ficou encarando Sebastian e assim estavam... Um olhando para o outro. Sebastian então decidiu atacar, começou a ir em frente quando começou a correr, seu opoente efetuou um soco vertical, acertando o rosto do filho de Hércules. O mesmo parecia não sentir nada, ficou com seu maxilar duro e acertou um direto de esquerda no olho do garoto. Essa seria uma pequena parte de minha história.








Créditos Zafrina - TPO


Última edição por Sebastian Sw. Lancaster em Qua Abr 10, 2013 5:47 pm, editado 1 vez(es)

Sebastian Sw. Lancaster
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 1
Data de inscrição : 10/04/2013

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Allison Adams em Qua Abr 10, 2013 4:45 pm

1) Nome:
Allisson Lunancia Adams

2) Quer ser filho de qual deus?
Deméter

3) Por que quer ser filho desse deus?

Por que eu me identifico como Filha de tal deusa, eu sempre amei as plantas,a natureza, tudo de verde para mim é bom, por este motivo eu acho que devo ser filho da Deusa da Colheita, além de, todas as plantas sentem algo por mim, eu sempre cuidei de plantas, debatia, chegaria até a usar a violência caso alguém maltratasse a natureza, este é meu ponto forte, eu tenho algo a proteger, a Natureza.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.

Um porto muito forte entre minha pessoa e a deusa é o gosto por plantas (e cereal é claro u-u )

5) Narre sua história .

As pessoas me achavam estranha, eu era mais na minha. Morava com o meu pai e com meu irmão em New York. Eu e ele sempre brigávamos, eramos insuportáveis quando isso acontecia. Ele era literalmente o oposto de mim. Alegre, social e medroso. Ele me acha estranho por nunca querer ir em festas e coisas do tipo, eu nem ligo, a opiniao dos outros não vai me tornar melhor. Eu não gostava de morar em uma casa somente com meninos, era uma coisa horrível. O meu passado é um pouco sombrio, a minha mãe sumiu quando eu era pequena, sumiu sem deixar explicações, simplesmente sumiu. Cada vez que eu pergunto para o meu pai o que houve, ela da uma resposta diferente, eu já perguntei para as pessoas que moram há muito tempo no meu bairro, mas nenhuma delas tem uma explicação para o ocorrido. Quando eu era pequena, eu amava mitologia grega, eu pedia toda noite para minha mãe contar história para mim, ela sabia muito sobre isso. Essa é uma das únicas memórias que eu tenho dela. Eu sempre pesquisava nos livros e na internet sobre a mitologia, admirava os Deuses mais valentes. Mas o que eu nunca imaginei era que eu era uma semi-deusa. Um dia, como qualquer outro, eu estava voltando para casa, fui direto para o meu quarto, ficar na minha. Mas meu pai me chamou para descer para a cozinha. Normalmente, isso era uma coisa ruim, pois quando isso acontecia, ela ia falar comigo sobre alguma ligação que a escola fez para ela falando do meu comportamento e blá blá blá. Desci na hora, pois se eu demorasse, ele ficaria mais zangado ainda, perguntei o que aconteceu e ele disse para eu sentar. A coisa era séria. Me sentei e esperei ele falar. Mas estava demorando, olhei para o meu pai e percebi que ele estava quase chorando. Essa era a minha fraqueza, ver alguma pessoa importante para mim triste. Eu fui até ele e o abracei mais forte do que nunca, coisa que eu quase nunca faço. Perguntei o que houve, mas cada vez que eu perguntava, mais ele chorava. Até que o meu irmão desceu também, ele conseguiu o acalmar. Eu devo admitir, ele tem um dom para acalmar as pessoas e fazer elas se sentirem bem. Mas é claro que eu nunca falaria isso para ele. Depois quando ele conseguiu voltar a falar, meu pai me explicou aos poucos o que eu realmente havia acontecido. O meu irmão o tempo todo, ficou concordando com ele. Ele já sabia de toda a história. No início, eu achei que fosse alguma pegadinha, pois eu sabia que eles sabiam que eu amava mitologia grega. Achei essa uma pegadinha muito de mal gosto e subi para o meu quarto com raiva. Eles me chamaram para 'dar uma volta', eu aceitei, não queria que o clima ficasse pesado entre nós. Eles me levaram para um lugar novo, um lugar diferente, o acampamento meio-sangue. Então finalmente eu percebi. Eu percebi o que eu era. Eu sou uma semi-deusa, eu sou filha da Deméter.
avatar
Allison Adams
Monitores
Monitores

Mensagens : 26
Data de inscrição : 10/04/2013
Idade : 28
Localização : Chalé de Deméter - Arena - Campos de Morango

Ficha do personagem
Level: 9
Energia:
180/180  (180/180)
HP:
180/180  (180/180)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Qua Abr 10, 2013 6:10 pm

Allisson L. Adams - Aprovada. Apenas coloque mais detalhes sobre o que a assemelha à ser filha da deusa escolhida. Poderia dar mais detalhes também sobre sua vida antes da descoberta de ser uma semideusa.

Atualizando

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Rafael L. Máximos em Qui Abr 11, 2013 6:17 pm

Glenn, sem querer criticar mas não posso aprovar a sua ficha, encontrei nela vários erros, vou listar alguns aqui:
- na parte onde você devia ter citado por que escolheu ser filho de tal deus, bem, isso não ficou claro, na verdade você nem respondeu a pergunta, apenas falou sobre Anteros.
- na batalha você repetiu as palavras muitas vezes, isso deixa a leitura chata, também não conseguiu estruturar o texto corretamente, além de ter escrito uma história confusa.
Não me leve a mal, mas recomendo que refaça o teste.
Sebastian, no ponto onde devia falar o que te assemelha ao deus escolhido, bem, você disse a mesma coisa que no item anterior, ficou um pouco confuso. Na história encontrei diversos erros ortográficos, nada grave, mas recomendo que utilize um corretor, como o do Word. A narração ficou confusa, há muita repetição de palavras, sendo a maioria destas o nome do personagem, isso deixa o texto chato para se ler. Também deveria ter narrado sua chegada ao Acampamento e a descoberta de ser um semideus, acredite, assim a história estaria bem melhor. Reprovado.

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

Eles podem me matar, mas a superioridade moral é minha.
(Doctor Who)
avatar
Rafael L. Máximos
Filhos de Macária
Filhos de Macária

Mensagens : 1010
Data de inscrição : 24/12/2012
Idade : 21

Ficha do personagem
Level: 100
Energia:
990/990  (990/990)
HP:
999/999  (999/999)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Matt D. Mansterden em Sab Abr 13, 2013 1:40 pm



Ficha de Reclamação

Matt Mansterden - 18 anos
1) Nome:
Matt D. Mansterden

2) Quer ser filho de qual deus?
Ares

3) Por que quer ser filho desse deus?

Quero ser filho de Ares,guerrear sempre foi meu forte,ser diferente,fazer a diferença.Penso eu que Ares possui uma personalidade forte sendo assim ele não foge de uma boa briga ou aceita se curvar aqueles que não dignos. Único,esse é meu sonho, e seu que com as habilidades que irei adquirir com Ares,vou realizar esse sonho.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.

Sou rapaz alto, pele e olhos claros, por consequência de alguns anos de academia de a pratica de esportes e em especial minha dedicação as artes marciais tenho uma resistência impecável e um corpo de um modo considerável definido.

5) Narre sua história .

Matt Drunkendor Mansterden era um adolescente como outro qualquer, com desde os 13 anos até seus atuais 18 anos gostava de praticar esporte alguns deles influenciam em lutas, boxe e Taekwondo eram os seus preferidos, sua Mãe Aline Mansterden fazia com que ele parece com todos os esportes antes que acontece-se alguma coisa, ela sabia que ele não era um Garoto como outro qualquer. Matt se encontrava em casa em Paris, e justamente no dia ele quis sair absolutamente sozinho por toda a extensão de Paris e junto à ele, sua Namorada. Seria um passeio romântico e belo, apesar de estar noite, o rapaz consegui ouvir vozes vindo do além ou algo parecido, seria estranho para ele.

Os dois estavam andando de mãos dadas no lugar mais famoso de Paris, a Torre Eiffel, assim ele seguida, aos sorrisos, abraços e beijos quentes, após toda esta ronda ele queria tomar era um belo banho para poder descansar, ao voltarem para a casa de sua Mãe ( Aline ) Matt encontrou-a morta sem nenhum ferimento no corpo, como isso poderia acontecer ?. Ela não respirava então ele tomou a conclusão que à mataram em alguma forma diferente. Os dois pegaram dinheiro e saíram do apartamento em que viviam, e ao sair na rua se deparou com uma criatura estranha mais já vista e livros por ele, era um Minotauro com um Machado. O rapaz se interessava muito por mitologia grega, tanto que tirava altas notas em seu colégio na matéria de História.

O Minotauro sem esperar correu em direção aos dois e Matt se atirou para o lado e embaixo de seus olhos viu sua Namorada sendo jogava longe pelo machado à cortando a sua cabeça e o sangue jorrando através de suas lagrimas de ódio e fúria. Do nada caiu uma Lança do céu e apareceu uma armadura "Spartana" em seu torso, parecia um sonho ?. Mas era a realidade em que Leon vivia, ele já não estava entendendo mais nada, mais quem receberia uma armadura spartana ?. Filho de Ares.

Matt pegou a lança firmemente com as duas mãos e afastou as pernas, como se tudo fosse automaticamente, tomou posição com a lança a girando com as mãos ao alto e olhando o Minotauro com ódio e raiva. O Minotauro partiu para cima enquanto o garoto estava em posição de Defesa, o Minotauro fez um movimento de ataque para cortar a cabeça do jovem mais ele se abaixou e não foi atingido e vendo alguns fio de cabelos caindo ao chão sorriu e com muita força tentou dar uma rasteira no Minotauro, coisa que não deu certo, como um Minotauro de mais de 350 quilos poderia cair com uma rasteira ?. O menino tomou a posição de defesa e esperou o Minotauro novamente e quando o Minotauro veio Matt só esticou a lança perfurando o braço em que o Minotauro segurava o machado, ao ver o sangue em seu rosto o rapaz se deu conta que havia ter feito alguém sangrar, mas sua raiva era insana e sem pensar o jovem ergueu a lança para cima e cravou no pé do Minotauro, e que em segundos caiu ao chão. Matt deixa a lança sobre o olho do animal e sem mais delongas cravou a lança em seu olho, perfurando seu cérebro e por fim o matando.

Depois de uma luta bem cansativa, ele não tinha para aonde ir, ele era apenas um estudante, como iria viver ?. Mais um sinal veio do além e sussurrou em sua mente. " Siga em frente . . . ".
Automaticamente Matt começou a andar em direção a uma Floresta aonde haveria supostamente um Acampamento abandonado, e assim dito assim feito, havia um acampamento todo destruído pela visão que ele tinha, ele parou quando se deu conta aonde estaria, não era mais em Paris, como havia chegado tão rápido assim ?. Não haveria explicação para isto, mais já havia caído a ficha, que ele seria um suposto Filho de Ares.

Após passar por umas vigas, Leon viu um Acampamento perfeito e não, destruído, sorriu vendo várias pessoas treinando e se ajoelhou diante de todos, sem acreditar caiu de costas no chão e chorou diante de todos presentes, não havia motivo para sorrir ou sentir alegria, ele tinha perdido o que mais havia de importante na vida dele, suas duas almas, assim se tornou um Filho de Ares e se tornou um Aprendiz de todos no Acampamento.
"Ajoelhe-se diante de minha presença "
avatar
Matt D. Mansterden
Filhos de Ares
Filhos de Ares

Mensagens : 4
Data de inscrição : 13/04/2013
Idade : 23
Localização : Acampamento ^^

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Sab Abr 13, 2013 1:53 pm

Parabéns, novo filho de Ares você foi aceito.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Rose Black em Dom Abr 14, 2013 3:17 pm


Ficha de Reclamação

Rose Black

1) Nome:
Rose Black

2) Quer ser filho de qual deus? (3 grandes e Nyx requer teste especial)
Éolo

3) Por que quer ser filho desse deus?
Acho Éolo fascinante. Um Deus que controle o Vento é algo realmente incrível. Os ventos, são coisas importantes no mundo, sem eles não teríamos novas circulações de ar, um refrescos em dias de calor, etc. Ser filho do Senhor dos Ventos, séria um sonho realizado. Além do que, Éolo é um Deus sábio, com atitude, belo, e muito mais. Séria uma honraria se pudesse ser filha de tal Deus.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.
Paixão de ser livre como os ventos, sábia como uma brisa, calma ou agitada como os próprios ventos. Uma garota de atitudes inesperadas, assim como os ventos, daquele que quero como pai.

5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).
Rose Black, tem uma história, um tanto peculiar. Nasceu dia 23 de março, não sabendo que é seu real pai que de acordo com sua mãe, nunca a quis ou a amou. Que na primeira oportunidade que teve as abandonou. Desde pequena sofria pelo abandono do pai e pelo ódio que sua mãe nutria dela. Nunca se sentiu amada em toda sua vida, esperou sempre ser somente uma fase de sua mãe, assim como o vento tem suas fases de calma e raiva, sua mãe também deveria ter. Mas suas preces silenciosas nunca estiveram corretas.

Annabelly Black, morena de olhos azuis brilhantes, nunca amou sua filha, de acordo com a mesma, seu único amor era e sempre seria, Éolo, sua paixão que durou apenas uma única noite. Quando se descobriu grávida do homem que ainda amava, desde o primeiro olhar seu nele, ficou irritada. Pensou ser aquele o motivo de seu amado a ter rejeitado. O fato dela estar grávida, devia ser o motivo de seu amor decidir sumir pelo mundo. Era o que se passava pela cabeça da mulher, quando tentou abordar a criança. Somente não teve sucesso em sua tentativa de se livrar do bebê, pois sua mãe a impediu, não deixou que a mulher matasse a criança que sua filha esperava.

Após o nascimento da criança, a mãe sumiu pelo mundo largando a filha na porta de um orfanato qualquer, sem nem ao menos querer deixar o seu 'carma', de acordo com a mesma, nas mãos de seus pais. Nunca mais a mãe de Annabelly teve notícias de sua filha, ou neta.

Enquanto os avós de Rose sofriam seu sumiço e sua mãe vagava pelo mundo a procura de seu amado, até sua morte, a garota sofria nas mãos de seus colegas do orfanato 'Notter Happy'. Rose, por ser muito doce e sonhadora, sempre fora tachada de louca, principalmente por falar que via monstros mitológicos. Sempre frequentava vários psicólogos, que lhe diziam que a menina tinha somente uma criatividade muito grande. As senhoras que cuidavam do orfanato, sempre tentavam achar novas escolar para a pequena criança, que nunca conseguia se manter por mais de um ano na mesma instituição educacional.

Rose, nunca conseguiu realmente saber o que é ter pais, ou até mesmo o que é ser amada por alguém. As donas do orfanato, não tinham tempo o bastante para dar a atenção que a menina precisava, muito menos para as outras tantas crianças do local. Vendo sempre os que cresceram consigo sendo adotados, enquanto permanecia no orfanato, somente olhando com grande tristeza a partido de seus colegas, que sempre debochavam de si mesma.

Quando os psicólogos lhe perguntavam quais eram seus amigos a menina tinha sempre somente uma resposta: "Os Ventos e nada mais, senhor." Está era a resposta que sempre preocupava cada vez mais os que tentavam ajudar a pequenina garota.

Com o passar dos anos, Rose, deixou de ser meiga e doce, passando a ser uma rebelde meio agressiva. Odiava homens, pelo fato de uma vez a coordenadora do orfanato a ter dito que sua mãe a largou dizendo que não aguentaria viver sem sua paixão que a deixou sem razões. Desde então, começou a achar homens seres inadequados para se viver com os mesmos, mas ainda sim os suportava, pois de certa forma, eles podiam ser úteis.

Sempre teve uma grande queda e paixão por mitologia grega, mas precisamente ao grupo de Amazonas, ao qual se idealizava, por apesar de não gostar muito de homens, os achar úteis, até certo ponto.

Rebelde como era, sempre arranjava um modo de fugir do orfanato e conseguir contrabandear algumas bebidas alcoólicas para si mesma, mesmo sendo de menor. Fumava as vezes, para organizar os pensamentos de forma mais coerente. Nunca teve medo do que as bebidas e o cigarro poderiam lhe trazer de mal. Era somente mais um risco a correr em sua vida.

Sua fase rebeldia começou aos 14 anos, as bebidas e cigarros aos 15 anos, quase 16. Sua meiguice somente se mostrava perante aqueles que a mereciam em sua mente, que no caso eram pouquíssimos. Nunca teve medo algum dos monstros que vinham lhe perturbar. Um de seus maiores segredos, era que toda noite antes de cair na inconsciência, chorava pela vida que tinha e levava. Chorava tentando espantar todos os males que enfrentava em sua vida por suas decisões idiotas. Ela sempre pensou saber que a culpa de seu pai ter abandonado ela e sua mãe, era totalmente sua. Sabia que era este o motivo para ter sido abandonada e isso a fez começar a cortas os próprios pulsos, quando tinha 13 anos apenas. Parou de cortar os pulsos somente quando tinha 15 anos, pois havia sido descoberta pelas moças que trabalhavam no orfanato e sido internada em uma clínica por apenas 1 semana, antes da mesma fugir de lá de volta para o orfanato.

Quando parou de receber ajuda financeira da coordenadora do orfanato para pagar suas contas, graças ao falecimento da mesma, a menina se pós a tentar roubar para conseguir mais bebidas e cigarro. O que foi um ato impensado e imprudente. Quando foi pega pelo policial, nem acreditou que seria presa. Mas o policial começou a falar sobre lanche de meio sangue e logo se transformou em uma manticora. A menina assustada somente se distanciou e andou para perto de uma área movimentada. Mas ninguém parecia estar vendo o monstro, como sempre acontecia. A única coisa que a menina pode fazer foi correr, já que sua vida dependia daquilo. Inesperadamente, a garota achou somente uma pequena faca de bronze, o que para ela já era um grande alivio, pelo menos teria uma mínima chance de se defender.

A morena, nem ao menos tinha se tocada que estava indo em direção a uma rua sem saída, até olhar para a parede da casa a sua frente. Olhou para trás e o inimigo vinha com tudo em sua direção. Fez menção então de se subir a escada de madeira podre que tinha ao seu lado, mas logo percebeu que aquilo não daria certo e era 99,9% de chances de ela cair da escada, com a mesma desmoronando. Olhou assustada para o monstro e então correu em direção ao mesmo. Se abaixou para não levar uma patada e rolou para o lado evitando a mordida do mesmo. Se arrastou para trás até encostar na parede. Segurou a pequenina faca mais forme em sua mão, até que a manticora estivesse a um passo de si, quase lhe mordendo, neste momento escorregou para baixo no animal e lhe deu uma facada na barriga, o que logo fez uma explosão de pó cair sobre si.

Morrendo de nojo a garota se levantou começando a tirar a poeira dourada de si. Pegou a faca novamente e a colocou dentro de sua boca. Se pós então a correr para o mais longe que podia, até se deparar com uma colina, cansada como estava, somente a escalou. Ao chegar no topo da mesma somente observou o dragão e a placa escrita "Acampamento Meio Sangue!", antes de desmaiar. Alguns dias depois acordou na enfermaria, tendo a certeza de que era uma meio sangue, a única questão era descobrir quem era seu pai.
@Thay



------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

avatar
Rose Black
Filhos de Éolo
Filhos de Éolo

Mensagens : 3
Data de inscrição : 13/04/2013
Idade : 21
Localização : Indefinida *-*

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Dom Abr 14, 2013 4:07 pm

A história é um pouco confusa e tem alguns erros gramáticais oriundos da digitação e alguns exageros no uso da vírgula, (Aconselho reler todos seus posts ao menos duas vezes para não deixar esses errinhos passar), todavia você expressou bem o seu desejo em se tornar filha do Deus Éolo. E portanto está Aceita como prole de Éolo, Deus do ventos e blábláblá

Atualizado por Eros!

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Leonard S. Targaryan em Dom Abr 14, 2013 6:55 pm

Ficha para Filho de Apolo ☼


1) Nome:Lucas O. Wittelsbach

2) Quer ser filho de qual deus? Apolo

3) Por que quer ser filho desse deus?
Apolo. Gosto dos poderes, além do fato de que combina com a personalidade da personagem, e com as características criadas para ela.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.

O sempre bem humorado, Lucas O. Wittelsbach, tem cabelo curto ligeiramente puxado para o loiro ressaltando a pele clara como o Deus Apolo, olhos azuis que trazem sentimentos tranquilos à tona, rosto muito bem traçado e altura mediana para a idade. Nunca deu importância ao seu peso, pois comia o que queria e quando queria, em compensação gostava de praticar esportes, mas não aqueles que um professor de educação física costuma ensinar; o meio-sangue gostava bastante de treinar arco-e-flecha, participar de grupos escoteiros, pescar, dentre outras atividades, coisas que Apolo gostava.. Embora ele aparente ser desastrado e tonto, tem uma mente forte e equilibrada o que implica em ter um bom autocontrole. Assim como seu pai Dificilmente ficava abalado, coisas tristes não o deprimiam, personalidade forte, porém muitas vezes era considerado “frio” por isso, mas era essa personalidade forte quem garantia o seu sorriso em todos os nasceres do sol ao ocaso.

5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação)

- Desde pequeno fora perturbado - assim dizia sua mãe no consultório de seu psicólogo - Sempre atrai meninas demais, por sua beleza. Mas não é só isso, ele têm um jeito desrespeitoso, teimoso de ser. Talvez seja seu deficit de atenção, dislexia, hiperatividade. Não sei. Ele é muito... Argh! - Ela dizia, assemelhando-se muito com uma adolescente com os sentimentos confusos na mente. - Mas, afinal, eu acho que isso é tudo por conta dos genes de seu pai.

- É mesmo senhora?
- Os olhos negros e pequenos do psicólogo brilhavam, as suas sobrancelhas erguiam, fazendo-o demonstrar uma emoção confusa. - Pois bem, eu sei o que é isso, sei sim. - Ele deu um sorriso no canto da boca - Aliás, por que não contou ao seu filho? Esta informação é muito importante... Mudará a vida dele, mesmo que seja em aspectos ruins. Moça.. deixe-me... - Ele olhou para o lado, o sol brilhava em seu rosto. - Mas... que merda? Um segundo atrás isso não estava assim.. Ah, entendi. - Sorriu mais uma vez - Garoto, Lucas, seu filho é um deus. Se não me engana, deus do sol.
A mãe dele, olhou aterrorizada para o psicólogo, ela sabia que sempre houve algo de errado com seu filho adotivo.

- Deus do sol? Ora essa, mais um louco entrando em minha vida. Sempre têm algo que me assusta por aqui, mas nunca descobri o que era. Você é o problema da minha vida, sim, você. Psicólogo. Por que eu trouxe meu filho aqui? Eu deveria saber, que a maioria deles são tão loucos assim, mas nunca pensei que... existiria um tão louco, quanto à tentar me assustar. Adeus, doutor Williams.

- Achou que seria tão fácil fugir? Achou mesmo? Pois bem, você estava muito errada, senhora. Esse garoto. Eu sei o nome dele: Lucas, isso sim, está certo, talvez você colocou o mesmo nome de sua certidão. O sobrenome dele é Wittelsbach . Ele é de uma família, que normalmente, costuma ser seduzida por diversos deuses. Agora, eu, estarei aqui, para presenciar a morte de um Wittelsbach. Será legal, muito radical.
- Ele sorriu, e nem ligou para a manipulação da névoa, ele queria assustar à todos ali, até mesmo à sua secretária. - Que os jogos comecem!

O homem , que agora, não tinha mais o corpo de um humano. Agora, era um animal mitológico, a manticora. Seu rosto permaneceu o mesmo, seu pescoço encompridou, seu corpo era de um leão, e tinha um rabo enorme de escorpião, que solta espinhos de tamanhos enormes. A mãe de Lucas, desmaiou rapidamente. Seu corpo estava amolecido no chão. Ah, agora, o garoto parecia completamente raivoso, mas não tinha arma alguma, ou talvez, apenas a pistola que está dentro da bolsa de sua mãe. Ele pegou a bolsa beje, mas a manticora, com seu rabo o jogou contra a parede de gesso, que agora abriu-se em uma enorme cratera. Ele, então, ficou imóvel por alguns segundos, a bolsa de sua mãe, estava na grade do segundo andar, quase caindo, ele esticou a mão, e enfiou dentro, puxando a pistola.

- Vai para o Inferno, desgraçado! - Ele disse, meio indeciso. A arma, pelo incrível que pareça, estava carregada. A mãe dele se prevenia no máximo por sua segurança, mas, não percebia o quão perigoso poderiam ser seus próprios atos.

O garoto colocou os dedos no gatilho, mirou rapidamente no abdômen do monstro, lágrimas escorriam em seu rosto, era sua mãe adotiva que estava machucada. 3... 2.. 1, puxou o gatilho. O monstro não reagiu, foi atacado, caiu no chão, resmungando palavras estranhas, em uma linguagem antiga, grego. Lucas pegou sua mãe no colo, e tentou correr o mais rápido possível pela escada, mas com atenção, em um dos degraus, ele escorregou seu pé, por ter pisado bem na quina, a sua mãe voou alguns centímetros acima dele, e ele escorregou um degrau a baixo. Sua mãe bateu a coluna no degrau, crack! Quebrou-se, partiu-se. Ela estava morta e a culpa era do garoto, por ser problemático. A mãe, ao menos, morreu adormecida. Como o monstro havia dito, ele era filho do deus do sol, não da vingança, mas mesmo assim, ele queria vingar a morte de sua mãe, ela era tão boa, doce, mas nesse momento teria entrado em depressão.

Lucasnão hesitou, mesmo que sua mãe tivesse morrido, ele teria que fugir, não poderia morrer junto com ela, não agora, não aqui. Ele empurrou a porta, e deu na recepção do lugar, e viu a secretária olhando assustada, para o garoto, totalmente suado, com um machucado na testa, que havia feito na hora que caiu da escada. Ele segurava a arma, e a secretária logo se assustou, pegou o telefone e começou a ligar para a polícia. Lucas entrou dentro do seu carro, rápido, chiquérrimo. Colocou a chave, que sua mãe havia lhe dado, para segurar, colocou o pé no acelerador, sem mesmo pensar nas regras do trânsito. Ele precisava fugir, mesmo que isso fizesse-o parecer com um fugitivo, um bandido. O sol bateu em seu rosto - Se, ele realmente é filho do Deus do Sol, porque tanto sol em seu rosto? Um sinal? Não, claro que não, o seu psicólogo apenas estava tentando o deixar confuso, completamente confuso.

Lucas, enfiou a mão dentro do porta-luvas, e encontrou um papelzinho, era o endereço de sua mãe verdadeira. Ele logo foi diretamente no endereço, agora, o trânsito da cidade estava completamente tranquilo. Bom horário para ouvir uma musiquinha, mas, quando ligou o rádio, não pode se satisfazer, ouviu notícias sobre ele, ele era o fugitivo. Uma coisa fez-o sentir um frio na espinha, era a voz do doutor Williams. Aquele nojento, falava que Luke quem começou tudo. Era um alarme, a polícia vinha atrás dele. Ouviu, de repente, a repórter falar "Lucas O. Wittelsbach, se estiver em um veículo nesse momento, saia deste imediatamente!" Desligou o rádio, com uma atitude rebelde. Começou a cantar músicas depressivas, sua voz, ia no tom certo. Ele parou o veículo, e tocou a campainha da tal casa. A porta abriu.

- Olá, mãe... Alexandra, sim? Eu ouvi uma coisas bem estranhas hoje... sobre deuses, e monstros... Você me deve uma explicação. - Cruzou os braços, bravo. Ahn..
– Pergunte isso no acampamento, garoto. Vamos!

Ela o jogou dentro de seu carro esportivo, e foram diretamente para Long Island, demorou um pouco, mas chegaram. Era uma fazenda de morangos, Luke não questionou, mas era estranho, claro que era. Pularam uma cerca, e foram correndo para cima de uma colina, e lá em cima encontraram um portal enorme, de mármore, escrito “Acampamento Meio-Sangue”; Lucaspensou para si mesmo – Serás verdade,ou apenas ilusão? – A mãe dele não conseguiu entrar, ele se sentiu culpado, por só encontrá-la uma vez, e não poder ficar com ela. Ele saiu do portal, e deu um abraço em sua mãe. Ela sorriu, mas logo foi embora, deixando o garoto sozinho, em um acampamento qualquer, um acampamento misterioso, mitológico. Lucas, passou, desde então, dias no Chalé de Hermes, pensando em sua mãe.



avatar
Leonard S. Targaryan
Filhos de Apolo
Filhos de Apolo

Mensagens : 20
Data de inscrição : 14/04/2013

Ficha do personagem
Level: 7
Energia:
160/160  (160/160)
HP:
160/160  (160/160)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Dom Abr 14, 2013 7:27 pm

Gostei do enredo da história, só vou lhe fazer uma observação que ficou meio confuso para mim o uso da arma. Metal humano não fere monstros mágicos, assim como bronze celestial não fere humanos. Fora isso foi uma bela história, talvez você possa corrigir suas pontuações, em alguns momentos são exageradas, mas como esta começando e eu não sou nenhum perito em posts, é apenas uma tentativa de ajudar.

Bem vindo Filho de Apolo.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Giovanna Strider em Sex Abr 19, 2013 8:06 pm

1) Nome: Giovanna Strider

2) Quer ser filho de qual deus?
Eros, o deus do Amor

3) Por que quer ser filho desse deus?
Eu me identifico nesse deus.Eros é também um deus poderoso, pois é supostamente filho de Afrodite com Ares, deus da guerra.Giovanna por mais que fora rejeitada quando pequenina, sempre amou todos como se fossem sua família.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.
Giovanna é uma garota meiga e bonita.Ela é uma pequena filósofa, tem uma incrível habilidade para lutar, ainda mais se sua arma for um arco.Giovanna por ser filha de Eros, e neta de Afrodite, usa seu charme e compreensão quando entra em encrencas.A garota sabe dançar super bem, mas muita das vezes prefere guardar isso consigo mesma.

5) Narre sua história (1ª Pessoa)
Sou Giovanna Strider, morava em Nova Iorque e tenho 15 anos.Não sei de onde eu vim, ou ao menos onde eu nasci.Desde pequena eu fui criada em um orfanato.A dona de lá, Sra. Jessie me adotou quando fiz 7 anos.Ela me contou que eu fui encontrada no casamento da filha mais velha dela, Raquel.Eu sempre ria disso, afinal quem me deixaria em um casamento?Bom, algum pai ou mãe desnaturado, mas tudo bem...Eu nunca tive tantos amigos, vai ver o fato de ser a garotinha mais sapeca da turma me condenava.Não, eu não dava a mínima disso.Bom, eu sempre tive a habilidade de escrever histórias.Sra. Jessie dizia que eu inventava histórias com deuses gregos e feras horripilantes aos 5 anos.Eu ainda rio disso até hoje.Quando fui ficando mais velha, eu mudei minhas escolhas, acabei me tornando uma intelectual e aí fiz 3 amigos, Rony, Leah e Beatrice.Quase ninguém me amava, ou se amava não demonstrava, pois eu gostava de todo mundo, os tratava como meus amigos.Como toda garota, eu escondo segredos, alguns deles é que sei dançar valsa, acho que consigo manipular as pessoas com meu jeito de "amar" e que sou ótima quando se trata de lutas, principalmente se for utilizado arcos.No colégio eu tirava boas notas, era respeitada por algumas pessoas, mas nada além disso, uma vida totalmente normal.Teve um dia, um dia em que acho que foi o pior e o melhor desde que me entendo como gente.A Sra. Jessie havia falecido.Em seu velório, foram vários amigos e crianças lá do orfanato, menos as suas 2 filhas, Raquel e Mendie.Eu estava triste e ao mesmo tempo revoltada, pois poxa, a mãe delas havia morrido e elas nem apareceram no funeral.Eu permaneci no cemitério até todos irem embora, estava com a esperança que as filhas dela iriam chegar, mas pelo contrário, ninguém veio, assim comecei a andar pelo lugar.No meio de tudo aquilo que acontecera, eu não pensava em mais nada a não ser como iria prosseguir sem minha mentora.Tudo ia bem, até que escutei passos atrás de mim.Como sou uma garota curiosa, eu me virei e dei-me de cara com um sátiro.Comecei a rir, aquilo não podia ser real, podia?Mas era -.-
Eu o perguntei o que queria comigo, e ele começou a falar que eu era filha de Eros, o deus do amor.Claro que aquilo só poderia ser bobagem, mas o porque um sátiro iria me contar aquilo se não fosse verdade?Eu o fiz várias e várias perguntas, ele quase nem me respondera, sempre dizia "Irá encontrar isso senhorita no Acampamento Meio-Sangue", mas que coisa é essa?Eu o olhava e ficava repetindo isso sempre.Bom, resumindo, conversamos por mais de 2 horas eu acho.Depois ele disse que era para mim fazer as malas que iríamos a esse tal acampamento.

avatar
Giovanna Strider
Filhos de Eros
Filhos de Eros

Mensagens : 3
Data de inscrição : 19/04/2013
Localização : Acampamento Meio Sangue

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Sex Abr 19, 2013 8:23 pm

Seria interessante se tivesse alguma luta mas tudo bem, sei que com o tempo vai melhorar. Atualizado. Seja bem vinda >.<
Obs: Não se esqueça de pedir presente de reclamação

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Kristen Van Dev. LeFay em Sab Abr 20, 2013 6:05 pm

1) Nome: Kristen Marie Van Deveraux LeFay

2) Quer ser filho de qual deus? (3 grandes e Nyx requer teste especial) Hécate

3) Por que quer ser filho desse deus? Eu poderia colocar vários motivos. Como o fato de gostar da deusa ou por achar ela poderosa e todas essas coisas… Clichês. Mas se for para ser sincera então acho que nenhuma resposta é boa o suficiente. Quando eu era pequena e ainda morava com minha madrasta, toda vez que ela chegava em casa eu ficava assustada, então eu subia no telhado e ficava observando a lua. Gostava ve-la a noite toda, ate que a manhã vinha e ela ia embora, me lembrando que embora tranquilizante, minha paz era passageira e um novo dia estaria se iniciando para me lembrar que não, apesar dos fingimentos minha vida não era perfeita. Hécate pode não ser a deusa mais forte do olimpo, mas sempre foi a unica que viu minhas lagrimas e a unica que me acalmou nas piores noites, mesmo que não soubesse estar fazendo isso. É por isso que minha escolha é ela.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido. Um tanto sombria, enigmática e não me misturo com outros facilmente. Me sinto melhor sobre a luz do luar.
Possui uma característica incomum, que é a tripla personalidade, um traço herdado de minha mãe. Outra característica minha é a íris multicolorida, que muda de cor de acordo com as minhas emoções. Geralmente cores bem incomuns (tais como roxo, cinza, amarelo, laranja, vermelho, dourado, prata, etc.) que antigamente caracterizava as bruxas.

5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).
Muitos dizem que uma pessoa só morre quando seu coração para de bater, o que geralmente acontece em uma idade mais avançada ou por um terrível acidente. Eu discordo. John Deveraux LeFay, meu pai, morreu no momento que se casou. Não uma morte de sentidos, mas de alma. Isabella Caleigo era a mulher perfeita. Doce, delicada, gentil. Um perfeito exemplo e comigo sempre mostrara ser uma mulher muito materna. Quando olho para trás posso ver as pequenas fissuras em sua mascara, mas, criança leiga que eu era, como adivinhar que meu pai estava levando para casa um monstro que chamavam de princesa?

Nos primeiros meses após o casamento tudo ocorreu tão maravilhosamente bem que quase me esqueci da pergunta fantasma que repetia todas as noites: quem é minha mãe e onde ela esta? Aos poucos as coisas foram mudando. A mulher que era doce foi se transformando em uma pessoa fria, cruel, egocentrica. Nos mudamos para Nova Iorque. Uma cidade belissima de acordo com Isabella. Não tanto na minha opinião. Eu sentia falta da minha casa, dos meus avós, as unicas pessoas alem de mim que realmente viam quem era a nova Sra. Deveraux, da ilha. De tudo.

Mais acima de qualquer coisa: eu sentia falta do meu pai. Sentada em uma mesa escrevendo as poucas memórias que me restam de uma vida dolorosa, eu ainda me permito devagar para as tardes de verão onde iamos até a praia. Eu, ele, meus avós, meus primos. Andando com pés descalços sobre a areia, contando histórias e lendas sobre Athanasía e a torre dos relógios. Das corridas, brincadeiras de conchas, das inúmeras risadas ao lembrar de minha querida tia Beth. Não tenho palavras para descreve-lo como é agora, ou como era quando o vi pela ultima vez. Sempre jogado no sofá, uma garrafa de vodka na mão, bebado demais até mesmo para entender que eu era sua filha. Sua garotinha, e, que não estava tentando fazer mal algum a ele, que era o que ele insistia em gritar, enquanto me batia em suas piores noites, geralmente quando Isabelle saia acompanhada pela porta por homens ricos, nascidos em berço de ouro, segundo ela.
Acredito que minha vida mudou completamente na noite em que meus avós morreram. De tudo o que havia me acontecido até aquele momento, aquilo foi definitivamente o mais doloroso. Isabella ao receber a noticia ria, descontrolada… Histérica. E meu pai, embora houvesse acabado de perder duas das pessoas que ele mesmo dizia ser as mais importantes em sua vida, continuava bebendo como se a noticia não fosse nada que valesse seu tempo. Naquela noite sozinha no telhado eu chorei como nunca havia chorado até então. Meus pilares eram os meus avós e se eu continuei viva até aquele momento era porque eles existiam, a querida Isabelle não queria que boatos ruins sobre sua adoravel pessoa circulasse em Messina.

O relógio badalou. Uma, das, três vezes e meu inferno começou nesse segundo. Isabelle surgiu e, com uma força que eu jamais acreditei que ela teria, saiu me arrastando escada abaixo. Meu pai apesar de ter sido levemente abalado pela cena não fez nada, absolutamente nada, que mostrasse que no fundo se importava. Nem mesmo enquanto a sua querida esposa gritava desaforos sobre como eu era ingrata e como minha mãe provavelmente devia ter visto o monstro que havia parido para ter me abandonado. Não lutei contra, não respondi, não fiz nada. Apenas me deixei ser arrastada no meio da noite para um beco, onde ela me largou após ter avisado para não voltar para a entrada do inferno que chamava de casa. Apesar de não ter o que temer eu não retornei, não naquela noite, nem nas seguintes. Daqueles dias só o que tenho são memórias borradas, que não faço questão de me lembrar.

Minha primeira experiencia fora do comum foi quando depois de vários dias sem comer, estando faminta, sedenta e suja me deparei com algo no minimo estranho. Estava passando por um beco, havia havistado uma velha senhora que sempre me ajudava, quando vi um pouco mais a frente uma menina. Diria que ela era mais nova do que eu, com algo parecido com uma adaga em mãos, lutando contra um cão enorme. Porque só podia definir aquilo como um cão. Fascinada eu observei quando ela enfiou a adaga em um dos olhos da criatura e em poucos minutos ela se transformou em pó. A garota caiu. Estava tão machucada e eu queria tanto poder fazer algo. Corri até dois policiais que estavam sentados em frente a uma cafeteria algumas ruas atrás e os levei até o beco explicando tudo o que havia visto, mas quando chegamos lá não havia nenhuma garota, ou sangue. Não havia nada. Me taxaram de louca. Ir parar em uma clinica psiquiatrica foi inevitavel após isso.

St. Salutem era tudo o que um hospital não deveria ser. Localizado perto de Long Island ele se assemelhava muito a uma fortaleza na beira do mar. Perdi a conta de quantas vezes recebi o tratamento de choque dado a todos os internos, de quantas atividades para restabelecimento social tive que fazer, de quantas pessoas vi ir e voltar nos corredores sujos daquela terra de ninguém. Em um momento passei a acreditar que de fato era louca, que a menina e o cão eram alucinações de minha mente fraca após semanas vagando pelos becos imundos de Nova Iorque. Se não fosse por um descuido da enfermeira eu até hoje estaria decifrando figuras e observando a lua pelas grades da minha cela.

Foi em uma noite de lua cheia que fugi. Meu quarto era no alto de uma das torres e a enfermeira acreditando que eu estava dormindo foi buscar minha dose diaria de remedios, dada todas as noites. O pior erro dela e a minha salvação foi sua falta de atenção ao fechar a porta que ficou entreaberta e me permitiu correr até estar sentindo o ar noturno em cima de um dos longos muros.

A morte pode ser vista de várias formas. A insolente que leva pobres almas para joga-las em um mundo duvidoso. A amiga que acolhe debaixo de seu manto aqueles que sofrem durante sua monótona existência. A dissimulada que promete aos delirantes um novo conto rodeado de fantasias juvenis. E a manipuladora que arrasta lentamente os suicidas na beira do abismo até as profundidades pútridas do subsolo. Para mim ela era uma libertadora, que carregaria minha alma pelos reinos de Morfeu.

A unica coisa que pensei enquanto ouvia os gritos das enfermeiras e me lançava em direção ao mar foi porque mamãe havia me deixado, tão sozinha, com um pai morto e em um lugar tão, tão escuro.

Muitos me perguntam como achei esse estranho lugar onde hoje moro. Não sei responder. Quando me joguei do muro acreditava que iria morrer, mas acordei no outro dia com um estranho ser metade cavalo me olhando enquanto um garoto loiro falava sobre ter me encontrado em uma praia. Foi realmente dificíl aceitar quem eu era e a minha realidade, no inicio achava que havia morrido ou que aquilo era apenas mais um de meus delírios. Mas continuo aqui e aos poucos a nevoa conturbada de remédios a qual fui submetida se dispersa mais e mais.
avatar
Kristen Van Dev. LeFay
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 2
Data de inscrição : 19/04/2013

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por jonatha em Sab Abr 20, 2013 8:56 pm


1) Nome:
Jonatha Gomes

2) Quer ser filho de qual deus? (3 grandes e Nyx requer teste especial)
APOLO
3) Por que quer ser filho desse deus?
Alem das habilidades acho ele legal...
O calor do Sol é necessário para muitas coisas.

4) Cite :suas características que se assemelham ao deus escolhido.
OLHOS:verdes
CABELO:loiro
COR DE PELE:branca:
GOSTO MAIS DO SOL DOQUE DA CHUVA
Smile
5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).
Em uma cidade como qualquer outra nasci e cresci até meus 15 anos até descobrir ser filho de APOLO...
Minha mãe(ANGELA) me disse uma vez que antes de ela ter casado com meu pai(Marcos um advogado bem sucedido) ela teve uma relação com um homem que disse para ela que era APOLO, apesar de ela não saber da história do deus ela teve a relação sem que meu pai soube-se eles se casaram e tiveram uma vida feliz até eu fazer 10 anos quando começaram as brigas por causa das minhas notas mesmo estando em uma explicadora...
Quando fiz 14 anos minha mãe resolveu me levar para o acampamento porque o homem dissera para ela me levar antes dos 15 anos porque poderia ter sérios ricos como morte.
Ela dissera pro meu pai Marcos que ia passear comigo e me levou até o carro, na viagem ela me contou a história dela e com medo do perigo ela procurou andar pelo caminho mais longo com mais movimentação por causa da segurança...
Passou-se 5hrs até chegarmos ao aeroporto pegando o avião para o local mais próximo da colina...
Chegando ela pegou um taxi para a colina um cara gordo grande e educado com um cheiro de churrasco mal passado.
Viajamos em silencio e quando chegamos o cara perguntou oque eu tava fazendo ali eu fiquei em silencio mas minha mãe falou que iria acampar...
Quando o homem se levantou e falou:
Vocês não vão passar daqui... me desculpem
Nós corremos para cima da colina e minha mãe me disse:
Não posso passar da li continue...(apontando para uma arvore grande no topo da colina.
Eu falei:não posso deixar você para traz!
Ela disse: Pode deixar jonatha tenho um plano...Adeus filho la eles te contaram porque não pude ir contigo...
Eu continuei correndo enquanto ela sumiu da minha vista, o cara continuou me seguindo a deixando ir. Fiquei feliz por isso.
Quando eu chego perto do topo escuto a buzina do taxi e olho para ele e vejo mina mãe indo embora e fazendo um sinal de xau...
Passando da colina e desci em uma casa grande e como estava casado da viagem e da corrida com o gigante dormi que nem uma pedra me sentindo seguro por estar em uma casa...


jonatha
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 1
Data de inscrição : 20/04/2013
Idade : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 8 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum