Ficha de Reclamação

Página 5 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ficha de Reclamação

Mensagem por Narrador em Qua Dez 26, 2012 9:22 am

Relembrando a primeira mensagem :

Os semideuses que desejam ser reclamados devem postar sua Ficha de Reclamação NESTE tópico... Aqui vai a Ficha:


1) Nome:

2) Quer ser filho de qual deus? (3 grandes e Nyx requer teste especial)

3) Por que quer ser filho desse deus?

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.

5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).



Última edição por Narrador em Sex Dez 28, 2012 7:43 am, editado 1 vez(es)

Narrador
Mortos
Mortos

Mensagens : 141
Data de inscrição : 24/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Seg Fev 04, 2013 5:05 pm

Josephe D.Fuego - Reprovado, a ficha ficou mais ou menos, eu achei criativo e engraçado a sua explicação do porque quer ser filho dela, mas as características não tem nada a ver com o deus. Sua história não ficou muito boa, ela ficou meio fraca, complicada e tinha vários erros, de pontuação, ortográficos e de acentuação. Tente melhor porque eu sei que você pode Wink

Giovana Pendragon - Orfeu não pode ter filhos...

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Giovana Pendragon em Ter Fev 05, 2013 1:03 pm

1) Nome:Giovana Marie Pendragon

2) Quer ser filho de qual deus? (3 grandes e Nyx requer teste especial)
Apolo
3) Por que quer ser filho desse deus?
me indentifico com o mesmo pois sempre tive contado desde de pequena eu gostava de musica a musica me anima me faz pensar enteder sonhar e alem do mais não consigo mentir e gosto tudo relacionado com esse deus
4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.
eu gosto de musica,poesia artes em geral profecias e também gosto de ficar ao sol
5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).
deste de pequena eu era destaque em clubes pela minha voz na escola. Aos nove tive uma banda de escola que embora não durou um ano era a única coisa que me fazia esquecer de tudo era única coisa que amenizava a dor de eu ser uma orfã que perdeu ,por motivos de doenças a mãe acabou falecendo. era a única coisa que me fazia esquecer o orfanato onde apesar de tudo de ser diferente eu tinha colegas quanto cantava parecia que o tempo parava. Mas eu nunca parava em um escola só por mais de um ano no meu 4 ano parti o Record passei um ano e 1 mês . Só como minha alegria acaba pouco fui perseguida por um mostro estranho o que era normal já para mim, mas esse ano seria normal. ah como estava enganada, já fazia dois bimestres que estava ali e tudo normal. até que.....
_Estava te procurando Giovana Pendragon-pera ninguém me chamava de Giovana a não ser que..... O garoto começou a crescer e se tornar um mostro, “mas o que!?! Mais um não!” foi meu pensamento na hora até que ouvi uma voz conhecida
_Pegue isso aqui Gina - disse meu professor de história me tacando uma espada ne parei para analisar dei um golpe na barriga e ficou só um cheiro de enxofre no ar
_o que foi isso?-perguntei meio atordoada ele nada me falou só literalmente me puxou para um carro ele nada disse na viajem só falava lá eu te conto mas aonde seria lá tinha tantas perguntas num monto só então desci do carro e olhei só via floresta até que segui meu professor
_o que estamos fazendo?-ele virou para mim e falou-lembra daquelas histórias antigas da antiga Grecia-depois que assenti ele continuou-então e se eles existissem até hoje?
_ impossível-eu disse ele apenas sorriu e disse
_ é tão verdade que você é uma semideusa-eu tava esperando ele dizer que era brincadeira mais isso não veio ele só parou na frente de uma colina e disse_Bem vinda ao seu novo
lar Giovana Pentragon
avatar
Giovana Pendragon
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 42
Data de inscrição : 03/02/2013
Idade : 37

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Ter Fev 05, 2013 2:12 pm

Giovana, sua ficha foi pequena e com erros que contam muito em avaliação, tal como: Inicio de frase se escrever com letra maiúscula.
Sugiro que preste mais atenção nisso e use um atalho para as falas que se forma o travessão: Alt + 0 + 1 + 5 + 1 . E também um aplicativo de correção ortográfico como o Microsoft Word ou BrOffice.

Aprovada, Filha de Apolo.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Luana McLean em Qui Fev 07, 2013 4:09 pm

1) Nome: Luana McLean

2) Quer ser filho de qual deus? Afrodite

3) Por que quer ser filho desse deus? É a deusa que mais gosto em toda a mitologia e a que mais me identifico. Adoro seus poderes ue aparentam ser inocentes, mais são muito poderosos.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido: Beleza, carisma, popularidade e sou muito namoradeira.


5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).

Sempre fui criada em Nova York com uma família adotiva, meu pai é um empresário muito bem sucedido minha mãe é estilista, ambos super realizados com seus empregos, seu dinheiro e seu sucesso nunca haviam planejado ter um filho, até eu aparecer na porta deles. Minha mãe me contou que eu era tão, mais tão linda, que eles não tiveram coragem de me largar em um orfanato então resolveram mudar todos seus planos. Durante anos fui a garota mais popular da escola, super mimada pelos meus pais que me davam tudo, mais nunca estive totalmente satisfeita, sempre quis saber sobre meus pais de verdade. Um dia liguei a TV e passava um filme sobre mitologia grega, eu resolvi assisti, não que o assunto do filme me interessasse, mais o meu ator favorito Tristan Mclean estava atuando, e eu não perdia a oportunidade de ver aquele gato, mais algo estranho aconteceu, assim que começou o filme, eu dormi sem nem ao menos está com sono, e logo comecei a sonhar, No sonho uma mulher muito linda me apareceu, quer dizer, linda não e uma palavra pra defini-la, ela era realmente perfeita, sem nenhum único defeito, e ela falou: - Filha, desculpe passar tanto tempo sem lhe dizer a verdade. Sente-se, vou lhe contar tudo agora - Eu olhei pros lados e uma cadeira feita de varias roseiras entrelaçadas se formou, eu sentei sem hesitar e ela continuou a falar - A alguns anos atrás, eu conheci um ator muito lindo de nome Tristan McLean, tive uma historia de amor com ele e não demorei a engravidar, mais não podia continuar com ele então deixei ele e minha filha, a Piper, sem a honra da minha presença. Os dois viveram bem durante um ano, apesar da saudade que Tristan sentia de mim, ele estava quase em depressão, quando surgiu um novo papel no cinema pra ele, e novamente fez muito sucesso. Eu não resisti olhar ele em tantos pôsteres, em tantas revistas, estava mais lindo que nunca. então cedi a tentação e voltei, disse está arrependida, e ele não hesitou em me perdoar, ficamos juntos por uma semana, quando engravidei de novo. Seria muita crueldade deixar mais uma criança pra aquele pobre homem cuidar, ele já corria sérios riscos de depressão quando tivesse de me perder mais uma vez, se ainda tivesse outro bebe, ele não suportaria e seria capaz de enlouquecer. Esperei todos dormirem, dei um beijo nele, outro na minha filha que dormia no berço e fui embora na calada da noite, quando você nasceu, te deixei na porta da melhor família que pude escolher, e cuidei para que eles lhe quisessem. - então eu interferi na historia, perguntei por que ela tinha que nos deixar, por que não vivemos os 4 como uma família normal e ela respondeu - Eu não posso. Não pertenço a esse lugar, filha, não posso demorar muito tempo, quando você acordar, vá até o seu motorista, ele sabe de tudo, e te levara aonde precisa ser levada. Vá rápido, antes que te achem, seu cheiro está ficando forte, isso não vai demorar pra acontecer. - Então eu acordei atordoada. Queria achar que fosse só um sonho bobo, mais sabia que não era, tudo fora muito real. Corri até meu motorista, e lhe pedi uma explicação. Então ele fez algo que eu realmente não esperava, ele tirou as calças, E pernas de bode apareceram. Eu quase cai de susto, mas ele me mandou entrar no carro, e seguiu viajem. Chegamos em um tal de “acampamento meio sangue” la me explicaram tudo, que eu sou uma semi-deusa, que a mulher perfeita que me apareceu é Afrodite, e que aquele acampamento de agora em diante seria o meu lar.

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

avatar
Luana McLean
Filhos de Afrodite
Filhos de Afrodite

Mensagens : 9
Data de inscrição : 07/02/2013

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Qui Fev 07, 2013 4:10 pm

Reclamo minha filha

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidado em Qui Fev 07, 2013 7:52 pm

1) Nome: Brietta Foster Sheelwood.

2) Quer ser filho de qual deus? Deméter.

3) Por que quer ser filho desse deus?
Olhos vazios que de repente te fitam como se fossem queimar sua alma. Talvez essa seja a melhor maneira de descrever a garota que falamos. Em verdade, Brietta parece uma das mais calmas garotas que você já conheceu, embora em sua mente isso não seja verdade; ela viaja longe nos seus pensamentos. Nunca, nunca para de pensar, e uma pequena pergunta pode significar o despertar de toda uma filosofia inteira.
Por outro lado, tende a ser cruel, às vezes, uma vez que não tem exata noção de certo e errado e limites; a despeito disso tudo, tem um coração bom... ou ao menos o protótipo de um. Não vai te salvar só por gostar de você (coisa raríssima de acontecer, diga-se de passagem), mas se você for útil é outra história. Não é muito suscetível a culpa ou mesmo golpes de consciência; se não faz algo que quer, será por medo de ser punida, e só tem medo de ser punida por algo que já fez e acabou apanhando, ou coisa parecida. Pode não parecer à primeira vista, mas Brietta é muito inocente e simples, raramente enxergando as mentiras dos outros ou seus propósitos maus; sua antissocialidade, apesar de tudo, protege-a dos interesseiros uma vez que é preciso persistência para tirar algo da garota. Também não é agressiva, só responde os estímulos violentos na mesma moeda, nunca dando a outra face.

5) Narre sua história.
Quando se deitam na grama verde para observar as estrelas, a única esperança que se tem é de que o céu estará limpo, não haverá nenhuma partícula de poeira no céu que não sejam desejos mortos, não haverá fumaça ou neblina que torne deplorável a visão da infindável noite.A única esperança que se tem é que o paradoxo temporal se manterá continuo e desconexo. Venho lhes contar, como autora, a história de uma garota que sonhava em entrar em um balão e atravessar dimensões: a história de uma garota que esperava acima de tudo, vasculhar cada pedaço desse finita dimensão. Praticamente uma loba. Uma loba má,que não come garotinhas de capuz vermelho, mas que come sonhos, que digere mundos e regurgita guerra. Uma guerra sem fim,uma guerra no tempo, no espaço e nas memórias. Não pisque... Não pisque... Senão você pode se perder no silêncio.

Vou lhes contar um segredo. O medo existe. O tempo resiste e o universo é real. E tudo que lhes apresentei tem forma. Forma física, externa e adaptável. O medo a abençoou. O tempo a guardou. E o universo deu a ela uma segunda chance. Chance de ser a mais veloz, a mais forte, a mais rebelde..Uma única segunda chance para sobreviver. Não se assuste se encontrar alguma besta. Um instinto dentro de seu pequeno coração o fará lhe proteger. Não esperem muito mais que isso. Não esperem mesmo.

Agora,que estava presa em uma terra que amava, mas foi sugada, sugado por um buraco negro que o prendeu. Prendeu dentro de si. A amarrando em um tormento confuso e aconchegante. Um tormento próprio que não teria fim.Quem sabe? Tudo tem um fim,todas as jornadas chegam a um ponto do qual não podem ultrapassar. Todo tempo tem fim,todo paradoxo tem alguma resposta. Ou não... O Destino prega peças, certo?! O tempo também.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Bruno Baudelaire em Sex Fev 08, 2013 9:37 am

1) Nome: Bruno Lockwood

2) Quer ser filho de qual deus? Éolo

3) Por que quer ser filho desse deus? Eu sempre tive uma paixão desconhecida pelos ventos, como se todos os meus problemas acabassem assim que que aquela rajada de ar chicoteava meu rosto. Éolo é uma inspiração para mim, e eu ficaria muito honrado em tê-lo como meu pai, poder lhe adorar e lhe oferecer coisas por pura e espontânea vontade. Sabe, é estranha a ligação que sempre tive com ele, mesmo estando distante, era como se ele estivesse lá, pronto para me guiar, pronto para me mostrar o caminho certo.

5) Narre sua história:
Era começo de agosto quando a chuva resolveu despencar do céu. As pessoas todas apressaram-se em se acolher dentro de suas residências e aquecer-se o máximo possível, mas aquela pobre camponesa não tinha um lar, e seu bebê não sobreviveria naquela situação, então ela fez a única coisa que achou certa no momento, deixou-o nas mãos do destino, em uma clareira, entre as folhas secas que encontrará. E fugiu para sabe-se lá aonde, a única informação que tiveram da moça um tempo depois foi que estava morta, provavelmente de uma doença contraída através do frio e da chuva.

Mas naquela noite, a sorte do menino estava a seu favor. Um casal de idosos também se escondia da fúria dos céus e ouvindo o chorinho abafado da criança, correram para acolherem-no em seus braços.
Onze anos depois – quase doze, como Bruno costumava dizer – sua vida era muito feliz. Mesmo depois de diagnosticado com déficit de atenção e dislexia, Bruno se adaptou muito bem ao colégio, junto com os outros meninos da sua vila e levava uma vida quase que normal, mas uma coisa o diferenciava dos garotos normais: ele gostava de ficar na floresta, nos braços do vento, gostava de sentir a brisa batendo em seu rosto e se sentia bem mais forte nos dias de ventania. Mas sempre perguntava á seus ‘pais’ onde que eles o tinham encontrado, e nunca conseguia respostas.

Numa manhã de muita ventania, ele ouviu aquelas pessoas que cuidaram dele com muito carinho conversando:

- Lembra minha velha, quando encontramos o Bruno naquela clareira no meio da floresta?

- Sim, claro que lembro meu velho. Foi naquela noite tempestuosa. –

Ouvindo essas palavras Bruno correu para a clareira se perguntando que seriam seus verdadeiros pais, e de repente ouviu um som de cascos batendo contra a relva:

- Quem está ai? – Perguntou Bruno

Bééééééé

Ouviu como resposta

- Quem está ai? – Perguntou já impaciente

- Sou eu, Bruno.

E detrás das árvores saiu uma criatura meio-homem, meio-bode

- Uau um mutante! – Bruno disse, muito impressionado

- Não, eu não sou um mutante. Sou um sátiro.

- Que maneiro! Você gosta de comer grama?

- Não!- respondeu o bode - Mas esse não é o motivo pelo qual vim até aqui. Você precisa ir para o acampamento, logo mais os monstros começaram a vir atrás de você e nada poderá fazer sem treinamento adequado.

- Que acampamento? De que monstros vocês está falando? Eu to sonhando, né?

- Bruno, somente me leve até sua casa para que eu possa conversar com seus pais.

Assim Bruno fez, perplexo demais para perguntar alguma coisa. Já dentro de casa, Jones – esse era o nome do sátiro – explicou toda a história de vida de Bruno enquanto estranhamente comia a caneca que alguns minutos atrás, estava cheia de chocolate quente. Ninguém questionou sobre isso, talvez achassem que fosse só um sonho coletivo. Os pais adotivos do garoto não sabiam o que fazer, mas sabiam que Bruno não podia mesmo ser normal e acabaram concordando em deixa-lo ir para o tal acampamento. Na manhã de despedida, Bruno e Jones – com um par de calças e sapatos de gente – pegaram um táxi para o aeroporto mais próximo de Dublin e foram para Nova York, a terra das oportunidades!
Bruno fez uma série de perguntas sobre Jones – Quem eram seus pais? Por que o haviam abandonado? Qual é o gosto de canecas? – E assim por diante, até que o avião pousou e juntos pisaram no chão de NY. Jones o guiou até o acampamento – por sorte nenhum monstro o seguiu até lá – e pararam diante de uma colina:

- Bem vindo – Jones disse apontando – Ao Acampamento Meio-Sangue, o verdadeiro lugar de um semideus

- Opa, um O quê? Bruno falou com os olhos arregalados

- Um semideus, metade humano, metade deus grego. Bruno, seu pai é um dos deuses, por isso nunca o conheceu, e sua mãe teve de abandoná-lo por falta de recursos pra te criar. Mas agora está seguro – Colocou a mão no ombro do menino e o levou para dentro daquele quase acampamento de verão.

avatar
Bruno Baudelaire
Filhos de Éolo
Filhos de Éolo

Mensagens : 3
Data de inscrição : 23/01/2013
Idade : 15

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Gabriel Belarmino em Sex Fev 08, 2013 12:17 pm

1) Nome:

Hóto Efestus Guear ( como o pai )

2) Quer ser filho de qual deus? (3 grandes e Nyx requer teste especial)

Hefesto ou (vulcano)

3) Por que quer ser filho desse deus?

Primeiro porque é um dos mais importantes na minha opinião já que ele forja as melhores armas e constrói os melhores autômatos , alem de ser o deus com quem eu mais me assemelho .

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.

Sou ótimo em construir e concertar coisas (trabalho como técnico de informática), meu pai é eletricista de autos (arruma carros), conheço muito sobre Hefesto Seu simbolo é a bigorna (porem se reclamar um filho com sua "personalidade" de Vulcano ele usa o martelo flamejante) seu animal é a codorna .

5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).

Hóto acordou em sua cama de cabo do exercito, levantou-se e colocou suas botas do exercito previamente amarradas, olhou para o relógio na parede que só tinha um ponteiro , o das horas por ele calculou que seriam cerca de 6:00 horas AM, caminhou até a porta dupla que dizia “SENAI Christofer Worre” ele a abriu chegando a um galpão que tinha 5metros de altura (ele sempre foi bom com ângulos e medidas apesar de ter uma dificuldade para se concentrar nas aulas e/ou no trabalho ), no galpão haviam varias maquinas de ferramentaria e usinagem , ele sabia como funcionavam todas afinal morava ali a 3 anos desde os 12 anos de idade, e apesar de sempre explodir misteriosamente as coisas sua ótima habilidade com maquinas e o lema da escola que era
“todo problema pode ser resolvido” o permitiram permanecer na escola por esse três anos , antes disso trocava de escola com que troca de roupa , a 3 meses havia ateado fogo em 30% de todo o óleo da escola e por isso acordava todo dia meia hora antes dos outros alunos para pagar pelo óleo ,
mas nessa manhã notou que já havia um garoto trabalhando
finalmente acordou – disse o garoto estranho com muita calma – te esperei muito tempo aqui.
Porque ? Para que ? – disse Hóto
para isso – disse o garoto enquanto sacava uma chave inglesá marrom e grande o bastante para apertar um pescoço. E parecia ser isso mesmo que ele queria fazer.
Hóto correu até a porta mas estava trancada , virou-se e engoliu seco.
O garoto começou a correr na direção de Hóto e quanto mais perto chegava mais feio parecia , ou melhor FICAVA suas sobrancelhas começaram a se juntar até se tornarem uma só , e quando ficou a uns 10metros o mesmo ouve com seus olhos ou OLHO, Hóto esfregou os olhos e tudo piorou porque agora além do gigante caolho a sua frente com uma chave inglesa que estava cada vez mais parecida com um tronco havia também um bode-homen ou homen-bode com uma clava na mão que olhou para trás e disse – vai eu cuido de tudo – o sátiro era o diretor da escola Sr. Worre que derrubou o grande ciclope no chão com tanta velocidade que Hóto não conseguiu nem se mexer , quando o ciclope tocou o chão se transformou em um pó dourado o diretor pegou sua mão e disse
vamos , logo chegarão mais inimigos – sairão da escola, chegaram ao estacionamento e subiram na Harley Davidsom do diretor.
Onde vamos ? – perguntou Hóto
ao Acampamento Meio-Sangue .

Gabriel Belarmino
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 3
Data de inscrição : 07/02/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Sab Fev 09, 2013 11:02 am

Brietta Sheelwood → Reclamada.
Bruno Baudelaire → Reclamado, gostei muito da sua ficha.
Gabriel Belarmino → Reprovado. Tente se esforçar mais da próxima vez. E escolha se quer ser grego ou romano. Gregos vão acompanhados de sátiros ao Acampamento Meio-Sangue e Romanos vão sozinhos ao Acampamento Júpiter.

ATUALIZADO por Héstia!

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Dominik Grunwald em Dom Fev 10, 2013 5:54 pm

1) Nome: Dominik Grunwald

2) Quer ser filho de qual deus? Apolo

3) Por que quer ser filho desse deus? Todos os testes que eu fiz deram Afrodite e eu acho que esse Deus se encaixa na minha descrição perfeitamente.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.

-Única característica que me poe em relação à esse Deus é simplismente a Arte.

5) Narre sua história

Nasci cantando . Aos seis anos seus pais humanos odiavam minha voz, porque de tão bela, ela tinha de irritante, pois eu não parava de cantar .
No fim, o castigo perdurou e até que valeu a pena, mas uma coisa eu consegui que me ajudasse nesse meu tal gosto pela música e pela arte em geral; A internet.
Ela me ajudou a criar, saber, ver , ser.
Conforme eu fui crescendo fui-me moldando conforme meus gostos vinham se apurando cada vez mais e mais , depois de algum tempo , me vi no estilo e num meio que eu amo de paixão e que , por mais que as pessoas odeiem, é muito respeitado na área da arte.
Matei meus pais. Só que ao moldar a cara deles para um evento sobrenatural.

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------



Dominik Grunwald
avatar
Dominik Grunwald
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 1
Data de inscrição : 10/02/2013
Idade : 22
Localização : Alemanha

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Seg Fev 11, 2013 7:56 pm

Acho que seu teste pode ser melhor se descobrir outro deus em comum com vocÊ.. Não há apenas os Olimpianos, há também ou menores e primordiais como Anteros, Nyx, Érebo, Melinoe e outros que podem falar melhor pra você que apenas arte.
Quanto a sua ficha, ficou muito a desejar. Se escolher um destes que falei, pode pesquisar e falar mais e criar uma história mais emocionante. Boa Sorte na próxima.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Dianna Tommien em Ter Fev 12, 2013 4:05 pm




Dianna Tommien
Ficha de Reclamação


1) Nome:
Dianna Tommien.

2) Quer ser filho de qual deus?
Desejo ser reclamada pelo Deus Eros.

3) Por que quer ser filho desse deus?
Ele é o amor e a força que une as pessoas, não importa o que elas estejam passando, mas ele sempre tenta dar um jeito. Como ele, eu sou assim. Não gosto de brigas, desunião e muito menos ódio e avareza. E também adoro dar uma de cupido.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.
Simpática, amorosa, tenho olhos sinceros e bem comunicativa. Tento também unir quem se gosta.

5) Narre sua história
Acordei cedo no meu primeiro dia de férias. Estava animada para o que estava por vir, afinal era dia do meu aniversário de 10 anos. Peguei um vestido rosa e fui me arrumar em frente ao espelho do meu quarto. Não demorei muito, pois já estava guardando esta vestimenta para esse dia especial. Coloquei uma sapatilha branca e minha tiara de princesa e fui para a sala ver como estavam os preparativos para a festa que minha mãe iria dar no nosso apartamento. Quando cheguei na sala, balões rosa e branco em variadas formas enfeitavam o local. A mesa estava uma delícia já nesta hora de manhã e as paredes cheiras de adesivos com meu nome e alguns com parabéns.
— Feliz aniversário minha princesinha - disse uma voz atrás de mim que eu conhecia muito bem, minha mãe.
— Mamãe! Está tudo lindo pra festa. Meus amigos vão adorar! "Principalmente o Miguel e a Jhu"
— Que bom que gostou, mas tenho que ir buscar o bolo que encomendei na confeitaria. Já volto princesa.
Minha mãe saiu e fui para o quarto dela o mais rápido que pude para procurar meu presente. Depois de alguns minutos frustrados na tentativa de procura, vou para a sala e fico quieta no sofá assistindo TV enquanto minha mãe não chega.
Alguns minutos se passaram e minha mãe chegou com o bolo mais perfeito de todos, ele era de chocolate com cobertura de chantili e raspas de chocolate preto e branco. Minha mãe foi guarda-lo na geladeira para ficar mais gostoso.
Quando eram cerca de 14:00 horas, meus melhores amigos Miguel e Jhu tinham chegado. Fui buscar refrigerantes para eles e alguns salgadinhos que minha mãe fizera. Chamei a Jhu pro meu quarto para mostrar minhas bonecas e a campainha tocou. Fui atender e algumas crianças entraram. Não consegui identificar todos, mas eu tinha certeza que um aluno novo chamado Yuri tinha vindo de penetra. Eu não gostava dele, ele tinha algo de mal no olhar, como se quisesse fazer as pessoas se darem mal. Não liguei se ele tinha vindo ou não, apenas quis ficar com meus amigos e dançar algumas músicas que coloquei para tocar no rádio. A Jhu estava curtindo a festa, mas o Miguel estava muito preocupado e paradão num canto olhando ao redor, como se alguma coisa estivesse errada. Parei de dançar e fui até ele.
— Ei, vem dançar e para de ficar ai parado no canto seu bobo.
Ele demorou a perceber que eu estava falando com ele e percebi para onde ele olhava. Para o menino não convidado.
— Ah! Deixa o penetra pra lá e vem curtir a festa. - o puxei a força para o meio das meninas.
Continuei a dançar, mas passei a ficar preocupada com o Miguel e com a implicância dele com aquele garoto.
Quando foi a hora de cantar o parabéns, todos se reuniram em volta da mesa e alguns tiraram fotos comigo para lembrança do aniversário. Fiquei atrás do bolo como de costume e todos cantaram alegres o "Parabéns pra você".
Todos comeram o bolo e minha mãe disse que ela tinha feito. Depois de distribuídos os docinhos e saquinhos surpresa, a grande maioria foi embora, menos Miguel, a Jhu e o Yuri que ficou na sala terminando de comer o bolo. Depois do pai da Jhu vir buscar ela o Miguel me mandou ir abrir os presentes que ele já estava indo também. Eu fui e fiquei aguardando.
Comecei a ficar impaciente com a demora e fui ver porque ele não tinha vindo. Quando cheguei na sala, me deparei com a minha mãe segurando uma faca com uma luz refletindo nela, acho que bronze e o Miguel no chão com um corte no braço e tudo sujo de pó dourado. Minha mãe olhou para mim e alternou os olhares para o meu amigo ferido e disse a ele:
— Chegou a hora..
Não sabia do que se tratava, mas ela veio até mim pondo a faca na minha mão. Fiquei assustada, mas acho que ela parecia muito mais.
— Filha.. Você vai para um Acampamento de Verão com seu amigo Miguel tudo bem? E vai ser agora. Quando chegar, procure por uma pessoa e diga seu nome que ela saberá o que fazer. Procure uma menina chamada Gwen.. e diga que eu mandei lembranças.
Nada pude fazer senão respeitar, pois suas regras foram dadas e parecia urgente. Ela me deu um abraço e me ajudou a fazer a mala. Me deu dinheiro para a passagem e me deu um beijo. Quando saímos do prédio perguntei ao Miguel em qual acampamento nós iríamos e ele respondeu:
— Acampamento Meio-Sangue.

TEMPLATE CRIADO PELA CATT

avatar
Dianna Tommien
Filhos de Eros
Filhos de Eros

Mensagens : 10
Data de inscrição : 12/02/2013
Idade : 15
Localização : Acampamento Meio-Sangue

Ficha do personagem
Level: 2
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Ter Fev 12, 2013 4:38 pm

Reclamo minha netinha ^.^

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Frederico H. Fray em Qua Fev 13, 2013 8:20 am

1) Nome: Frederico Fray

2) Quer ser filho de qual deus? (3 grandes e Nyx requer teste especial) - Thanatos

3) Por que quer ser filho desse deus? Por ele ser o deus dos mortos e das coisas que o cercam, e eu gosto muito desse tipo de coisas inclusive ver mortes e a presenciar.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.
- Não sou sensível a morte , gosto muito de coisas que mecha com o psicológico das pessoas e não temo nunca a morte.

5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).
Eu me chamo Frederico Fray , morro em New York , minha mãe morreu em um acidente misterioso de carro, eu estava com ela, mas não sofri nem um dano , creio porque sou filho do deus dos mortos, Thanatos, minha vida sempre foi corrida fugindo de lá para cá da policia de pessoas que queriam me matar, e também das criaturas mitológicas que sempre tentam me matar, ai isso é um saco, bem um dia fui saquear uma loja, estava indo tudo bem peguei o dinheiro de quase todos e quando estava saindo algo me chamou a atenção uma linda garota de olhos azuis e cabelos azuis ,linda muito linda mesmo, olho para ela por alguns segundo e saio correndo de dentro da loja.
Já havia se passado uma semana desde que eu fiz um assalto, eu vivia nas periferias de NY, eu roubava para sobreviver , todas as tardes ia ate o túmulo de minha mãe e conversava com ela, sempre era uma dor terrível esta lá , eu sentia muito sua falta , mas sempre que estava lá no cemitério sentia uma calma uma leveza algo reconfortante. Estava tudo em silencio quando escuto uns quebrar de galhos, me viro rápido mas nada esta lá , nada alem de uma leve brisa , olho novamente para o tumulo e ouço de novo os galhos quebrarem viro rapidamente e lá esta ela a garota da loja me observado, olho para ela dos pés a cabeça e digo:
- Quem é você? Por que esta me perseguido? Quem mandou você aqui?
Ela me olho e da um sorriso de canto de boca e fala:
- Não são muitas perguntas para um fugitivo?
Levanto-me e me aproximo dela e digo:
- E aqui não é um lugar muito perigoso para uma garota como você esta?
Ela da uma risada e fala:
- Você é muito atrevido garoto, vim chama você para ir ao acampamento meio-sangue, como sabes é filho de um deus.
Fico impressionado pois pensava que era único.
- Existem mais pessoas como eu?
- Sim, eu também sou filha de uma deusa, mas deixe as perguntas para depois temos que sair daqui muitos monstros estão atrás de você.
Escuto um ruído muito forte vindo da floresta quando vejo uma criatura meio cobre e meio mulher sai de dentro de uma das covas.
-Equidnaaaaaaaaaaaa! Grita a garota.
Pego minha espada a (Vingadora Sagrada) giro 360º a criatura fala:
- Não me temas garoto, eu só vou comer você e sua amiga, só isso. Ela da uma gargalhada maléfica.
A garota aperta seu anel e ele vira um Cetro Mágico, fico impressionado .
Invisto um corte contra o monstro mais ele é ágil e foge para o lado, com sua calda ela me enrola e me sufoca, minha espada cai no chão e fico indefeso sem poder fazer nada, sendo sufocada a cada segundo pela calda de cobra. A garota olha para o bicho me sufocando e pega seu Cetro e Grita:
- Gelidus! O monstro é paralisado a parte da calda e não consegue se mover por uns minutos, ela corre pega minha espada e corta a cabeça do bicho que logo vira pó. Sou libertado.
Me recomponho olho para ela e digo:
- Muito obrigado, feiticeira eu me chama Frederico Fray! Levo minha mão para cumprimentar ela, ela toca-a e diz:
- Me chamo Annabel Baudelaire.
- Agora precisamos ir para o acampamento, se não mais criaturas como essa vão surgir. Ela me da minha espada e a sigo ate um local onde ela recita umas palavras e joga um dracma de ouro e onde dracma cai forma-se um taxi, o motorista diz:
- Para onde?
Entramos no taxi e ela disse:
-Acampamento meio-sangue! O carro segue em alta velocidade e em questão de minutos já estamos lá , somos recebidos com um grande banquete, e fizemos algumas oferendas aos deuses.
avatar
Frederico H. Fray
Monitores
Monitores

Mensagens : 210
Data de inscrição : 13/02/2013
Idade : 24
Localização : Não é da sua conta.

Ficha do personagem
Level: 32
Energia:
410/410  (410/410)
HP:
410/410  (410/410)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Qua Fev 13, 2013 10:28 am

Reclamado

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Nickolay Petrova em Qua Fev 13, 2013 7:22 pm

1) Nome: Nickolay Sasha Strakowitch Petrova

2) Quer ser filho de qual deus? Ares

3) Por que quer ser filho desse deus?
Pelo fato de eu ser uma pessoa meio explosiva, imprevisível, possuo um certo mal gênio e pelo fato de eu ser um homem protetor, assim como Ares, que apesar da fama ruim possui um protetorismo mútuo com os que lhe são caros.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.
Imprevisível, protetor nato, gosta de batalhas e não é de encontrar paz, a não ser nas guerras, pois ele é movido por agitação, o que lhe impulsiona e lhe dá sentido de viver é algo pelo qual lutar. Ama violência, mas tudo possui motivos, necessita um grande interesse em algo para lutar.

5) Narre sua história
Sou filho de Wendy e Ares. Nasci em 1995, cresci sozinho com minha mãe, apenas sabendo que meu pai havia morrido quando eu nasci em um acidente de carro. Segundo eu pensava por algum tempo. Eu e minha mãe quase sempre nos mudávamos para várias cidades, ela era arquiteta e desde pequeno via seus projetos, achava interessante, talvez fizesse aquilo, mas eu era agitado, muito. Eu quase sempre me metia em confusões, pois não levava desaforos para casa, uma provocação comigo e eu enfurecia a ponto de partir para um briga onde uma certa vez, três professores não foram o suficiente para me deter de sair dos murros num garoto maior que eu! Nasci na cidade da Rússia, Moscou, e desde a suposta "morte" de meu pai, minha mãe quis mudar-se comigo para os EUA na esperança de afastar as más lembranças. Eu pessoalmente nunca havia visto ou sabido de alguém de minha família, onde ele estava enterrado, pois, segundo minha mãe, o relacionamente com o tal homem, segundo ela, seu nome era Carlisle Petrova. Com 15 anos nos mudamos para um belo lugar na Califórnia, Seattle. Ficamos por lá por muito tempo, até meus 17 anos de idade, onde lá conheci um amigo incrível, chamado Ariel. Ele era engraçado, muito amigável, desde o início ele me chamou a atenção, por ser "diferente", mas logo achei que aquilo era da minha cabeça, pois eu sempre fora meio que diferente, muito forte, isso era o que minha mãe dizia para alguém, eu gostava de ficar no quintal de minha casa, treinando minha força, e minha agilidade, gostava de praticar esportes, na escola eu era popular, por ser o briguento, mas também quieto, quase ninguém puxava muita briga. Pelo fato de eu ser briguento, causava várias discussões verbais, pois quando eu gostava de defender uma causa eu até partia para briga fisíca para mostrar que minha teoria/opinião estava certa. Com 17 anos estava mais forte que nunca, eu nunca que imaginaria que iria ficar tão forte assim, e com uma aparência tão adulta para um jovem de apenas 17 anos de idade! Foi quando eu e Ariel, que estavámos acostumados a sempre ir acampar para beber, decidimos ir para a mata de Seattle, bela como sempre, era noite e estava perfeita. Ao som de Ride, ficamos conversando sobre tudo, todos. Ficar perto de Ariel era incrível.
- Cara. Isso aqui é o paraíso. Só queria saber no que eu vou me formar, último ano.
Falo sorrindo, minha voz grossa e gutural ecoando, estavámos perto de um lago, mais a frente uma espécie de abismo, fundo e invisível por causa do escuro.
- Eu não sei. Só sei que vou ficar ao seu lado.
Ariel e minha mãe eram os únicos que falavam de sentimentalismo e eu aceitava, minhas namoradas costumavam reclamar de minha frieza, insensibilidade.
Escutamos ecos pelo céu, rapidamente me levanto assustado, olhando ao redor, meus olhos rápidos procurando ver o que soltou aquele barulho infernal. Ao ver o que era ele se assustou; eram... mulheres com asas e seios, com pernas e asas parecidas com as de ave de rapina, gritavam e aquilo era irritante.
- O que é isso?
Falo ofegante e assustado, mas logo abaixo a cabeça, pegando um pedaço de madeira enorme, parecia até um cacetete, bato ele algumas vezes nas mãos e olho com raiva.
- Nick, temos de fugir, são harpias, criaturas horríveis, devem ter sentido seu cheiro, e como você...
Ele cessa rapidamente, olho ele nos olhos furioso e ansioso demais, como sempre fui.
- Fala logo, como eu o quê?
Agarro seu ombro direito e o mesmo geme, mas logo ele começa a falar:
- Olha, a história de seu pai ser um tal de Carlisle Petrova, é mentira, cara, seu pai se chama Ares, o deus grego da mitologia. Você deve ter ouvido falar na mitologia grega, não é? Claro, você já falou sobre esse seu fascínio nas criaturas gregas... bem, amigo, você agora faz parte da mitologia grega, filho de Ares, o grande filho de Zeus e Hera. Pai de Eros.
Balanço a cabeça negativamente tentando entender tudo aquilo que saiu de sua boca. Mas era muito difícil entender algo. Então me viro para o combate com as tais harpias. Ele logo abaixa as calças, me assustando e me mostrando seus... cascos? Ele tinha pernas com muitos pêlos, e tinha cascos. E apareçeu... chifres?
Faço uma cara de nojo sem querer.
- Que foi? Nunca viu nas literaturas ou em algum lugar os sátiros?
As harpias finalmente chegam e consigo acertar uma com uma madeirada na cabeça, por nossa sorte eram apenas quatro. Ele retira de sua bolsa uma pequena faquinha, que ele sempre guardava, era um pequenino canivete que logo transformou-se numa espada, na qual ele logo começou a atacar e logo a primeira morreu. Consegui atingir uma e ao cair no chão esmago sua cabeça. Que sensação maravilhosa! Matar! Eu viraria um serial killer agora? Não sei, só sei que iria aproveitar o máximo que eu pudesse. Logo ele jogou a espada para mim e acertei em cheio a terceira, e nem percebi a quarta vindo atrás de mim, e infelizmente ele se jogou na frente, arranhando as asas da mesma, e ambos caíram do precipício perto de nós, e como as asas da harpia haviam sido feridas não pôde voar por conta disto e do peso. Ele morrera! Vou na sua bolsa, onde havia um bilhete.
" Caso encontre, isto, é por quê você está muito perto de fazer dezoito anos, fiz recentemente pois cada vez você vai desconbrindo mais e mais seus poderes. Quero que vá a este endereço e antes se despeça de sua mãe."
Fecho o bilhete e vou atrás da mesma, que havia sido morta pelas criaturas. Fui ao enterro e peguei viagem para o Acampamento Meio Sangue, LongIsland. Decidido de encontrar outros como eu e matar criaturas horríveis e ruins como aquelas harpias.

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------




I’ve got a war in my mind. So, I Just Drive
Filho de Ares | Sexy | Baby I´m a Sociopat, Sweett Serial Killer | Tru Blood

TGI Red @ CG
avatar
Nickolay Petrova
Filhos de Ares
Filhos de Ares

Mensagens : 14
Data de inscrição : 13/02/2013
Idade : 22
Localização : Acampamento Half Blood

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Qua Fev 13, 2013 7:28 pm

Ficha muito bem elaborada, Reclamado Cria de Ares.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Lily Evans em Qui Fev 14, 2013 12:50 pm

Os semideuses que desejam ser reclamados devem postar sua Ficha de Reclamação NESTE tópico... Aqui vai a Ficha:


1) Nome:Lily Evans

2) Quer ser filho de qual deus?Eros
3) Por que quer ser filho desse deus?Porque me identifico com o Deus do amor e tenho uma grande admiração por ele.

4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.Sou bonita como Eros,gosto de juntar casais,tenho uma grande habilidade com sedução e digamos que se tivesse um espelho mágico eu perguntaria:Espelho,Espelho meu,existe alguém mais bela do que eu?

5) Narre sua história (Não haverá limites de linha, use e abuse de sua imaginação).

Era um dia como outro qualquer.Minha mãe a rockstar Marissa Evans havia decidido me levar ao parque de diversões.
Já está pronta Lily?Perguntou ela sorrindo.
Sim mãe.Respondi retribuindo o sorriso.
Eu era uma arqueira nata havia tido aulas de arquearia quando era criança e desde então o que eu mais gostava era de atirar flechas em alvos ao pôr do Sol.Sempre quando perguntava por meu pai,minha mãe dizia que ele se separou e foi morar em Paris.Éramos uma das famílias mais prestigiadas de Nova York,morávamos em uma mansão em Manhattan.
Então vamos,sem perder mais tempo aqui.
Apressou ela.
Demoraram uns 15 minutos até chegarmos ao parque,mas quando chegamos lá ouvi:
Me ajudeeeeee.
Os gritos parecem ter vindo da casa dos espelhos,vou lá ver o que aconteceu mãe.
Espera Lily,você não devia ir.
Eu preciso ver quem ta pedindo ajuda e ajudar mãe,não consigo pensar em mais nada.
Peguei um atalho que conhecia por uma trilha que havia ao lado da roda gigante,que dava para a casa dos espelhos.
Alguns minutos se passaram e cheguei lá.
Haviam todo tipo de espelhos lá,de todas as formas e tamanhos,pude ver uma menina loira,longos cabelos lisos,altura mediana e olhos extremamente azuis.
Qual seu nome?Perguntei a ela.
Larissa Carter,mas por favor me ajude eu não quero morrer,e tem uma coisa,um monstro enorme lá,dois chifres uma cara de touro.
É um minotauro,fuja sem se preocupar comigo,cuidarei dele.
Você ficará bem?Quis saber Larissa.
Sim,prometo agora vá!Mandei quase que expulsando-a daqui.
Peguei meu arco que havia ganhado no meu décimo sexto aniversário e algumas flechas da minha alijave e fui para mais longe o possível dele.Me escondi atrás de um espelho,e como no colégio eu era conhecida como:Olhos de Falcão,por minhas habilidades com arco e flecha,não tive dificuldade em achar o coração do Minotauro.
Assim que o achei vi que só teria uma chance para acertar.Eu teria que atirar no coração dele sem ser atingida.
Peguei umas 12 flechas da minha alijave e atirei,imaginando:
Flechas por favor não voltem agora fiquem cravadas no Minotauro e o façam virar cinzas.
E coloquei todas as minhas forças nas flechas.
Quando o atingi,apareceu uma menina de lindos cabelos lisos,grisalhos 166 de altura e olhos cor de Ônix,ela era uma sátira pelo que pude ver e disse:
Você é uma semideusa,agora arrume suas coisas,e vamos ao acampamento.
Certeza?Perguntei confusa.
Sim,agora se não formos logo você vai correr mais perigo ainda.
A Segui para fora do parque,e quando chegamos na minha casa minha mãe já havia arrumado a mala e disse:
Boa sorte minha filha,agora vá suas coisas estão prontas.
Da minha casa até o acampamento levava uns 10 minutos aproximadamente,eu e a sátira conversávamos enquanto não chegávamos ao acampamento.
Quando chegamos fui logo deixar minhas coisas no chalé de Hermes,e treinar minha pontaria e ficava na esperança de ser reclamada filha de Eros.

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

Filha de Eros,Namorada do Marshall,Futura seguidora das musas.
avatar
Lily Evans
Filhos de Eros
Filhos de Eros

Mensagens : 12
Data de inscrição : 13/02/2013
Idade : 20

Ficha do personagem
Level: 2
Energia:
105/105  (105/105)
HP:
105/105  (105/105)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Qui Fev 14, 2013 12:59 pm

reclamada, filha de Eros

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Ana Lua Bellamy Boucher em Qui Fev 14, 2013 4:25 pm




Surprise! Girl!



"Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum."

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------


Ana Lua Bellamy Boucher
Swith Girl | Filha de Afro | Alonee ♥ | Cheirosinha

credits @
avatar
Ana Lua Bellamy Boucher
Filhos de Afrodite
Filhos de Afrodite

Mensagens : 4
Data de inscrição : 03/02/2013
Idade : 21
Localização : Acampamento Meio - Sangue

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Ana Lua Bellamy Boucher em Qui Fev 14, 2013 4:47 pm

1) Nome:

Ana Lua Bellamy Boucher

2) Quer ser filho de qual deus?

Afrodite

3) Por que quer ser filho desse deus?

Porque aprecio o amor,a paixão,o desejo,sem sombra de duvidas.
Também quero ser uma filha de Afro,pois ela é sexy,e linda,acho que devo puxar isso dela,me identifico bastante com a deusa,tanto em algumas formas de agir,quanto na sensualidade que a mesma passa.
Adoro ver pessoas se apaixonando,é tão lindo. Além de que sem o amor nada seria do mundo e dos deuses, acredito que o amor seja capaz de mudar as pessoas, tato para melhor quando para pior. Acredito que por amor as pessoas começam e terminam as guerras e eu quero terminar as guerras utilizando um dos mais antigos e poderosos atos. O ato de amar.
Eu me identifico com a deusa por ela ser sexy, amável e desejável, algo que eu também quero ser, e serei, como filha de Afrodite, irei mostrar que o amor também vence guerras.
Acho que é por isso que gostaria muitíssimo de ser filha de Afrodite.




4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.

Uma menina doce,mais esnobe ao mesmo tempo,além de muito bela e sexy,mais gosta de se divertir.Mais que preserva muito os amigos e a família.

5) Narre sua história


Sou Ana Lua, mais podem me chamar de Ana que é como minha familia e meus amigos me chamam. Moro em Nova York com meu pai desde que fiz 9 anos, tivemos que nos mudar por alguma razão que meu pai nunca me contou. Não conheci minha mãe, meu pai sempre me disse, alias.. dizia que ela morreu no meu parto.
Na escola eu me dou muito bem, tiro notas altas, bom... tenho que adimitir que para isso eu precisei de uns favorzinho de uns amigos da minha turma. Eles me ajudavam a estudar e em troca eu saia com eles.(risos) Eu nunca tive poblemas com garotos, muito pelo contrario, eu sempre tive quem eu quisesse, eu nunca entendi muito bem. Tudo bem eu sou bonita eu confeço mais os garotos gaguejavam so de olhar pra mim, meu pai sempre me disse que eu pareço com minha mãe tanto fizicamente como emocionalmente, mais enfim.
Um dia eu estava indo me encontrar com um garoto o Marlon ele era da minha classe o em uma praça, ele não era tão bonito, alem de tudo andava muito estranho, mais era uma otima compania, e não eramos nada mais que grandes amigos. Quando nos encontramos ficamos conversando um pouco sobre o colegio e como seria daqui a alguns anos depois de terminar o colegial.
- Eu penso em ser modelo.
Eu disse empolgada.
- Humm, mais se for diferente? Quer dizer, nem tudo é como queremos!
Isso me soou meio negativo.
- Mais oque pode ser diferente, sou uma boa aluna, e bonita também.-Eu disse querendo reverter a situação.
- Digamos que você descobrisse que não é quem você pensa.
Eu não sei porque mais me arrepiei de ponta a cabeça.
- Aonde você quer chegar?-Perguntei a ele.
- Nada, foi so uma observação!
- Fala....
Antes que eu terminasse de falar alguma coisa rugiu forte bem atras de nós. Olhei para tras e meus deuses que monstro era aquele! Era uma especie de morcego humano, o monstro estava vindo voando em nossa direção, eu estava imovel.
- Oque...
Minha voz falhou antes que eu pudesse terminar, mais Marlon entendeu.
- É UMA FURIA. CORRE!
Ele grito enquanto me puxava.
Corremos para casa, que ficava perto dali, Marlon fez a furia dormir tocando uma flauta! Eu estava cada vez mais confusa. Entramos em casa.
- Senhor Victor.-Marlon chamou pelo nome do meu pai.
Meu pai desceu as escadas correndo, quando nos viu soou apavorado mais respondeu
- Oque Marlon?
Oque me deixava mais confusa pelo fato de eu nunca ter mencionado sobre meu amigo Marlon ao meu pai.
- Temos que partir!-Disse Marlon.
- Partir? Como assim partir? Oque esta acontecendo?-Perguntei.
Pela primeira vez eu estava completamente confusa e ensegura.
- Para o acampamento!-Respondeu meu pai.
- Acampamento? Que acampamento?
- Entra logo Ana Lua.
Marlon pronuncio meu nome. Oque me deixava ainda mais nervosa, ninguêm me chamava pelo meu nome, so por Ana, como eu disse no começo da historia.
Não pensei duas vezes e entrei no carro, quando estava quase chegando no tau acampamento tomei coragem e perguntei:
- Tudo bem, oque esta acontecendo?
- Você é uma meio sangue!-Meu pai respondeu sem tirar os olhos da estrada.
- Uma oque? Ta de brincadeira né? Essas coisas não existem, so acredito vendo.
Me arrependi de falar isso quando Marlon tiro a calça e mostro sua perna peluda e seus pés de... BODE?
- Opaaaaa, oque é você?
- Sou um sátiro, seu protetor!-Respondeu Marlon meio orgulhoso.
- Então é verdade! Quem é minha mãe?
- Afrodite, a deusa da beleza e do amor.
Meu pai pareceu triste ao ouvir a pronuncia do nome de minha mãe.
- Filha eu espero que me perdoe algum dia, eu so fiz isso para... para te proteger.
Eu não podia esconder que esta desapontada, mais tudo que eu não queria naquele momento era briga. Então eu so disse.
- Esta tudo bem papai.
Ele pareceu aliviado. Parou o carro em baixo de uma colina, de onde dava pra ver um pinheiro. Marlon desceu do carro e me disse.
- Vamos!
- Vem pai.
- Eu não posso minha filha, eu vou ficar bem.
Eu sai do carro, eu estava chateada com meu pai mais eu o amava e se ele mentiu é porque tinha alguma razão. Então fui ate ele dei um beijo em sua testa e disse:
- Eu te amo papai, se cuide!
Ele não pareceu surpreso com a minha atitude ele me abraço e disse:

- (risos) Se cuide minha filha, eu te amo!
Ele entrou no carro e seguiu a estrada.
Meu pai já tinha desaparecido na estrada, mais eu não pude deixar de olhar pra tras. Chegamos no topo da colina, antes de entrar no tau acampamente fizemos uma pausa para respirar, Marlon me olhou deu um sorriso de lado e disse.
- Bem vinda ao acampamento meio sangue!

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------


Ana Lua Bellamy Boucher
Swith Girl | Filha de Afro | Alonee ♥ | Cheirosinha

credits @
avatar
Ana Lua Bellamy Boucher
Filhos de Afrodite
Filhos de Afrodite

Mensagens : 4
Data de inscrição : 03/02/2013
Idade : 21
Localização : Acampamento Meio - Sangue

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Qui Fev 14, 2013 4:57 pm

Reclamo minha filha ^^

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Mellody McGrintt em Sex Fev 15, 2013 7:02 pm

1) Nome:
Mellody McGrintt


2) Quer ser filho de qual deus?
Atena


3) Por que quer ser filho desse deus?

Quero ser uma filha de Atena, porque me identifico muito com as características desta deusa, sua justiça e sabedoria são coisas que admiro na deusa, e também nos mortais.Quero ser filha de Atena porque admiro seu amor pelos mortais,e também porque admiro sua proteção em consideração aos filhos e aos seus heróis.Já estudei muito sobre esta deusa , e admiro seus grandes feitos.Também acho que tenho várias características que me assemelham à deusa,como minha capacidade para criar estratégias e a opinião que guerras são extremamente desnecessárias.Também acho que me pareço com a Deusa porque como ela,eu sempre levo o meu bom senso a sério e mesmo estando com raiva,nunca me deixo levar por meus sentimentos e acabo falando coisas desnecessárias,pois sempre penso duas vezes antes de falar.Também acho que a Deusa tem um impressionante caráter,e um ótimo desempenho nas áreas tanto de estratégia quanto de batalha.Atena também é a deusa mais sensata do olimpo,sempre sendo a mediadora das principais brigas entre o olimpo,e ela pode não ter a persuasão de Afrodite,ou a força em combate de Ares,mas é muito importante em batalhas,ao contrário do que alguns pensam. Atena é muito importante tanto no olimpo como na terra.Alguns acham que Atena só serve para ser inteligente e que ela não pode fazer nada para ajudar o olimpo,á não ser ter ideias.E quem pensa assim está extremamente errado. Alguns podem achar que Atena é só a deusa da sabedoria,e que ela não seria importante,mas eu não penso assim,porque sem a sabedoria e a estratégia,justiça e afins,todas as pessoas não seriam nada.N-A-D-A.


4) Cite suas características que se assemelham ao deus escolhido.

Sou muito inteligente, mas bastante tímida,adoro adquirir novos conhecimentos. Sou uma estrategista não tão ágil como os outros,mas faço o meu melhor.Sou feliz,muito divertida e amigável.


5) Narre sua história

Nasci em San Francisco e fui criada pelo meu pai,que não ligava muito pra mim.Sempre fui independente,mas eu sentia falta de algo:Sim,de uma mãe.Meu pai me disse que ele conheceu uma mulher e eles eram apaixonados um pelo outro.Ela ficou gravida e quando eu nasci,ela sumiu e me deixou com o meu pai.Por causa dela eu cresci sem saber o que era amor,pois meu pai nunca ligou pra mim,eu parecia uma estranha em casa.E também,quem iria se importar com uma menina com déficit de atenção e dislexia?Meu pai era um grande médico que dificilmente estava em casa e me deixava com uma governanta mandona e que não se importava comigo.Eu decidi fugir,queria me livrar da vida odiosa que sempre tive:Meu pai me obrigava a estudar até a madrugada pra ver se eu aprendia alguma coisa(não que eu não gostasse de ler,eu amava,principalmente mitologia grega) e a governanta só cuidava de mim 15 minutos e depois ia assistir TV ou dormir.Saí de casa enquanto a governanta dormia e fui até o ponto de táxi.Peguei um táxi e fui até onde o meu dinheiro podia pagar:uma estrada deserta.Mas que ótimo,eu pensei.Eu fui andando por ela até que um cachorro gigante apareceu perto de mim e por pouco não acertou a sua pata no meu ombro.Eu estava começando a me desesperar,até que uma pedra atingiu o cachorro na cabeça e continuaram vindo mais pedras.Quando a pessoa saiu de trás de 2 arbustos,era meu amigo Freddie que conheci na escola.Ele havia sido expulso da escola fazia 2 meses. Eu fiquei um pouco confusa:como ele sabia que eu iria estar ali?
Ele pegou uma pequena adaga e fez um pequeno corte na pata do cachorro,que virou pó.Ele veio correndo em minha direção e disse:

-Ainda bem que te encontrei.Ficou meio difícil te vigiar depois que fui expulso.
-Freddie?Porque você estava me vigiando?Como sabia que eu iria estar aqui?E mais:que bicho era aquele?
-Primeiro:Porque eu tenho que te levar para o acampamento meio-sangue.Segundo:Como disse,eu estava te vigiando.E terceiro:Era um cão infernal.
-Acampamento meio-sangue?
-Mellody,você lembra dos deuses gregos?
-Claro,esqueceu?Eu tenho uma coleção de livros só de mitologia grega.
-Bom,eles estão vivos até hoje e as vezes tem filhos até hoje,que são-Eu o cortei e disse:
-Semi-deuses.Metade deuses,metade mortais?Isso é impossível.
-Isso é possível sim,Mell e bom...Você é uma!

Um baque foi jogado em cima de mim:Eu?Uma semi-deusa?

Então o Freddie disse:
-E eu sou seu sátiro.

Então ele tirou suas calças e mostrou suas pernas,que pareciam de bode.Então nesse momento,minha visão ficou turva e eu só ouvi o Freddie dizer:
-Mell!

Me acordei deitada em uma cama com o Freddie me dando uma bebida,que tinha gosto de Donnuts,que eu sempre comprava na loja da esquina lá de casa.Eu lhe disse:
-Freddie,eu tive um sonho muito estranho,onde você era um sátiro e tinha pernas de bode.
-Como essas?-Ele disse apontando para suas pernas peludas.
-Freddie,então quer dizer que eu sou mesmo uma...Semi-deusa?
-Sim.
-Mas de quem eu sou filha?
-Você é uma semi-deusa indeterminada,ou seja,ainda não sabemos quem é seu pai ou mãe.

Ele me deu mais um pouco daquela bebida e depois de beber ela,eu lhe disse:
-Freddie,o que é isso?
-Isso é Néctar dos deuses.
-Me dá mais?
-Você não pode tomar mais.O néctar dos deuses cura os semi-deuses,mas se tomar demais,você literalmente vira cinzas.
-Okay.

Então eu ouvi barulho de cascos de cavalo e um homem entrou no quarto,mas ele era metade cavalo.Eu dei um grito e o Freddie disse:
-Mell,esse é o Quíron,nosso diretor de atividades do acampamento.
-Oi....

Então ele me explicou tudo sobre o acampamento,sobre todos os chalés e que eu iria ficar no chalé de Hermes até que eu fosse reclamada.Lá eu conheci uma menina chamada Kirah Hwang que era muito legal e me ajudou com várias coisas e me disse tudo que eu devia ou não fazer,e então a noite,eles fizeram uma fogueira e a Kirah me disse que eu deveria jogar a melhor parte de minha comida para um dos deuses como oferenda,mas para o Deus ou Deusa que eu achasse que poderia ser meu progenitor.Fiz minha oferenda para Atena,a deusa da sabedoria e da estratégia em batalha,pois era a que eu mais tinha expectativas de ser filha.
Eu fiz a oferenda e depois de todos terem feito a oferenda,fomos nos sentar ao redor da fogueira. Estávamos todos cantando até que todos pararam e começaram a olhar para mim,mais especificadamente para a minha cabeça.Olhei e vi o símbolo de uma coruja ,então Quíron disse:
-Salve Mellody McGrintt,filha de Atena, a deusa da sabedoria e da estratégia em batalha.

A partir daquele momento eu soube que minha vida nunca mais seria a mesma e que ali ,eu seria muito feliz.

------------------------------------------------X-----------------------------------------------

Legenda -
Laranja - Eu
Azul - Outros
Branco - narração
avatar
Mellody McGrintt
Filhos de Atena
Filhos de Atena

Mensagens : 3
Data de inscrição : 15/02/2013

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Josh C. Stonefeller em Sex Fev 15, 2013 8:08 pm

Nome:Peter Crouley Stonefeller

Quer ser filho de qual deus? Quione.

Por que quer ser filho desse deus?

Porque, apesar de Quione ser uma deusa menor, ela é muito forte e, além disso, eu me identifiquei com ela.

Narre sua historia:



A noite estava fria. O único som num raio de vários metros era o dos meus passos tensos. Não havia nenhum animal à vista, mas eu sabia que ela estava à espreita. Tirei algo do bolso, dei meia volta e ela me atacou. Então eu acordei. Já tive alguns sonhos estranhos, mas esse fora muito real. Olhei para o relógio e vi ainda era cerca de 6 horas da manhã. Pela janela via o dia nascendo: uma neve fina caia deixando a paisagem esbranquiçada, o lago à frente do orfanato onde eu morava estava congelado. A manhã em Vancouver era fria, mas ainda assim alguns operários já saiam de casa para trabalhar.
Normalmente eu não acordava tão cedo, mas aquele sonho deixara-me atordoado. Saí do dormitório e fui tomar café. Já havia alguns órfãos sentados à mesa conversando e conversando.
-- Bom dia Peter -- cumprimentou-me Richard, o cozinheiro do orfanato.
-- Bom dia -- respondi
Ele pôs meu café da manhã na bandeja
-- Ehh... Você pode me dar mais um pouco de comida, Richard?
-- Acordou com fome hein?
-- Não, na verdade eu vou sair do orfanato.
-- Foi adotado?
-- Não. Eu vou fugir.
-- Mas por quê? Sua vida aqui é boa, porquê você não espera mais um pouco?
-- Não, eu tenho que ir embora hoje. E então, você tem a comida ou não?
-- tudo bem, mas eu só posso te dar comida para dois dias.
-- É melhor do que nada.
-- Mas... Você sabe o que está fazendo? É perigoso.
-- Eu sei me cuidar.
-- Está bem, Peter. Encontre-me ma cozinha depois do almoço.
-- Certo.
Levei a bandeja com o desejum para uma mesa próxima; cumprimentei alguns amigos e comi. Depois fui para o dormitório e comecei a arrumar a mochila.
Para onde eu estava indo? Não sabia ao certo. Havia planejado entrar na floresta, ficar lá por um tempo e então mudar de nome e viver em outra cidade. Não que eu não gostasse de Vancouver, mas eu não gostava do orfanato. Além de estar caindo aos pedaços, eu não queria ser considerado um "coitadinho" pelo resto da vida, e, apesar de ser preguiçoso, eu queria mostrar que não era um inútil. Peguei minhas coisas. Eu pensei também em descobrir quem eram os meus pais, mas achei melhor não. Eu só sabia que fui deixado na porta do orfanato alguns dias depois de nascer. Era pouco, mas eu não precisava saber mais.
O resto da manhã passou bem rápido; depois de arrumar minhas coisas, fui fazer exercícios, li um pouco e fui almoçar. Como combinado, me encontrei com Richard na cozinha para pegar comida.
Logo que entrei, ele entregou a comida que eu havia pedido, e, enquanto a colocava na mochila ele me disse:
-- Tome isto Peter. Além de ser uma lembrança, será uma ferramenta útil.
E entregou-me um canivete, que parecia ser feito de bronze.
-- Obrigado.
-- Posso ir com você?
-- Richard, eu já sei me cuidar sozinho. Se você não tem mais nada a dizer, eu vou indo embora.
-- Boa sorte então.
Peguei minhas coisas e discretamente saí em direção á floresta que havia ao lado do orfanato. Caía uma forte nevasca naquela tarde, mas eu não sentia muito frio. Nas primeiras horas foi fácil manter o ritmo, mas ao cair da noite, apesar de poder continuar, achei que já estava a uma boa distância do orfanato e parei para descansar. Fiz uma fogueira e montei um lugar para dormir. Depois de comer um pouco e descansado, iria direto para a cama, mas então ouvi um som estranho. Olhei em volta, procurando a origem do som. Foi quando vi aqueles olhos aterrorizantes e percebi que o dono deles se movia na minha direção. Peguei um pedaço de madeira, passei no fogo e iluminei o estranho animal com a minha pequena tocha. E o que vi era muito estranho: algo como uma galinha com feições e tamanho humano. Já me preparando para lutar ou fugir, peguei minha mochila e saí correndo, procurando algo útil para parar a estranha galinha que me perseguia. Não havia nada melhor do que a própria mochila, e, sem pensar muito joguei-a contra o animal que me perseguia. Consegui atrasá-la um pouco, mas ainda assim continuei correndo. Olhei para trás e já não via mais ela. Andei silenciosamente por algum tempo com certa agilidade dada a força da nevasca.
A noite estava fria. O único som num raio de vários metros era o dos meus passos tensos. Não havia nenhum animal à vista, mas eu sabia que ela estava à espreita. Então percebi: aquele era o meu sonho. Como no sonho, pus a mão no bolso e encontrei o canivete, que por sorte, não havia posto dentro da mochila. Não era a arma mais adequada, porém, era o melhor que eu tinha. Num movimento simples, puxei a pequena navalha e para minha surpresa, o canivete virou uma grande faca que parecia ser feita de bronze. Ainda procurando a estranha galinha, dei meia volta e ela atacou-me de repente. Consegue me esquivar a tempo de receber um ataque mortal, mas mesmo assim fui ferido no braço direito. Ela já se preparava para atacar novamente quando eu ataquei-a. Foi uma surpresa tanto para mim quanto para ela quando eu a feri. Quando olhei para a cara dela percebi que era uma das faxineiras do orfanato, mas isso não me importava: ela havia tentado me matar e eu faria o mesmo se fosse preciso. Ela se moveu um pouco. O ferimento por mim causado fora bem forte, mas ela reuniu suas forças para um último ataque, pulando em cima de mim. Consegui bloqueá-la, mas mesmo assim ela piorou o ferimento no braço direito, que agora sangrava profusamente. Com o braço esquerdo imobilizado, eu não podia usar a faca para atacá-la então usei o braço ensangüentado para arranhá-la. Apertei o braço dela com tanta força que quando percebi metade do seu braço estava congelado. Achei aquilo estranho, mas consegui empurrá-la para o lado e rapidamente ataquei-a com a faca e ela se desintegrou num monte de pó dourado. A adaga voltou a ser um canivete, guardei-o no bolso e fui procurar minha mochila. Apesar de estar surpreso com aqueles acontecimentos, achei melhor me preparar caso acontecesse mais alguma coisa. Não demorei muito á encontrá-la, coloquei-a nas costas e saí caminhando pela neve alta, com o braço direito ensangüentado e doendo muito. Eu tinha sorte de ser canhoto.
Depois de um tempo parei e resolvi fazer um curativo no meu braço, porém aquela noite ainda reservava uma surpresa para mim. Quando me sentei para fazer o curativo, senti uma forte pancada na nuca e desmaiei.
Acordei atordoado no banco do passageiro de um carro velho que incrivelmente alcançava os 80 km/h na estrada. Ainda tonto, olhei para o motorista: ele me parecia familiar, mas o que me chamou a atenção foram as pernas dele. Eram bem peludas e terminavam não em pés, mas, em cascos de bode. Um sátiro. Já havia visto uma imagem num livro do orfanato, mas de perto era bem mais bizarro. Como meu cérebro ainda estava lerdo por causa da pancada, demorei a perceber que aquilo era um seqüestro. Quando pus a mão no bolso para sacar o canivete, percebi que ele não estava lá. O motorista também percebeu o movimento e, sarcástico, comentou:
-- Você não estava pensando em me atacar, não é Peter?
Demorei alguns segundos para assimilar o que ele havia dito e respondi:
-- Se você não tivesse me seqüestrado, talvez.
Então percebi que ele sabia meu nome
-- Gostou do carrão, Peter?
-- Não. E não sei como consegue chamar isso carro, Richard. – Respondi, ao que ele pareceu ficar ofendido – Vamos ao que interessa: porque você me seqüestrou e para onde estamos indo? Onde estão as minhas coisas?
-- No banco de trás. Bom, eu te “seqüestrei” porque depois que vi você derrotar aquela harpia achei que se falasse uma palavra você me cortaria em dois antes de eu terminar a frase, então achei mais seguro simplesmente...
-- Me dar uma bordoada tão forte que mataria qualquer ser humano.
-- Desculpa... Mas aquilo não te mataria, afinal você é metade deus.
Tudo fazia cada vez menos sentido: matar uma harpia, ser seqüestrado por um sátiro, e descobrir que era metade deus.
-- Como assim metade deus?
-- Te explico no caminho.
-- Caminho para onde?
-- Para o acampamento meio sangue.
-- Vejo que você tem mesmo muito que explicar.
Enquanto Richard dirigia o carro, percebi que já era manhã do dia seguinte, a nevasca havia diminuído bastante, o sol brilhava fracamente no horizonte leste deixando-me sonolento, mas achei melhor escutar o sátiro.
-- Quando os deuses gregos têm filhos com mortais, esses filhos têm poderes e habilidades relacionados com seu pai ou mãe imortal, entende? Esses filhos são chamados semideuses e são perseguidos por monstros, como aquela harpia. Quanto mais velho o semideus, mais fácil os monstros o encontrarão. Aquela harpia havia te encontrado alguns dias atrás.
-- Mas desde que me conheço por gente aquela faxineira trabalha lá.
-- Isso se chama névoa, algo como implantar memórias falsas na mente de alguém. Eu mesmo cheguei no orfanato há poucas semanas. E, como sátiro, meu dever é te levar em segurança para o acampamento meio sangue.
-- Então por que você não matou logo aquela harpia?
-- Porque era para você matá-la. E se algo desse errado eu estaria lá para ajudar você. Falando nisso, como está o seu braço?
Só então percebi que Richard havia feito um curativo no meu braço. Na noite passada o ferimento doía muito, mas na manhã daquele dia estava bem melhor
-- Parou de doer e o brigado pelo curativo
-- De nada, Peter. Então, você não quer saber para onde estamos indo?
-- Estamos indo para o acampamento meio sangue, mas onde ele fica?
-- Fica em Long Island.
-- VOCÊ FICOU LOUCO? É MUITO LONGE!
-- Eu sei, mas você vai gostar de lá, tem vários outros semideuses, você pode praticar arco e flecha e várias outras coisas!
-- Mas porque estamos indo para tão longe?
-- Bom, o acampamento é o lugar mais seguro que há para semideuses.
Talvez eu devesse deixá-lo dirigir em paz, mas uma questão ainda me intrigava: quem era minha mãe ou pai deus?
-- Richard, você sabe quem é meu pai ou mãe deus?
-- Não... Pelo jeito você não sabe nem se é a mãe ou o pai.
- É. Fui deixado no orfanato alguns dias depois de nascer com um bilhete onde estava escrito meu nome: Peter Crouley Stonefeller. Só sei disso por causa de alguns órfãos mais velhos.
Enquanto conversava com o sátiro, o tempo passava rápido e, depois de um almoço magro, preferi ficar calado pensando naquela complicada pergunta.
O resto da viagem foi tranqüilo e só parávamos para colocar gasolina no carro e dormir. Os dias se arrastavam e, por mais que eu gostasse da fria Vancouver, estava ansioso para conhecer meu novo lar: o acampamento meio sangue.


Josh C. Stonefeller
Filhos de Quione
Filhos de Quione

Mensagens : 2
Data de inscrição : 14/02/2013

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Convidad em Sex Fev 15, 2013 8:26 pm

Mellody reclamada!
Gostei da sua história, mas precisa melhorar; vou te reclamar, mas procure detalhar mais as coisas e não fazer as coisas tão "corridas"

Peter reclamado!
Gostei bastante da sua história ^^

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 10 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum