Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Administrador em Ter Fev 04, 2014 10:26 am

Relembrando a primeira mensagem :


Teste de Reclamação
Bem-vindo(a) Convidado, deve estar ansioso(a) para descobrir quem é seu progenitor ou progenitora, por tanto, queira por favor realizar o teste a abaixo. Queira por favor postar seu teste neste mesmo tópico.
Também pedimos que siga algumas regras, todas localizadas abaixo, assim, as suas chances de passar nesse teste aumentam em muito.
Boa sorte e seja bem-vindo(a) a família do PJO.



 
Regras
NÃO PLAGEIE A FICHA DE NINGUÉM E NEM DE OUTROS FÓRUNS.

ENVIE A FICHA COMPLETA OU ESTÁ SERÁ DESCONSIDERADA.

SE QUAIS QUER REGRAS DESSAS FOREM VIOLADAS, A FICHA TERÁ DE SER REFEITA.

Nome:
Idade:
Local de Nascimento:
Progenitor Primordial:
Progenitor Mortal:
Características Psicológicas (No mínimo 5 linhas no Word ou outro editor de textos):
Características Físicas (No mínimo 5 linhas no Word ou outro editor de textos):
Conte-nos sua História (No mínimo 30 linhas no Word ou outro editor de textos):
 
Apenas os filhos dos deuses contidos neste spoiler serão reclamados neste teste:
Deméter, Ares, Atena, Apolo, Hefesto, Afrodite, Hermes, Dionísio, Hécate, Éolo, Perséfone, Macária, Melinoe, Íris, Selene, Quione, Hipnos, Morfeu, Deimos, Phobos e Fantasia.
 

‎Copyright © 2013 - 2014 All Rights Reserved for PJO Online
avatar
Administrador
Admin

Mensagens : 205
Data de inscrição : 24/12/2012

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

http://pjoonline.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Afrodite em Sex Fev 21, 2014 11:40 am

Leon, vamos falar sério aqui, seu texto esta dentro dos padrões, encontrei, é claro, erros ortográficos que eram motivos de reprovação, no entanto, me baseei pela estrutura e pelo verdadeiro conteúdo do texto, que por sinal está muito bom, portanto:

Aprovado

Atualizado por Tânatos

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

avatar
Afrodite
Deuses Maiores
Deuses Maiores

Mensagens : 37
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 23
Localização : Aqui ^^

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Carly L. Brown em Sex Fev 21, 2014 6:52 pm

Teste de Reclamação

Nome: Carly Lee Boucher

Idade:16

Local de Nascimento: Inglaterra

Progenitor Primordial: Íris

Progenitor Mortal: Rufus Boucher

Características Psicológicas :
Carly é doce, meiga, porém é um pouco maluca, tem dislexia, descobriu a mesma aos 8 anos de idade ainda pequena, originada por disturbios que sofreu na infância triste que teve, porém Carly é uma menina extremamente extrovertida e leal. Sofre Bullying e nunca se relaciona com estranhos, porém é uma adolescente como todas as outras

Características Físicas:
Carly é uma menina morena e de olhos claros, seu estilo é totalmente atual e muito arrazador, Carly adora chamar atenção por isso tem sua própria moda, seu tamanho é proporcional a todos que possuem sua mesma idade, adora usar roubas coloridas, cabelos com mechas e batons fortes e chamativos.

Conte-nos sua História :

Carly nasceu, prematuramente, muito bonita, era moreninha de olhinhos azuis, seu pai a amava incondicionalmente, Carly, porém cresceu sem sua mãe, e seu pai sempre a dizia a mesma história, foi um "casamento difícil", Carly sempre imaginava as entrelinhas daquelas palavras, oque elas escondiam?. Porém a pequena menina não se importava, só queria aproveitar cada momento de sua infância. Certo dia seu pai arranjou um emprego fora da cidade e pedia sempre que a vizinha cuidasse de Carly, a vizinha era gentil, porém com o tempo foi ficando má e amarga, chegava a espancar Carly, a garotinha não tinha como se defender e só chorava, chorava e chorava, com tanto que sofria em casa a pequena Carly criou dislexia, se tornou uma garota "estranha" na sociedade dos "populares" e seu desenvolvimento escolar baixou muito. No meio de tantas complicações a pequena garota começou á ouvir leves vozes que chamavam, porém relacionava as vozes á dislexia, estas mesmas vozes se tornaram mais constantes e mais fortes, as quais fizeram Carly tentar suicídio, porém a menininha não conseguia, a mesma força que fazia ela ficar louca, não permitia que a mesma fizesse loucuras, era como um replay na mente da garota, toda a infância feliz dela voltava, como se tudo não tivesse passado de um sonho ruim.
Um dia, a filha da vizinha, que cuidou de Carly, espalhou boatos que Carly era psicopata e louca, quando carly descobriu, botou sua faca no bolso e foi até a garota no pátio da escola, tentando esfaqueá-la, logo sua diretora cadeirante segurou seu pulso forte, Carly se estressou e logo teve um colapso nervoso, chegou até a se debater no chão, de repente a garota se levantou do chão, seus olhos não estavam azuis e sim coloridos e ao seu redor havia um arco-iris lindo, Carly, com toda a força que tinha usado desmaiou e caiu como pedra no chão. Assim que acordou, a menina não estava mas na escola, estava entre muitos jovens em uma enfermaria, e ao lado sua diretora, ela estava de pé, porém, sobre duas patas, a mesma era um sátiro guardião, e estava lá para proteger Carly do mal, a pequena menina sabia que aquele era seu lugar!
avatar
Carly L. Brown
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 9
Data de inscrição : 21/02/2014
Idade : 19

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Zeus em Sex Fev 21, 2014 7:07 pm

Aprovado, Gostei. (Me liga)

Atualizado por Tio Tart, lindo.
avatar
Zeus
Deuses Maiores
Deuses Maiores

Mensagens : 10
Data de inscrição : 13/02/2014
Idade : 24

Ficha do personagem
Level: Infinito
Energia:
9223372036854775807/9223372036854775807  (9223372036854775807/9223372036854775807)
HP:
9223372036854775807/9223372036854775807  (9223372036854775807/9223372036854775807)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Cameron Diaz em Sab Fev 22, 2014 10:40 am

Nome: Cameron (Cam) Diaz

Idade: 16

Local de Nascimento: Beverly Hills, California

Progenitor Primordial: Ares

Progenitor Mortal: Victoria Diaz

Características Psicológicas: Cameron tem pavil curto, qualquer besteira pode deixá-lo irritado. Sendo naturalmente uma pessoa irritada, Cam usa boxe para descontar frustrações. Ele não é o mais inteligente, mas também não é burro, e sabe que coisas que podem ferir uma pessoa mais do que dor física, é a dor emocional, e ele adora brincar com isso.  Cam é um cara da cidade grande, que usa a internet, se mete em encrencas e adora uma boa festa. Também é extremamente teimoso e mimado, graças a sua criação cheia de luxos; em sua cabeça, Cam pode ter o que quiser se souber destruir quem estiver na sua frente.

Características Físicas: Cam tem o cabelo cor castanho escuro com as laterais raspadas, gosta de deixá-lo todo arrepiado. Sua pele é ligeiramente bronzeada, e tem sardas fracas pelo nariz e o abaixo dos olhos. Ele tem covinhas, e dentes brancos. Seu corpo é musculoso, apesar de não ser extremamente definido. Os olhos são azuis brilhantes, que podem ser identificados a distancia. Quando sorri, seus caninos são mais pontiagudos do que o normal.  O nariz é ligeiramente torto, por culpa de brigas que se envolvia. Possuía uma cicatriz na barriga onde foi esfaqueado.

Conte-nos sua História: Cam nasceu e cresceu em Beverly Hills, sua mãe e seu padrasto envolvidos no Show Business, a mão sendo uma atriz conhecida, enquanto o pai um dos melhores diretores e produtores já vistos. Ele cresceu n meio de problemas da mídia, rumores, boatos, e principalmente, sobre quem era seu verdadeiro pai.
Muitos por aí diziam que o pai era só algum aproveitador, outros diziam que na verdade, sua mãe havia se aproveitado, e acabado com um filho indesejado. É claro que, ser chamado de filho indesejado não era algo muito agradável para ele, então, mesmo aos sete anos de idade, ele já se envolvia em brigas com colegas de turma e babás por falarem coisas do tipo. Mas bem no fundo, ele vivia se perguntando se era realmente um menino indesejado na família.
O padrasto e a mãe se davam muito bem, comprando seus carros de luxo, mansões, dinheiro e filmes; mas no meio de tudo isso, parecia que o filho desaparecia no cenário. Então, aos doze anos, ele já estava pior do que aos sete.
Vivia se metendo em brigas sem sentido, discutia com professores, desrespeitava empregados (não que isso incomodasse demais aos pais). E havia sido expulso de diversas escolas, não só por seu comportamento agressivo, mas por brincadeiras e pegadinhas por toda parte. Apesar de tudo isso, aos treze anos, os pais saíram em uma viagem para filmar um filme juntos na Grécia, e acabaram nunca mais voltando. O avião caiu no meio do oceano pacífico.
No começo, Cam começou a se fechar em sue próprio mundo, até que se deu conta do que tinha em mãos. Ele agora tinha mais de milhões de dólares em mãos. Carros esportes, mansões, casas de praia, e até “amigos” celebridades que basicamente o usavam para conseguir mais fama. “Ah, o pobre garoto que perdeu os pais, venha, vou te ensinar a como gastar o seu dinheiro”. Ele sabia que estava sendo manipulado? Sim, mas se importava? Ele se divertia, então não.
Até os 15 anos de idade, sua vida foi resumida a festas, encontro com famosos, adolescentes, interesseiros, e a mídia. A dura mídia.
Ele era conhecido para todos os lados como o órfão Cameron Diaz, que não sabia quem era seu verdadeiro pai, perdera mãe e padrasto, e se tornara um grande problemático. E para se vingar, ele ia para a cidade no meio da noite e pichava para todos os lados, coisas bem maldosas sobre a mídia.
Ele também se envolvia muito em lutas por dinheiro, e assaltantes, que na verdade ele conseguia lidar muito bem. Uma vez, aos seus quatorze anos, roubaram sua carteira, e quando tentou revidar, tomou uma facada logo acima da cintura. Ficou um tempo no hospital até poder voltar a sua vida.
Na verdade, a única parte boa de seu dia, era quando Dani vinha visitá-lo, e os dois realmente tinham um bom tempo juntos. Ele realmente gostava dela. E acho que foi isso que realmente acabou com ele. Danielle tinha acompanhado sua vida desde os 10 anos de idade. Ela não aprovava o que ele fazia, mas também não impedia. Os dois eram melhores amigos, e Cam sabia que ela seria a única pessoa na sua vida que um dia poderia confiar.
Uma semana antes de completar seus dezesseis anos, a casa foi invadida, não por um ladrão normal, por um cachorro, enorme, fedorento desgrenhado e de olhos vermelhos. Não se parecia um cachorro, e sim algum tipo de demônio no formato de um cachorro. E esse monstro matou Dani.  Cam foi tomado por fúria incontida naquele dia,  e lutou contra o monstro como jamais tinha lutado contra qualquer pessoa antes. Ele não tinha nenhum tipo de arma, apenas braços e pernas.
Foi quando um rapaz, talvez um pouquinho mais velho do que ele, entrou trotando em sua sala de estar e nocauteou o cão com um bastão. O menino se apresentou como Jack, e se disse um Sátiro. E é claro que ele não acreditou.
Nauqele mesmo dia, Cameron Diaz saiu da sua enorme fortaleza, fazia e solitária, agora marcada não só pela morte dos pais, mas de sua melhor amiga. E ele começou a enfrentar imensas dificuldades na estrada, como constantes ataques de criaturas estranhas, e constantemente, Jack aparecia para destruir o monstro, até que, enfim, Cam passou a acreditar nele.
Juntos, eles destruíam monstros ao longo do caminho, até que enfim chegaram, ao local sobre o qual Jack tanto falava, o acampamento meio sangue
avatar
Cameron Diaz
Filhos de Ares
Filhos de Ares

Mensagens : 4
Data de inscrição : 18/02/2014

Ficha do personagem
Level: 3
Energia:
120/120  (120/120)
HP:
120/120  (120/120)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Afrodite em Sab Fev 22, 2014 11:04 am

Cameron, á propósito gostei muito do seu texto, analisei-o bem, e tinha muitos erros de pontuação, virgulas desnecessárias e muitas palavras erradas, com letra sobre letra, mas, por outro lado, sua narrativa foi muito boa, bem detalhada e muito bem escrita, se você for aprovado terá que melhorar estes bobos errinhos! Então, Parabéns filho de Ares
APROVADO

Atualizado por Nyx.

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

avatar
Afrodite
Deuses Maiores
Deuses Maiores

Mensagens : 37
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 23
Localização : Aqui ^^

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Aaron C. Black em Sab Fev 22, 2014 4:16 pm



The Son Of Apolo


Nome: Aaron Carter Black

Idade: 17 anos.

Local de Nascimento: Londres

Progenitor Primordial: Apolo

Progenitor Mortal: Abby Carter Black.

Características Psicológicas:
Aaron é o "bonzinho" dos gêmeos Carter Black, seu irmão, Marco é o abusado, sendo o "iluminado" da família é mais quieto, responsável, amigo. Porém não se deixe ser enganado por seu boa personalidade, o garoto sabe ser o diabo em pessoa, mas só atormenta quem mexe com seus amigos ou pessoas importantes para o garoto. O menino é calmo, prefere a lógica do que a luta, mas se não tiver opção, que seja, ele luta.

Características Físicas:
Aaron Carter Black não possui muitas diferenças físicas em relação a seu irmão. Seu cabelo é louro escuro de tamanho mediano, seu corpo é magro e pouco musculoso. Sua pele é esbranquiçada levemente bronzeada, seus olhos são verdes cristal, seu lábio é fino e levemente rosado. Embora ele e seu irmão se pareçam muito, ainda é meio que possível distingui-los, Aaron é um pouco mais baixo e magro.

Conte-nos sua História:
O Black já tinha laços sanguíneo com divindades mitológicas muito antes de sua mãe engravidar de Apolo, seu avô era Poseidon, sim até hoje deuses fazem coisas muito estranhas para os mortais. Ele e seu irmão nasceram com saudáveis. Porém com toda aquela regra do Olimpo, Apolo não pode ficar com seus filhos, uma lei de Zeus.

Sua mãe, Abby, tivera que voltar para o acampamento Meio-Sangue deixando-o juntamente seu irmão, com sua avó, que cuidara dos dois gêmeos até os dez anos. Os meninos cresceram consciente de seu lado nenhum pouco normal, recebia cartas de sua mãe lhe falando sobre missões, monstros e até mesmos os temidos e idolatrados deuses. Ele cresceu lendo, tocando piano, violão, violino, guitarra, praticando artes marciais e até mesmo tinha treino com arcos e flechas, balistas, bestas, ele gosta.

E era assim a sua vida até um dia em que voltava da escola quando fora atacado por uma dracaene, a reptiliana escamosa o perseguia, o garoto corria enquanto ela o chamava, sempre enfatizando que ele era filho de Apolo, só não sabia tal motivo. Estava prestes a dar um volta na escola, fugindo da dracaene, já lançara pedras, cacos de vidros que ficavam a toa ao redor das escolas durante as festas. e não tinha feito nem riscos, as escamas eram mais resistente que o normal, maldito dia para terem adiado seu treino de tiro com a balista. Um homem veio correndo em sua direção, e sua expressão facial fez passar pela cabeça do menino que pular nos braços da dracane seria uma ótima ideia, mas para sua sorte era um sátiro, sim um espírito ou deus das florestas. O híbrido chegou de voadora na monstra e derrubou fazendo-a dar duas cambaleadas para trás. O sátiro o lançou no colo e o levou da escola contra sua vontade.

- Volta. - Gritava Aaaron. - Meu irmão, ele está na escola. Ela vai rastreá-lo e matá-lo.

- Não posso, ordens de Quíron, outro de minha raça já está lá a essa altura, vai cuidar do seu irmão. - Disse seu protetor.

Uma raiva descomunal fora despertada no Black, ele juntou suas mãos e as fez em forma de conha, apunhalando com toda sua força nas costas do sátiro que o largou no chão, essa pequena brecha fez, com que Aaron conseguisse se levantar e correr de volta para a escola, porém não conseguiu correr cinco metros, o guardião foi atrás dele e o pegou, desta vez imobilizando-o com cordas grossas e os nós eram bem resistente. O filho de Apolo se remexia, mas era inútil, lágrimas se formaram em seu rosto, o garoto estava muito preocupado com seu irmão. Depois de tanto se debater o jovem estava exausto, com fome com a respiração ofegante depois de tanto esforço e terminou dormindo no ombro do sátiro.

Quando chegou ao acampamento o menino estava livre das cordas e tinha acordado, porém sonolento, Aaron tornou a se debater e chorar, estava preocupado com seu irmão, rezava para seu pai por ele. Não pensava em outra coisa, e pior sua mãe não estava lá para tentar fazê-lo parar com os berros e parar de bater nos Sátiros que o segurava para não fugir do acampamento. Depois de tanto tempo de brigas e esperas, seu irmão conseguiu voltar vivo, o alívio tomou conta de Aaron, mas a vontade de encher seu irmão de porrada era enorme. Os gêmeos se abraçaram e sorriram. Logo depois os dois foram ao chalé de Apolo e ficaram se perguntando como seria que sua mãe, Abby estava, não a vira desde pequenos e uso de aparelhos elétricos como celular e computador era proibido dentro do acampamento, pois enviavam sinais perceptíveis aos monstros e assim teria um grande ataque ao acampamento. Os jovens começaram no acampamento se aventurando em treinos, e logo foram reclamados por Apolo, seu pai, ganhando os respectivos presentes por serem seus filhos. Embora o Deus do Sol não pudesse ficar junto a eles, sabiam que o pai prestava atenção neles, de uma forma ou de outra.

Twins Of Apolo&Abby

Tks Maay from TPO

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

Let me live that fantasy

avatar
Aaron C. Black
Cavaleiros de Héstia
Cavaleiros de Héstia

Mensagens : 33
Data de inscrição : 14/02/2014
Idade : 21
Localização : Chalé de Apolo

Ficha do personagem
Level: 6
Energia:
150/150  (150/150)
HP:
150/150  (150/150)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Afrodite em Sab Fev 22, 2014 4:27 pm

Hehe, se superou em Sr.Black, realmente, ficou muito bom e Aleluia Irmãos, finalmente eu posso dizer ein, Parabéns Filho do Sol!

Aprovadérrimo

-aguardando att

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

avatar
Afrodite
Deuses Maiores
Deuses Maiores

Mensagens : 37
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 23
Localização : Aqui ^^

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Finn Greyjoy em Dom Fev 23, 2014 6:52 pm


Ficha de Reclamação


Nome: Finn Greyjoy
Idade: 15 anos
Local de Nascimento: Manhattan - NY

Progenitor Primordial: Hermes, Deus dos Viajantes, dos ladrões.

Progenitor Mortal: Asha Greyjoy

Características Psicológicas : Finn é completamente calmo e quieto, mas tem um lado psicopata dentro de si o que deixa excitado sempre que está em uma luta, querendo cada vez mais sangue e mais batalha, as vezes pode se perder dentro de si deixando apenas o lado psicopata externamente. Não tem amigos e nem aliados, mas se tiver um aliado com ele pode ter certeza que ele confia plenamente no mesmo. Não sente nada, nem dor nem ódio.

Características Físicas: Cabelos pretos curtos, orelhas pontudas e pele branca, feições élficas por assim dizer, tendo o rosto elegante e nariz longo. É magro por não comer como os demais humanos, é um tanto alto. Musculoso já que praticou esgrima quando pequeno até os 11 anos e arremesso de facas até os 13 anos.

Conte-nos sua História :

Encarando a praia no Acampamento Meio-Sangue não acreditei que cheguei até ali e que finalmente sabia quem era meu pai, Hermes, Deus dos Viajantes, Ladrões e todo o resto, logo, nós, seus filhos era pau pra toda obra. De algo bom mesmo só sabíamos roubar, nisso éramos mestres.
Minha mãe me trouxe até ali sem nenhum problema, bem, nenhum nada. Tive que matar dois ciclopes malditos que estavam atrás de mim na escola. Cresci com minha mãe em uma rua ao lado do Central Park, logo cresci ligado a natureza e por isso na Praia me acalmava suficiente. Minha mãe estava morta.
A culpa era de Hermes.
Deixa eu começar pelo começo, ops, tá, você me entendeu não é mesmo? Tenho Deficit de Atenção e Hiperativo e sou bem rápido, com oito anos fiz meu primeiro roubo, tinha uma faca nas coisas do meu professor de Ed. Física e era completamente linda, o cabo era entalhado com cobras e a lâmina era prateada e por isso resolvi roubá-la.
Nunca fui pego.
Por ter TDAH todo ano era expulso de uma escola nunca ficando mais de uma vez na mesma e acontecia umas coisas estranhas, um homem grande de um olho só, uma foca-cachorro me atacando e eu fugindo, mas quando eu voltava com os adultas o animal não estava mais ali, então um dia tudo mudou. Minha aula de arremesso de facas tinha acabado e eu estava voltando para casa, resolvi dá uma volta no Central Park antes de adentrar a minha casa quando vejo algo bem estranho.
Uma menina de cabelos longos e verdes, olhos pretos e de baixa estatura lutava contra um cão imensamente grande, sua pelugem era preta e suas garras longas. Os dois lutavam intensamente quando o Cão mordeu o tronco de uma árvore, a menina sumiu, ela morreu.
Agora o Cão se voltou contra mim. Enquanto ele corria em minha direção tirei da mochila meu conjunto de facas de arremesso, elas eram longas e finas mas bem resistentes, pegando no cabo da primeira arremessei acertando a testa do cão e atirei mais uma que acerto o peito do mesmo. O cão se desintegrou. O que aconteceu?
Correndo fui para minha casa e lá minha mãe explicou tudo para mim.
Meu pai era Hermes. O Cão era um monstro. A menina era uma Ninfa e eu, era um semideus. Foi um choque para mim mas logo me recuperei, agora tinha que vim para essa merda de Acampamento mas no trajeto.... Tudo deu errado mais uma vez na minha vida.
Estávamos subindo a colina quando dois homens grandes apareceram, eles tinham apenas um olho só no meio da testa. Minha mãe se jogou na minha frente quando um deles tentou me atacar com um clava.
- Mãe! - Gritei mas sabia que naquele momento sabia que a vida se esvaia dela. Gritando de ódio tirei mais uma vez minhas facas de arremesso da mochila começando a atirar as mesmas na direção do homem, acertando sua garganta diversas vezes e mais uma vezes vi algo se transformar em pó. Gritando corri na direção da minha mãe.
- Mãe, fique viva. - Gritei enquanto tirava os cabelos de sua testa, cortes profundos estava no seu peito e sabia que ela estava morrendo, lágrimas escorriam pela minha face.
- Filho... Atrás de você... - Sussurrou. O segundo homem estava vindo na nossa direção e antes que ele atacasse arremessei mais três facas. Uma pegou na sua clava mas as outras duas acertando seu peito e seu pescoço, o derrubando.
- Mãe, fique viva... - Disse mais vez tentando olhar sua ferida.
- Sabe que estou morrendo, vá até o Quíron e diga que és filho de Hermes, seu pai te deu esse destino... Não o.. - Ela iria falar mais uma coisa mas a vida deixou seu corpo.
Minha mãe morreu.
A culpa era de Hermes.
Meu pai.
Gritando de fúria corri na direção do homem que estava começando a se levantar, tinha apenas mais cinco facas de arremesso, peguei mais duas arremessei a primeira acertando o braço do homem e logo em seguida arremessei a segunda, enfiando por completo no olho do mesmo. O sangue fluía pelo meu corpo e eu queria mais, queria matar. O corpo da minha mãe havia sumido de alguma forma e em seu lugar estava um carta.
Ela está em um lugar melhor.
Hermes.


QUE CARA DE PAU! Eu odiava ainda mais meu pai, eu iria matá-lo assim que tivesse a oportunidade e não estava nem ai se fosse um deus ou não. Peguei minhas facas as guardando e adentrei no Acampamento Inferno, agora sabia que não sentia mais nada. Os meus sentimentos se foram junto com minha mãe.

Poderes Usados:
Level1

Feições de Elfo: Os semideuses filhos de Hermes possuem feições élficas como o pai (isso os deixa mais bonitos que o resto u.u Afrodite não me bate!), possuem o rosto elegante, orelhas levemente pontudas, nariz comprido e olhos analíticos (analisam aquilo que podem pegar de você).
Agilidade I: Os filhos de Hermes são mais ágeis que os outros semideuses. Dessa maneira, podem saltar e esquivar com um pouco mais de facilidade.
Perícia idiomática I: Por Hermes ser o deus dos viajantes, necessita de falar diversos idiomas. Assim, com essa habilidade, o semideus fala dois idiomas além de sua língua natal (ver na legenda ao final).

Armas Usadas:
Facas de Arremesso de Bronze [Grandes facas com cerca de 20 a 30cm cada, são extremamente leves e afiadas. Podem ser arremessadas ou usadas em ataque corpo a corpo, mas sua eficiência só é aparente para quem tem a perícia e conhecimento adequado para acertar o inimigo nos pontos corretos. Pode ser usada de modo benéfico, pelos curandeiros, de acordo coms eus poderes. Pouco resistentes.][Kit com 20][Bronze sagrado]



Thanks, Dricca - Terra de Ninguém e Aglomerado
avatar
Finn Greyjoy
Filhos de Hermes
Filhos de Hermes

Mensagens : 2
Data de inscrição : 23/02/2014
Idade : 19
Localização : New York - Acampamento Meio-Sangue

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Apolo em Dom Fev 23, 2014 7:11 pm

Ótima ficha, meus parabéns.

Aprovado


Att ☼ Sun

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

Lord Apolo

Deus do Sol Da Música Deus mais hot do Olimpo Irmão gêmeo da linda Temis

@CG Sing by Viic Black
avatar
Apolo
Deuses Maiores
Deuses Maiores

Mensagens : 90
Data de inscrição : 14/10/2013
Idade : 18

Ficha do personagem
Level: Infinito
Energia:
9223372036854775807/99999999999999  (9223372036854775807/99999999999999)
HP:
9999999999999/9223372036854775807  (9999999999999/9223372036854775807)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Convidado em Sex Fev 28, 2014 8:32 am

Nome: Dylan Harris
Idade: 16
Local de Nascimento: Manhattan
Progenitor Primordial: Hécate
Progenitor Mortal: Renan Harris

Características Psicológicas:

Dylan é um garoto um tanto esquisito, na escola não eram todos que aproximava-se dele pelo simples fato do mesmo sempre estar mais afastado, desde novo Dylan costumara ver alguns vultos e sombras que na maioria das vezes o perseguia na saída da escola até em casa, a esquisitice do garoto era motivo de brincadeiras dos outros, seu pai, era o seu único amigo, o único que o entendia.  Dylan costumara ficar em casa durante o final de semana e outros alguns dias, quase nunca era chamado para sair e quando era... Passava só de um motivo de piada dos outros.

Características Físicas:

Com a sua pele levemente bronzeada Dylan chama atenção por onde passa, mesmo sendo esquisito, ainda conquista alguns corações alheios, os cabelos são castanhos claros e muito lisos, os olhos quase nunca arregalados exibem um castanho escuro digno de um óscar. Com tanto tempo sozinho o garoto tem tempo de sobra para fazer o que mais gosta, malhar, depois de anos e horas de esforço conseguiu um corpo desejável e invejável por muitos, ele é totalmente diferente de alguns filhos de Hécate, não passa de 1.75 cm, não é tão alto, mas também não é baixo.

História:

Sete Horas da manhã, o horário mundial de ir para a aula, Dylan morava com o seu pai e todos os dias levantava cedo para ir até o “inferno” a escola, de sua casa até lá eram poucas quadras aproximadamente três ou quatro, o café da manhã na casa dos Harris era sempre rápido e repetido, algumas frutas, iogurte, leite e ovos, nada demais. Do apartamento onde morava até a escola o garoto gastava entre dez a quinze minutos, a uma quadra da escola havia uma banca de revistas, era lá o “Point” preferido do jovem de cabelos cor de mel, ali ele sempre passava algum tempo, mesmo que fosse pouco, apenas para esquecer de como é ruim andar sozinho.
As aulas passavam voando e como todos os dias Dylan era fuzilado com olhares de todos, mesmo quieto no canto, o jeito pacato do garoto incomodava muita gente, principalmente os valentões, esses sempre viviam no pé do garoto. Dylan não era um aluno exemplar mas também não deixava de passar nas matérias, entretanto nas aulas de Educação física o garoto era um horror, mesmo com o corpo atlético ele conseguia ser desengonçado demais para ser bom em algum esporte o que deixava o mais afastado ainda.
Todos os dias durante a volta para casa o garoto sempre observava os vultos perseguindo-o até em casa, quanto mais velho o garoto ficava mais vultos aparecia, o que o deixava incomodado. Quando a solidão batia o garoto costumara perguntar ao seu pai sobre a sua mãe, e ele sempre desviava do assunto com algo tipo: Ela vai voltar, não se preocupe. Dois afagos no cabelo e pronto, fim de papo... Era esse tipo de atitude que Dylan detestava, talvez por já ter problemas o bastante em sua vida.
Era dia de Aniversário e o dia passou como todos os outros, chegou a noite e naquele dia parecia que estava mais “sombria” do que todas as outras, uma névoa acabou preenchendo o seu quarto e muitos arrepios tomaram o corpo do jovem, a névoa tornou-se cada vez mais densa e uma voz surgiu em meio a umidade, era a voz de uma mulher, uma voz linda e ao mesmo tempo sombria, ela pedia para que o garoto acompanhasse a névoa, ela tinha as respostas que ele tanto precisava, Afinal, quem é a sua mãe? Aquilo fez o garoto arrepiar-se e o medo tornou-se presente cada vez mais, mas ele era mais forte que isso.
Andando pelas ruas frias de Manhattan o relógio marcava duas horas da manhã e sem perder o foco e principalmente a névoa de vista ele continuou seguindo-a mesmo com as pernas bambas, alguns mendigos ocupavam as ruas e os vultos pareciam obedecer a névoa, ou temer ela, ele já havia passado o colégio e estava um pouco longe de sua casa o seu pai certamente odiaria isso e com certeza iria deixa-lo de castigo, ele andou mais um pouco até chegar em uma encruzilhada, a névoa ficou densa e começou a rodear um poste de luz, um pequeno furacão surgiu, tão rápido que quase não dava para ver e segundos depois uma mulher... Cabelos negros, pele pálida e uma beleza terrivelmente sombria, mas quem seria aquela?
Os dois trocaram olhares por algum tempo e logo a mulher apresentou-se, contou-lhe a verdadeira história e sobre quem ela era, também informou sobre um acampamento para onde o garoto deveria ir e que ali não era mais seguro, Dylan demorou para aceitar as palavras da moça que continuou a mostrar pistas de que era a sua verdadeira mãe, ela sabia de tudo, desde o nascimento até o dia em que o garoto beijou uma garota pela primeira vez, o tempo voou tão rápido que quando se deu conta já passavam das cinco horas da manhã, eles continuaram o papo e o garoto já tinha certeza de que aquela era a sua mãe, com um único abraço de despedida ela partiu levando o garoto de volta para o seu quarto em um piscar de olhos.
Antes de ir para a escola o garoto contou ao pai sobre o acontecido, o pai sorriu já que ele não precisou se ocupar com o trabalho, naquele dia Dylan não iria para o colégio e sim para um lugar muito melhor, o acampamento meio sangue.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Afrodite em Sex Fev 28, 2014 11:31 am

Gostei muito da sua História, e como quase todos os jogadores, com certas exceções, existem muitos erros de ortografia e pontuação, por outro lado, sua história está muito bem explicada e tem um tom insubstituível nas palavras! Seja bem vindo ao acampamento Prole de Hécate!

Aprovado



Atualizado por Nyx.

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

avatar
Afrodite
Deuses Maiores
Deuses Maiores

Mensagens : 37
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 23
Localização : Aqui ^^

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Kouji HooDahe em Sex Fev 28, 2014 2:45 pm

Nome:
Matthew Tunder

Idade:
16 anos.

Local de Nascimento:
França (Ao menos o garoto cresceu)

Progenitor Primordial:
Íris

Progenitor Mortal:
Desconhecido

Características Psicológicas:
O garoto assim como sua verdadeira mãe, Íris, é elétrico, em outras palavras hiperativo. Também é bondoso, porém muitas vezes apresenta um transtorno bipolar, ou seja seu humor é inconstante. O garoto tenta tratar disso, mas também possui um pavio curto, perde sua paciência muito rápido quando irritado. Retirando estes "problemas" o garoto é uma espécie de anjo. Ainda têm guardado em si os lados: Criança, safado, intelectual e brincalhão.

Características Físicas:
Nesse aspecto, Matthew é bem diferente de seus pais adotivos, ele é alto, têm um corpo musculoso e quente. Sua pele é pálida, porém um pouco bronzeada. O seu rosto é fino acompanhado de olhos verdes e lábios rosados, chegando a um tom de quase vermelho. Seus médios cabelos lisos mesclam a cor preta e castanha. Com essa aparência muitos o rotulam como: Filhinho de papai; playboyzinho, mas na verdade Matt pouco se importa com sua aparência e liga mais para seu ser interior.

Conte-nos sua História:
Matthew Tunder é adotado, jamais soube de sua mãe ou seu pai biológico. Seus pais adotivos, Lindsey e Greg Tunder o achou em uma noite tempestuosa, o garoto havia sido deixado na porta de sua casa com apenas o seu primeiro nome de registro: Matthew.

Lindsey e Greg sempre acompanharam o crescimento de seu filho de todas as formas possíveis. Desde a infância seus pais decidiram te contar sobre sua adoção. Nos primeiros meses, Matt, sofreu de loucura, entrou em uma compulsão para saber de seus verdadeiros pais, porém não conseguiu exito em sua tentativa, até porque seus pais adotivos se mudaram ainda cedo para frança.

Com sete anos, Matt, viajou para Nova Jersey com seus pais, e foram para sua casa, a mesma onde fora deixado por qualquer um que costumava a julgar ser seu pai ou sua mãe. Sua noites passaram a ser inquietantes, uma mulher chamada Íris que dizia ser uma deusa e sua mãe começou a invadir sua mente. Ela dizia algo parecido que o menino corria perigo, que sua única forma de segurança era ir ao acampamento Meio-Sangue, onde encontraria outros semideuses e alguns seriam meios-irmãos. Matthew acordava incrédulo, com a respiração ofegante e assustado, o menino jamais pensou que seu cérebro seria capaz de armar tal pensamento e reproduzi-lo em um sonho. Como aquilo só acontecia durante seus sonhos o menino não alertou à seus pais e continuava com sua férias, brincava com seus amigos, ocorria tudo normalmente até a noite cair e seus pesadelos se repetirem.

Na tarde seguinte, Matthew estava ajudando um garoto que havia perdido seu cachorro pelo quarteirão. Eles decidiram se dividir e procurar. Já havia se passado uma hora e o menino ainda não havia encontrado o cachorro, continuo andando até que um arbusto se "mexeu", então o garoto foi averiguar o pequeno monte de grama. Assim que enfiou a mão uma harpia saiu em um rasante para o céu segurando e levando para qualquer lugar em pelo ar. O jovem se debatia tentando se soltar do bicho desconhecido para ele, a velocidade da harpia era extrema e o ar rarefeito já tinha afetado o garoto, o oxigênio não corria direito pelo seu corpo, sua visão começou a ficar embraçada e logo a escuridão tomou posse de suas vistas, agora apenas o seu corpo sentia o vento bater contra o seu corpo e depois teve a sensação de estar em queda livre.

...

Quando acordou estava em um tipo de tenda com diversas pessoas andando para lá e pra cá, ao se sentar viu que algumas tinham seu corpo metade humano e matade animalesco, naquele caso em específico eram bodes ou coisa parecida. Um dos híbridos se aproximou do garoto.

- Oi! Eu sou o Henry, sou um sátiro - Ele disse fazendo uma pequena pausa e voltou a falar. - Você é filho de Íris, e está no acampamento meio sangue. Sabe aquilo que te levava era um harpia, irmã de sua mãe. O estranho é o motivo dela te atacar, geralmente hesitam em investir contra filhos de sua irmã, mas a chances daquela "trabalhar" para alguém. - Falou rapidamente.

- O quê? - Falou sem entender nada. - O que eu fiz? Juro que só estava procurando o cachorro do Logan.

O sátiro suspirou e lhe deu um pouco de néctar para beber e explicou novamente umas três vezes até o garoto conseguir assimilar isso tudo com os seus sonhos. Naquele exato momento o menino caiu no transtorno da bipolaridade, tudo aquilo era demais para um garoto de sete anos, de algum modo afetou sua mente, porém agora ao menos estava em segurança assim como sua mãe disse.

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

Son Of Íris II Royals II Lord Of Cupcakes&Rainbow
Matthew Tunder

TPO@
avatar
Kouji HooDahe
Filhos de Íris
Filhos de Íris

Mensagens : 17
Data de inscrição : 12/02/2014
Idade : 21
Localização : Espectros

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Zeus em Sex Fev 28, 2014 3:50 pm

Charlotte:

Gostei de sua história, não encontrei nenhum tipo de erro. Está realmente satisfatória.
APROVADA

☪ Atualizado por Nyx ☪
avatar
Zeus
Deuses Maiores
Deuses Maiores

Mensagens : 10
Data de inscrição : 13/02/2014
Idade : 24

Ficha do personagem
Level: Infinito
Energia:
9223372036854775807/9223372036854775807  (9223372036854775807/9223372036854775807)
HP:
9223372036854775807/9223372036854775807  (9223372036854775807/9223372036854775807)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Afrodite em Sex Fev 28, 2014 5:20 pm

Matt, texto muito bom e peculiar, apesar dos erros de ortografia notórios você foi bem! Bem vindo Filho de Íris!

[Aprovado]


-Aguardando Att

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

avatar
Afrodite
Deuses Maiores
Deuses Maiores

Mensagens : 37
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 23
Localização : Aqui ^^

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Convidado em Sab Mar 01, 2014 6:55 pm



Filha de...




Nome:
Charlotte Jane Lockwood.

Idade:
17 anos.

Local de Nascimento:
Sidney, Austrália.

Progenitor Primordial:
Selene.

Progenitor Mortal:
Christopher Lockwood.

Características Psicológicas:
Charlotte, ou Char, como ela mesma prefere é o tipo de adolescente problema. A garota simplesmente faz o que deseja, sem se importar com as consequências dos seus atos. Está sempre metida em problemas e confusões, mas adora isso. Além de tudo, sabe como conseguir que as pessoas façam o que ela quer. É charmosa, simpática e meiga quando deseja, mas pode se mostrar alguém totalmente ao contrário em questão de segundos. É decidida, orgulhosa e irônica. A única coisa que a atinge verdadeiramente, é quando se trata da sua família.

Características Físicas:
A garota Lockwood pode ser considerada a personificação da graciosidade, apenas quando se tratava de sua aparência, claro. Os cabelos em um tom extremamente loiros eram compridos e com alguns cachos, sua pele era pálida e perfeita e seus olhos eram do mais lindo tom de azul. Os lábios, na maioria das vezes eram cobertos por um batom vermelho, realçando a palidez da menina, isso sem deixar nada exagerado. Seu corpo, apesar da pouca altura, era lindo, com curvas perfeitas.

Conte-nos sua História:

- Charlotte! - a loira suspirou ao ouvir a voz de seu pai atrás de si, mas apenas se virou, dando seu melhor sorriso.
- Sim, papai?
- Aonde você esteve? Sabe que horas são?
- Pai, por favor, eu só dei uma saída, nada de mais.
- Char, são três horas da manhã, você tem aula hoje!
Imediatamente, um bico surgiu nos lábios de Charlotte ao mesmo tempo em que ela se aproximava de seu pai, com os olhos azuis brilhando em falsa inocência.
- Desculpe, papai, prometo que não irá se repetir.
Christopher suspirou em derrota, ele, assim como todos, não sabia resistir ao charme de sua filha.
- Tudo bem, filha. Agora vá dormir.
A garota sorriu, ficando na ponta dos pés para depositar um beijo na bochecha do pai antes de sair correndo em direção ao seu quarto. Uma vez lá apenas tomou banho e pôs seu pijama. Saiu de lá, fechou a porta e entrou no quarto ao lado, o quarto de Jeremy. Deitou ao lado do irmão e sorriu quando ele a abraçou, após isso não demorou para pegar no sono.

☾ ☾ ☾

Christopher Lockwood sempre foi um grande exemplo de pessoa. Ainda novo perdeu seu grande amor, a jovem Jane, que morreu por causa do cancêr, na mesma noite conheceu a deslumbrante Selene, claro que na época, o jovem nem sonhou que estava diante da deusa da lua, mas não pode ficar menos deslumbrado.
A dor da perda de Jane não foi esquecida, nem poderia, mas estar com Selene naquela noite fez com que ele se sentisse vivo novamente, algo que nunca esperou. A beleza e doçura da deusa era tanta que Chris se sentiu atraído por ela e Selene o ajudou a esquecer tudo, apenas por uma noite.
Quando o sol se pôs, Christopher estava mais uma vez sozinho, sem sinal de Selene.
E permaneceu assim, sem ter notícias da deslumbrante mulher por cerca de nove meses.
Em uma noite quando voltava do recém adquirido emprego como recepcionista de um grande hotel encontrou Selene o esperando em frente a sua casa. A deusa trazia consigo uma cesta, na qual se encontrava três bebês recém-nascidos.
Lockwood a deixou entrar em sua casa e ambos conversaram.
Selene lhe contou que aqueles bebês eram filhos deles, gerados naquela única noite na qual se encontraram, Christopher acreditou e, apesar de não ter condições de criar três bebês, concordou em cuidar dos filhos.
Porém não esperava ouvir as seguintes palavras de Selene:
- Christopher, eu não poderei lhe ajudar. Você deverá cuidar deles sozinho, eu sei que você consegue. - ela lhe deu um sorriso doce, ao mesmo tempo em que acariciava o rosto do homem gentilmente - Eles lhe mostrarão que você é capaz de ser feliz de verdade.
Apesar de confuso, ele assentiu e Selene sorriu, se aproximando do cesto, ficando de costas para Christopher.
- São dois meninos e uma menina. - afirmou, olhando para os bebês adormecidos - Estes são Maxwell, Jeremy e Charlotte, seus filhos. Cuide deles.
Dizendo isso, Selene desapareceu na luz da lua.

☾ ☾ ☾

Para Christopher, fora difícil criar e sustentar os trigêmeos, no começo eles tiveram que dividir tudo, até o berço. Querendo dar o melhor aos seus filhos, Christopher se tornara um pai ausente, sempre trabalhando para ter uma vida digna.
Quando Charlotte, Maxwell e Jeremy tinham sete anos, Christopher conseguiu o cargo de gerente do hotel e finalmente pode dar a vida que seus filhos mereciam.
Cada um dos trigêmeos tinha uma personalidade completamente diferente da do outro, porém Charlotte era a que mais se destacava nesse quesito. Talvez por ser a única menina, ou pelo fato de possuir um charme e graciosidade surpreendente, a pequena sempre conseguia o que queria, não importa de quem se tratava.
Na escola, os trigêmeos eram o que se chamava de populares, todos desejavam ser amigos deles, porém os três se mantinham unidos. Charlotte não gostava de fazer amizades, preferia sempre a companhia de sua família, em especial a de Jeremy.
Em uma dia, quando eles tinham 13 anos, ao chegar na escola, Christopher os esperava, dizendo que tinha algo a contar para os três. E ele realmente tinha. Contou aos filhos a verdade sobre eles. Que eram filhos de ninguém menos que Selene, a deusa grega da lua.
Quatros anos mais tarde, o Lockwood resolveu que era hora de levar os três para o Acampamento Meio-Sangue.
Nesse meio tempo, Christopher já tinha juntado dinheiro o suficiente para comprar a maior parte do hotel, tornando-se assim o dono do lugar. Então, sem querer ficar separado dos filhos, montou uma filial do hotel em New York e os quatro finalmente viajaram para a cidade.
Charlotte passou o máximo de tempo que pode ao lado de seu pai. Querendo ou não, a garota era a princesinha dele, o amava mais que tudo e, por um lado, não queria ir para aquele Acampamento longe dele, mas Chris lhe garantira que era somente lá que ela e seus irmãos estariam seguros. Mesmo de má vontade, Charlie concordou que era o melhor para eles.
O vôo foi tranquilo, assim como o caminho até o Acampamento, assim que Christopher parou o carro, ele se virou para os olhos. Seus olhos brilhavam em lágrimas - ainda - não derramadas.
- Eu estarei em apenas algumas horas daqui, não se esqueçam. Jeremy, se comporte, sim? Eu não quero ser avô tão cedo. E você também, Max. Os dois mantenham os rapazes longe de Char.
Os garotos assentiram, despedindo-se de seu pai e subindo a colina. Enquanto Charlotte nem havia saído do carro.
- Hey, princesa, é o melhor para vocês, eu prometo. - ele sorriu e acariciou o rosto da filha - Você é igual a ela, tão linda, tão doce e gentil, nunca deixe isso se perder, sim? Agora vá lá cuidar dos seus irmãos antes que eu seja o responsável pelos garotos que destruíram o Acampamento. Eu te amo, Char. Nos vemos em breve.
A menina assentiu, forçando um sorriso enquanto abraçava o pai. Por fim, pegou suas coisas e virou-se para a colina, começando a subí-la.
- Ei, bobões, me esperem! - gritou para seus irmãos.

☾ ☾ ☾


Selene!
------------------------------------------------------------------------------
@Lilah

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Afrodite em Sab Mar 01, 2014 7:02 pm

*U* Livro, gostei muito! Amei a História dos Lockwood's! Seja bem vinda prole de Selene!

[Aprovada]


Atualizado por Nyx
.

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

avatar
Afrodite
Deuses Maiores
Deuses Maiores

Mensagens : 37
Data de inscrição : 15/02/2014
Idade : 23
Localização : Aqui ^^

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Maxwell Lockwood em Sab Mar 01, 2014 7:12 pm

Nome: Maxwell Harris Lockwood

Idade: 17 anos

Local de Nascimento: Sydney, Austrália

Progenitor Primordial: Selene

Progenitor Mortal: Christopher Lockwood

Características Psicológicas (No mínimo 5 linhas no Word ou outro editor de textos):

Maxwell poderia ser considerado o melhor professor para garotos que gostariam de se tornar os problemas para seus pais. Encrenqueiro e bagunceiro eram duas das características que tornavam o garoto um dos mais problemáticos adolescentes de sua escola e talvez do resto de Sydney. Maxwell sempre tinha um motivo aparente para fazer algo, mesmo que para os outros fosse idiotice, para ele poderia ser um caso de vida ou morte e ele faria de tudo para conseguir fazer o que quisesse. Odiava o fato de vários garotos da escola tentarem se aproximar da irmã; mesmo sendo deste jeito, ele tinha aquele certo ciúmes de irmão, e qualquer um, se o conhecesse melhor diria que ele é o melhor irmão do mundo, tendo de guardar o segredo por trás da relação maior entre Jeremy e Charlotte.

Características Físicas (No mínimo 5 linhas no Word ou outro editor de textos):

Max, sendo do mesmo jeito que o irmão tem curtos cabelos de um amarelo quase dourado e olhos azuis claros que a noite sob a luz do luar pareciam tornar-se azul escuro como a própria noite iluminada pela lua. Sua pele é pálida, o que lhe dá certa beleza com o contraste da cor dos olhos e do cabelo junto ao sorriso largo e branco que está sempre estampado em seu rosto, mesmo nas situações mais difíceis, o que costuma causar raiva a quem esta a sua volta pelo fato dele sempre estar sorrindo. Está sempre vestido de um modo elegante e "rebelde ao mesmo tempo, conquistando qualquer garota que ele queira.

Conte-nos sua História (No mínimo 30 linhas no Word ou outro editor de textos):

- 17 anos atrás - Sidney, Austrália.

Dez horas da noite. Aquele não era o horário ideal para se estar sozinho em um local, mas muitos ignoravam aquilo e entre eles, estava um homem que permanecia caminhando por um píer não muito movimentado na grande capital da Australia, Sidney. Ele observava o mar que se estendia mais além do que sua visão alcançava, com uma expressão triste no rosto, relembrando os fatos ocorridos mais cedo.

Seus olhos estavam vermelhos, como se ele estivesse segurando as lágrimas há um tempo, até que quando percebeu já estar sozinho, deixou o líquido escorrer de seus olhos para o rosto.

-Porque ela... Qualquer um... Mas tinha que ser ela? -Ele olhou para o mar, vendo a o reflexo da lua cheia na água, ainda deixando as lágrimas escorrerem. Logo, ele ouviu o som de algo caminhando em sua direção, em passos fortes e calmos.
O homem não se moveu, apenas continuou do mesmo modo que estava antes, até que a pessoa que se aproximava, aparentemente uma mulher, o chamou.

-Olá... Porque está chorando? - Ele se levantou, enxugando as lágrimas e olhando para a bela mulher que lhe fizera uma pergunta. Ele ficou a fitando de cima para baixo. A mesma tinha uma pele pálida tão bela quanto a luz da lua, seus cabelos eram longos e loiros com cachos formados nas pontas. Usava um vestido um pouco curto e branco como a lua. O homem ficou hipnotizado pela aparência da mulher. -Err... Oii?

Assim que ela o chamou mais uma vez, ele "acordou", a fitando nos olhos.

-Ah, eu não estava chorando. Apenas... um cisco havia caído no meu rosto. -Ele mentiu, sorrindo para a desconhecida. -Quem é você?

-Sei... Vou fingir que acredito. -Ela sorriu, fitando o mar e em seguida o satélite natural da terra. -Sou Selene.

-Selene? Um nome diferente. -Ele pensou, olhando na mesma direção em que ela olhava. -Sou Christopher.

-É um prazer Christopher. -Selene disse, rindo baixo pelo comentário que Christopher fizera. -Então, vai me dizer o real motivo que causava a derrama de lágrimas de alguns minutos atrás?

Christopher sorriu, se aproximando de Selene e começando a conversar com ela, passando o resto da noite do mesmo jeito.
E foi assim, que a minha história começara.

☾ ☾ ☾

A minha vida sempre fora um pouco fácil. Tinha tudo o que eu queria ao meu alcance e não precisava me esforçar muito para conseguir algo, a não ser, se meus irmãos também quisessem a mesma coisa.

Ter nascido junto a outros dois irmãos já deixava tudo um pouco mais difícil. No começo, eu tinha que dividir tudo com meus irmãos. Os brinquedos, a comida, e até o berço. Mas eu até entendia, era difícil para Christopher Lockwood cuidar e sustentar três bebês perfeitos sem a mulher que dera a luz a eles.

O homem trabalhava dia e noite e deixava seus filhos, Maxwell (Eu \o/), Jeremy (O gay \o/) e Charlotte (A perfeitinha ¬¬) sob os cuidados de seus avós, Hilbert e Lyra Lockwood. O único tempo que tinha para eles, era no máximo, duas ou três horas em que ficava em casa antes de voltar ao trabalho.

E foi assim que nós três crescemos, tendo um pai um pouco ausente e uma mãe totalmente ausente, mas o lado de meu pai até era justo, pelo fato que ele estava querendo que nós tivéssemos uma boa vida e estava conseguindo isso. Mas o melhor seria apenas um tempinho a mais com ele.

Eu e Jeremy passávamos o dia assistindo esportes na televisão até Charlotte nos encher o saco para que mudássemos de canal e ela assistisse o que quisesse, acabando com nossa diversão. Mas fazer o que... Irmãs são assim mesmo, não é?

No colégio era um pouco diferente. Se alguém falasse o nome Lockwood, ou a palavra Trigêmeos, todos já pensavam em nós. Éramos populares, as melhores pessoas daquele local, todos queriam ser nossos amigos, mas não costumávamos dar bola para ninguém, ficávamos apenas entre nós, sempre juntos. (a não ser quando íamos ao banheiro, claro.) Sempre nos achavam diferentes dos outros alunos do colégio, e eles estavam certos, nós éramos diferentes.

Eu e meus irmãos tínhamos um segredo que apenas nós e meu pai, e consequentemente, nossa mãe sabia. Nós éramos semideuses, metade mortais e metade imortais, filhos da deusa da lua, Selene. Nosso pai nos contara este segredo assim que ele julgara já ser a idade certa para que entendêssemos aquilo, mas claro que não foi fácil para nós.

Com o tempo, nos acostumamos com aquele fato, e sempre tomávamos cuidado quando estávamos expostos à lua de noite. Tínhamos o estranho "dom" de ganhar uma aura branca quando a luz da lua nos alcançava. Mesmo nosso pai nos dizendo que os mortais não conseguiam ver aquilo muito bem, era bom ficar precavido.

Mas a parte mais emocionante da minha história começava no dia do meu aniversário, dia 23 de Maio. O dia em que os trigêmeos Lockwood apareceram no acampamento.

☾ ☾ ☾

-Pai... Tem certeza que hoje é a noite certa? -Eu perguntei, jogando a mala na cara de Jeremy.

A família Lockwood caminhava junta pelo aeroporto, procurando o local de embarque para o vôo que seguia para New York, no qual levaria todos para uma das maiores cidades dos Estados Unidos.

Todos carregavam suas malas, enquanto eu e Jeremy constantemente nos empurrávamos de brincadeira, estávamos ansiosos por finalmente podermos ir para o local que nossa mãe indicara a meu pai como seguro para nós. Charlotte permanecia olhando constantemente para o celular, mexendo em suas redes sociais e muitas vezes esbarrando nas pessoas em volta.

-Sim filho. Vocês já tem 17 anos, já passaram da idade de irem para o acampamento. É melhor eu leva-los nesta noite antes que algo ruim aconteça. -Christopher respondeu, olhando para o local que provavelmente seria o embarque.

Logo, deixamos nossas malas naquela máquina que tem o mesmo sistema de escada rolante e naquele momento eu havia esquecido o nome e seguimos para o "túnel" que levava o avião. Rapidamente já estávamos acomodados nos bancos certos e enquanto o avião começava a decolar, eu imaginava como seria o tal único local para nós semideuses e ouvia Jeremy e Charlotte discutirem pelo fato de ela estar comendo o lanche do meu irmão.

Longas 7 horas se passaram e as mesmas foram desperdiçadas por um longo sono que só terminou quando meu pai chacoalhou meu corpo para que eu acordasse, indicando a janela.

-Chegamos, bem vindos a New York. -A vista lá embaixo era bonita. Eu conseguia ver a famosa Estatua da Liberdade e o edifício Empire State enquanto o avião rumava para o aeroporto. Viver naquele país poderia ser legal, eu acho.

Logo desembarcamos no aeroporto da grande cidade dos Estados Unidos e rapidamente, depois de pegarmos nossas malas, meu pai alugou um carro de bela aparência que nos levaria rapidamente. Logo, adentramos o carro e Christopher deu a partida, começando a dirigir rumo a Long Island.

A estrada era cercada por uma floresta. Qualquer um dos dois lados que eu olhava só me mostrava árvores e mato, e algumas vacas e cavalos que pastavam em meio a floresta. Logo, meu pai parou um carro perto de uma colina, indicando que a gente poderia descer.

Logo, peguei minhas malas, ouvindo as palavras de meu pai e o abraçando, dando um "Até Breve" a ele e saindo andando colina acima sem olhar para trás, apenas vendo Jeremy caminhar ao meu lado e Charlotte ficar conversando com meu pai. Rapidamente, parei em frente a um portão cercado por uma barreira azul que continha letras escritas em cima. Letras estranhas e aparentemente antigas.

Logo, como mágica, as letras começaram a mudar de forma e de posição, me permitindo ler em voz alta.

-Bem vindos ao Acampamento Meio Sangue...
avatar
Maxwell Lockwood
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 8
Data de inscrição : 19/02/2014

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Éter em Sab Mar 01, 2014 7:32 pm

Bem, eu acho que você poderia ter desenvolvido melhor seu texto, além de algumas coisas que achei desnecessárias e que poderiam prejudicar a sua avaliação num treino/missão ou algo do tipo. Mas você fez uma boa história e sua descrição das características me surpreendeu.

APROVADO

Parabéns, Prole da Lua.


Atualizado por Nyx.
avatar
Éter
Deuses Primordiais
Deuses Primordiais

Mensagens : 330
Data de inscrição : 24/12/2013
Localização : Submundo

Ficha do personagem
Level: Infinito
Energia:
999999999999999999/999999999999999999  (999999999999999999/999999999999999999)
HP:
999999999999999999/999999999999999999  (999999999999999999/999999999999999999)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Graham D. Black em Dom Mar 02, 2014 4:23 pm



Filho de Ares?

"Se quiser me reconquistar, não tente descobrir a razão que te levou a me perder, e sim a razão que me levou a te amar."

TIO TART ESTÁ AVALIANDO, NÃO OUSEM AVALIAR.
Nome:
Graham David Black

Idade:
26 anos.

Local de Nascimento:
Winchester, Inglaterra.

Progenitor Primordial:
Ares.

Progenitor Mortal:
Amélia Lewis Black

Características Psicológicas:
Graham é um homem recluso e sério, focado em seus objetivos. Raramente muda de ideia sobre algo, sendo totalmente cabeça dura e teimoso, porém sabe ser alguém agradável e engraçado quando quer. É fiel a seus aliados e leva o lema de sua família a sério, assim como tudo que se trata da família Black.

Características Físicas:
Alto e forte, como um verdadeiro filho de Ares, Graham não deixa de ser bonito e charmoso, como herança da sua parte materna. Os olhos penetrantes de um incomum tom azul esverdeado, modelam o rosto másculo e bonito. Seu cabelo é castanho escuro, curto e revolto. O Black possui uma barba por fazer que é praticamente considerada sua marca. Sua pele é um pouco bronzeada, mas nada exagerado.

Conte-nos sua História:

Winchester Hospital, Winchester - Inglaterra, 1997.

- Seu pai, Graham… - Amélia sussurrou, tocando o rosto do filho - Ele era um homem forte… Bonito também. Você tem muito dele, meu menino.
Graham ouvia atentamente o que sua mãe dizia, esperou dez anos para descobrir sobre seu pai, já que Amélia sempre se recusou a contar. E agora, estando em seu leito de morte, a jovem achava que era a hora do filho saber.
- Ele não pode ficar com nós, ele tinha… Outras prioridades, mas me fez prometer que você seria um grande guerreiro, um orgulho para ele. - Amélia engoliu em seco e tossiu um pouco, para depois continuar a falar - Você não precisa daquela vida, Graham, você já é meu orgulho. Meu menino bonito e forte.
Amélia sorriu, seus olhos ainda brilhavam, apesar da fraqueza que tomava conta da mulher. Graham tirou a mão de sua mãe do seu rosto e a segurou com força, mas tomando cuidado para não machucá-la. O menino fechou os olhos, sentindo as lágrimas escorrendo por seu rosto ao mesmo tempo em que os bips do monitor cardíaco paravam.

Wammy’s House, Winchester - Inglaterra, 1997.

- Sua mãe morreu há duas semanas, Graham. - Sra. Mason disse gentilmente, olhando séria para o menino a sua frente - Na sua certidão de nascimento não conta o nome do seu pai e seus avós estão mortos. Você tem alguns parentes vivos em Londres, podemos te levar para lá ou você pode ficar aqui e tentar ser adotado como essas crianças.
- Eu quero… Ir para Londres. - disse o menino. Era melhor estar com sua família do que com desconhecidos, sua mãe também iria preferir isso.
- Hoje mesmo eu ligarei para os Black residentes de Londres. Já conhecei Harry e Abigail Black?
- Meu avó falou algo sobre eles, mas nunca os conheci. - respondeu Graham.
- Tudo bem. Amanhã lhe direi o que eles disseram.

Aeroporto de Londres, Londres - Inglaterra, 1997.

- Eu falei com Abigail, ela e Harry estão felizes com a sua vinda e já estão todos a sua espera.
- Todos? - perguntou o garoto, curioso.
- Sim, Abigail e Harry tem quatro filhos. Logan, Katherine, Alexandra e Jasmine. Eles estão em casa para o Natal e adorarão conhecer você.
Graham assentiu, parecendo extremamente nervoso de repente. Se eles não gostassem dele, o mandariam de volta para o orfanato?

Largo Grimmauld, 12, Mansão Cinzenta, Londres - Inglaterra, 1997.

O nervosismo de Graham aumentou consideravelmente quando o táxi parou em frente a enorme mansão cinza. Se um dia o garoto achou que a casa dos seus avós era grande, nada se comparava a mansão a sua frente.
- Vamos? - Sra. Mason disse, sorrindo para o garoto.
Novamente ele assentiu, descendo do carro levando sua pequena mala consigo. A Sra. Mason também parecia surpresa com o tamanho da mansão a sua frente, porém logo se recompôs, sorrindo verdadeiramente para o menino. Ambos caminharam através da calçada, tomando cuidado para não escorrer na neve acumulada.
Subindo os três degraus, Sra. Mason tocou a campainha. Não tardou para a porta ser aberta e a figura de Abigail aparecer.
- Pois não? - falou a senhora.
- Sra. Black, sou Sarah Mason, a assistente social responsável por Graham Black, nos falamos pelo telefone.
- Ah, sim. Desculpe-me, a casa está uma bagunça, meus netos estão em casa para o Natal, mas entrem.
Graham viu o momento em que uma garotinha e um menino vieram correndo pelo corredor, passando por Abigail e correndo para fora, ambos vestidos com roupas para o frio.
- Abby, Ryan, tomem cuidado! O jantar será servido em breve. - gritou a Sra. Black para, segundos depois, o menino escorregar na neve e cair no chão - Ryan!
- Desculpe, vovó! - disse o menino, se levantando e correndo atrás da irmã.
- Entrem, por favor. - disse Abigail, sem deixar de olhar para os netos.
Timidamente, Graham seguiu a senhora para dentro da casa e se surpreendeu ainda mais com a magnitude do lugar. Talvez morar naquela casa teria suas vantagens. Eles chegaram em uma sala, aonde havia um senhor sentado em uma poltrona verde, próximo a lareira lendo o jornal, havia uma menina, mais ou menos da idade dos garotos que saíram da casa, ela estava concentrada em seu desenho e nem se virou ao notar os visitantes chegando.
- Harry, este é Graham, o seu primo.
O senhor tirou os olhos do jornal e sorriu ao ver o menino, levantando-se e caminhando até ele.
- É um prazer conhecer você, Graham. Seja bem vindo a nossa casa e sentimos muito por sua mãe.
- Obrigada, senhor. - respondeu o menino.
- Por favor, me chame de Harry.
- Esta é nossa neta, Louise. - disse Abigail, indicando a menina que desenhava sem prestar atenção nos outros - Lou, querida, este é Graham. Ele irá morar conosco a partir de agora.
Louise desviou os olhos do seu desenho para analisar o menino, assentiu e se virou para voltar ao seu trabalho. Graham pode ouvir os suspiros de Abigail e Harry, mas logo em seguida, a senhora continuou:
- Venha, querido. Irei lhe mostrar seu quarto antes de apresentar-lhe para o resto da família.
E ela lhe mostrou o resto da casa, mostrando em especial o quarto que arrumou para ele e o ajudou a instalar suas coisas.
- Sra. Black… - começou Graham - Obrigada por me aceitar em sua família.
Um sorriso surgiu nos lábios de Abigail, ao mesmo tempo em que ela olhava encantada para o menino.
- Ah, Graham. Você já faz parte da família desde que nasceu, querido. Prometo que farei tudo que estiver ao meu alcance para que você se sinta parte da família.
Graham sorriu, agradecendo a mulher. Queria se sentir em casa, fazer parte daquela família, tinha perdido sua mãe e agora poderia ter outra pessoa para cuidar de si.
- Vamos descer antes que Katherine ponha fogo na casa.
O menino riu, seguindo a mulher para fora do quarto em direção ao andar de baixo, aonde lhe foi indicado que era a cozinha.
- Katherine, Jasmine. Esse é o famoso Graham.
Katherine e Jasmine, que estavam ocupadas cuidando do jantar, se viraram sorrindo.
- Seja bem vindo, Graham. Mamãe estava ansiosa para sua chegada. Sou Katherine, mas você pode me chamar de Kath.
- E eu Jasmine, mas pode me chamar de Jas.
- Mamãe, o Ryan me empurrou! - Abby entrou na cozinha, coberta de neve e com um bico nos lábios.
- Mãe, você tinha que ter visto ela caindo. - murmurou Ryan, entrando atrás da irmã e rindo.
- Sério, Ry? Como foi? - perguntou Katherine, olhando para o filho.
- Katherine! - ralhou Abigail.
- O que? Deve ter sido engraçado. - defendeu-se.
Foi impossível para Graham segurar a risada, o que fez com que todos olhassem para ele.
- E essa foi a família na qual você se meteu, garoto. - brincou Jasmine, piscando para ele.
Por um lado, Graham estava feliz em fazer parte daquela família.
O Natal se passou e logo Katherine e seus filhos voltaram para Miami, aonde a jovem trabalhava como Bióloga Marinha. Graham então começou a passar um tempo considerável ao lado de Harry, que lhe apresentou melhor a Família Black, que era o grande orgulho do homem. Ele também lhe contou mais sobre a Mitologia Grega, contando o motivo da família ser tão poderosa e ser praticamente a fundadora da grande Londres.
Com o passar dos anos, Graham passou a considerar Harry como seu pai, já que o senhor era o mais perto que o menino tinha chegado de uma figura paterna, considerava também Abigail como sua segunda mãe, já que a senhora cuidava dele do mesmo jeito que cuidava de suas filhas.
Eles lhe davam amor, carinho, lhe colocaram na mais conceituada escola de Londres e lhe apoiavam sempre que Graham se metia em confusões. O que acontecia com certa frequência. Não foi difícil para o casal saber que Graham era filho de um deus, muito menos que se tratava de Ares.
Os Black chegaram a contar ao garoto isso e lhe contaram também sobre o Acampamento Meio-Sangue, mas ele se recusou a ir, lembrando-se das palavras de sua mãe. Ele não queria ser um orgulho para o seu pai, não do homem que lhe virara as costas a vida inteira.
Ele deveria ser um orgulho para Abigail e Harry, que cuidavam dele como se ele realmente fosse seu próprio filho e faziam de tudo para que o menino se sentisse bem.
Aos dezoito anos, Graham saiu de casa para ingressar em Cambridge. Com o auxílio de de Harry, o jovem foi aceito na faculdade para cursar História. Após passar tanto tempo o Black, Graham acabou compartilhando os mesmos gostos que o pai de coração.
Na faculdade o jovem se mostrava esforçado e estudioso, por vezes o destaque da turma. Tinha alguns amigos e alguns breves relacionamentos, afinal, não queria se prender a ninguém nessa fase da vida.
Dois anos depois, Harry o ligou, informando que Abigail estava muito doente e que tinha medo que sua esposa fosse falecer. Por causa disso, Graham fez as malas e voltou imediatamente para Londres.

Largo Grimmauld, 12, Mansão Cinzenta, Londres - Inglaterra, 2007.

- Pronto, senhor. - o taxista falou, parando o carro.
- Obrigada. - Graham pagou o motorista e desceu do taxi.
Em passos rápidos, chegou a porta, tocando a  companhia e esperando alguém vir atender. Ouviu passos apressados do outro lado e a porta foi aberta por uma garota loira, que parecia ser alguns anos mais nova que ele.
- Hum… Olá? - murmurou a garota.
- Harry está?
- Claro… Vô, tem um homem aqui na porta. - gritou.
- Deixe-o o entrar.
Graham viu a garota arquear as sobrancelhas e dar de ombros, dando espaço para ele entrar. Rapidamente, o jovem rumou em direção a sala, aonde presumiu que Harry estaria. Assim que o senhor viu o rapaz, sorriu, se levantando e o abraçando.
- Graham! Você não deveria ter vindo.
- Claro que deveria. Como ela está?
- Estamos tentando curá-la. - para a surpresa do semideus, quem respondeu foi a garota que atendeu a porta.
- Curá-la… Você é médica?
A garota riu, trocando um olhar com o avô, que assentiu.
- Eu e meu irmão somos algo como Curandeiros de Apolo, não é esse o termo, mas temos poderes que podem ajudá-la.
Um garoto desceu as escadas correndo.
- Está na hora.
A loira assentiu e subiu as escadas atrás do menino.
- Quem são? - Graham perguntou.
- Abby e Ryan. - respondeu Harry - Eles voltaram para casa.
O filho de Ares arqueeou as sobrancelhas, lembrava-se da temporada em que Katherine ficou com os pais, por causa que Ryan e Abby tinham fugido de casa, sem mais nem menos.
- Eu vou ver Abigail, algum problema?
- Nenhum, só cuidado para Abby não te expulsar do quarto a espadadas.
O jovem riu, subindo as escadas. Uma vez no segundo andar, rumou em direção a primeira porta do corredor a esquerda. O quarto de Abigail e Harry.
A porta estava aberta e Abigail estava deitada na cama, adormecida enquanto Abby e Ryan estavam cada um do seu lado, cada um segurando uma das mãos da avô, cantando uma música que Graham não reconheceu.
O rapaz ficou observando os gêmeos cuidando da avó, até que ambos pararam de cantar e Abby sussurou algo para Ryan, tocando na testa de Abigail.
- Mais um pouco ela estará totalmente curada. - sussurrou a menina - Mas não dê esperanças a eles, o veneno é forte. Se Louise estivesse aqui…
- Eu posso ir atrás dela.
- Não, Ry. É melhor deixar assim. A gente vai conseguir salvar a vovó.
Ryan assentiu e saiu do quarto, franzindo o cenho para Graham. Assim que o filho de Poseidon saiu, o jovem entrou, sentando-se na beirada da cama e segurando a mão de Abigail, enquanto Abby andava de um lado para outro do quarto, arrumando o lugar.
- Ela vai ficar bem? - Graham perguntou a garota.
- Eu sei que você estava ouvindo o que eu falei ao Ryan. - respondeu.
- Ok, você me pegou.
Abby se virou sorrindo para o garoto e rumou para fora do quarto.
- Feche a porta quando sair, o barulho não faz bem a ela.

[size=18.18181800842285]↭↭↭[/size]

- Como é o Acampamento? - Graham perguntou, acariciando o rosto de Abby.
- É legal. - afirmou a filha de Poseidon, sorrindo - Talvez você gostasse de lá. Poderia voltar comigo.
Graham franziu o cenho, fitando a garota Black com curiosidade.
- Você vai voltar para lá?
- Claro, Graham, eu não posso ficar aqui.
- Claro que pode. A Mansão é protegida, seu avô me contou isso.
- E vamos assumir o nosso relacionamento? Nós somos primos, Graham, você foi criado praticamente como meu tio.
- Somos parentes distantes, Abby. Tecnicamente, nosso parentesco nem conta.
- Eu te amo, Gram, mas eu realmente tenho que voltar para o Acampamento. Lá é minha casa.
- Não. Sua casa é aqui, com seus avós, sua mãe e seu irmão. Não em um Acampamento, tendo que lutar e sair em missões suicidas.
- Sinto muito. - respondeu a garota, se levantando.

[size=18.18181800842285]↭↭↭[/size]
Três dias depois, Abby e Ryan estavam prontos para voltar ao Acampamento. Katherine, Abigail, Harry e Graham tinham ido levar os dois para o Aeroporto e agora eles estavam se despedindo.
- Nada de missões suícidas. - disse Katherine.
- Assim você acaba com a graça de ser um semideus, mãe. - murmurou Abby, revirando os olhos.
- Mãe, qualquer coisa eu salvo a sardinha aqui. - afirmou Ryan.
Era óbvio que todos ali sentiriam a falta dos gêmeos, os dois eram a alegria daquela casa. Mas para Graham as coisas eram diferentes, no pouco tempo em que conviveu com a filha de Poseidon, foi impossível não se fascinar pela garota, assim como não se apaixonar por ela.
Cada um dos presentes se despediu dos gêmeos, Graham ficou por último. Despediu-se de Ryan com um abraço simples e posicionou-se em frente a Abby, sem saber como agir. A relação dos dois era um segredo para o resto da família.
- Se cuide. - murmurou a garota - Eu amo você.
Graham apenas assentiu e retribui o abraço da garota. Acompanhou a garota sumir entre as pessoas do portão de embarque até ela entrar no avião.

[size=18.18181800842285]↭↭↭[/size]
Depois do dia no Aeroporto, Graham decidiu largar a faculdade e viajar pelo mundo. Começando pela Grécia. Gostou tanto do lugar que permaneceu lá por cerca de 5 anos, matando contato frequente com seus pais de consideração.
Por fim, sentiu saudade de casa e resolveu voltar. A Mansão Cinzenta permanecia a mesma, bem cuidada como sempre, agora Katherine morava com seus pais, que já estavam com uma idade avançada. Abigail e Henry estavam felizes em ter Graham em casa de novo e ele também estava feliz por ter voltado.
- Quando você buscar a Megan, Katherine, não esqueça de pedir para Abby trazer a espada para que eu a analise. - disse Harry.
- Pode deixar, pai. Combinei com Abby que buscaria a Meg nessa semana ainda. Logo a casa dela e de Ryan ficará pronta e ela se mudará permanentemente para lá.
- Megan? - perguntou Graham.
Katherine sorriu orgulhosa, buscando o porta retrato em cima da lareira.
- Abby teve uma filha. A pequena Megan.
O filho de Ares analisou a foto atentamente, observando a linda menina sorrindo para a câmera. Ninguém poderia negar, a menina era a cara de Abigail, exceto pelos olhos.
- Quantos anos essa menina tem? - Graham perguntou, ligando os fatos.
- Fará seis anos em breve.
- E o pai?
- Abby se recusa a dizer.
No mesmo dia, Graham juntou suas coisas e partiu para New York. Precisava conversar com Abby seriamente.
E um Black!
THE RAVEN@ CG!
avatar
Graham D. Black
Filhos de Ares
Filhos de Ares

Mensagens : 4
Data de inscrição : 02/03/2014

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Samantha D. Máximos em Dom Mar 02, 2014 8:38 pm


Reclamação
Nome: Samantha D. Máximos
Idade: 15
Local de Nascimento: Reino Unido
Progenitor Primordial: Apolo
Progenitor Mortal: Desconhecido

Características Psicológicas :

Sam é uma garota não tão feliz, é uma menina diferente, pelo fato de não ter um relacionamento familiar com sua irmã e também por não conhecer sua mãe, Sua irmã sempre foi muito ausente em sua vida e sua mãe sumiu quando a mesma nasceu, a menina é uma pessoa completamente social, conhece todos de sua rua e é muito legal com tudo e todos, tem habilidades que até a mesma desconhece.

Características Físicas:

A pequena Sam, é literalmente pequena, atualmente em seus 15 anos aparenta ter cerca de 13 ou 14, a garota é muito bonita e seus cabelos loiros realçam seus olhos belos e suas vermelhas madeixas, a garota é super "ligada" na atual moda e é super inovadora na sua própria moda, ela se considera uma estilista e é muito caprichosa em tudo oque faz, ela ama muito a irmã e se inspira na mesma, além da mesma não ser muito presente em sua vida.

Conte-nos sua História:

26 de dezembro de 1999, um nascimento inesperado que já era esperado, uma garotinha iria nascer de uma mulher solteira, que nunca teve um namoro fixo, todos esperavam isto porque já havia acontecido o mesmo com Soph, a irmã mais velha de Sam, só que com a menor a história era mais complicada, a mãe das duas sumiu após ter Sam, e a pequena ficou nas mãos de sua irmã mais velha, porém a mesma vivia viajando e a menina passou a maior parte da vida com sua Avó, quando cresceu se tornou uma aluna exemplar e nota A na escola que frequentava.
☾ ☾ ☾
Porém, a garota odiava estudar e nunca descobriu o motivo de tirar notas tão boas, os alunos questionavam as notas da mesma pelo período que ela estudava, porque já que estudava de manhã todos achavam que a mesma estudava no horário da tarde, e isto não era verdade, a menina simplesmente não estudava nada, mas em sua prova tirava A ou A+, já foi chamada centenas de vezes pela diretora onde era questionada sobre suas provas, já foi acusada de pesca e de cola, porém a garota não pescava nem mesmo colava, era apenas invenção dos alunos que queriam rebaixar Sam de todo modo, a garota fez história naquela história, não só por tirar notas boas, mas por iniciar o primeiro ano do ensino médio com 13 anos de idade, a garota iniciou a escola com 2 anos e ainda pulou o maternal, porém nunca gostava de sair no jornal de escola e nem de ser chamada de nerd ou "orgulho da escola" por todos.
☾ ☾ ☾
A garota era nerd, porém era bonita, mas por ser muito inteligente os garotos tinham muito medo dela e de serem chamados de namorado da "Salamanta", era um apelido ridículo que davam para ela, a garota chorava e entrava em prantos quando á humilhavam, certo dia, um dia como todos os outros, o colega do lado de Sam começou a jogar bolinhas de papel na mesma, a garota ficou morrendo de raiva, e suas mãos e madeixas estavam avermelhadas de tanta força e raiva que havia juntado, com um reflexo muito bom agarrou uma das bolas de papel, a mesma pegou fogo, Sam se assustou e jogando a bola no chão saiu correndo da sala de aula. A respiração da garota aumentava, parecia estar sendo perseguida por uma garota, a mesma usava uma blusa vinho e parecia com sua avó, Sam sabia que conhecia a garota porém continuou correndo, estava com medo e logo conseguiu se esconder em um beco, despistando a garota que a perseguia.
☾ ☾ ☾
No Dia seguinte Sam fingiu que foi para a escola, porém só ficou nos arredores da mesma, estava com vergonha, não sabia oque foi aquela raiva imensa e porque aquela bola de papel havia queimado, a garota ficou horas e horas dando voltas no pequeno lago que ficava ao lado da escola pensando e pensando sobre oque era capaz de fazer, assim que se deu conta de passos que a acompanhava, olhou para traz e viu a mesma menina do dia anterior
logo Sam se apavorou e saiu correndo e olhando para trás, e logo foi parada, não por alguem, e sim por um galho que estava logo á sua frente, a garota ficou ao lado de Sam e logo começou a falar com a mesma
-Oi Sammy! - A garota falou
-Oi, quem é você, eu não fiz nada!- Sam disse com medo
-Sou sua irmã abestada! Se levanta!
Sam logo se levantou abraçando Soph e dizendo
-Porque veio me visitar, sua viajem acabou?-
-Não bobinha, eu fui te buscar na escola ontem para irmos á um lugar especial, mas logo vi você correndo da sala e um piso de madeira pegando fogo!
-Eu não acredito! Pegou fogo?! Soph, coisas estranhas tão acontecendo comigo!-
-É , você é filha de uma pessoa muito importante que deixou esses dons para você, assim como meu pai deixou para mim!
-Filha de quem? Você também pega fogo?- Sam disse um pouco confusa
-Você descobrirá, e não, eu não pego fogo, só posso te dizer que nado muito bem! Agora vem comigo, Táxi!- Soph falou pegando o primeiro táxi que vinha em sua direção.
☾ ☾ ☾
O táxi seguiu estrada a fora parando em meio a estrada onde Sam desceu junto a sua irmã, logo elas entraram em meio a uma floresta, entrando em meio á uma placa que dizia em uma outra língua, que estranhamente eu podia entender, Acampamento Meio Sangue, Seguiram até chegarmos em meio a uma concentração de jovens que se misturavam á estranhos mutantes, Logo soph me puxou dizendo
-Agora pode ir só, vai direto, procure o chalé de Apolo, tenho que ir para o de Poseidon!
-Como assim Soph? Apolo? Poseidon?- Sam disse estranhando a conversa
-Sim abestada! Ainda não entendeu? Tu é filha de Apolo, e eu sou de Poseidon, isso é tão difícil?-
Soph falou deixando Samantha só em meio a multidão, a garota acabara de descobrir que sua vida havia mudado, e que não era nada como ela imaginava! Era um início para uma nova era na vida de Sam, filha do deus do Sol!

The Sun is my Life
avatar
Samantha D. Máximos
Filhos de Apolo
Filhos de Apolo

Mensagens : 4
Data de inscrição : 02/03/2014
Idade : 17

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Convidado em Dom Mar 02, 2014 8:52 pm

Samantha,
sua ficha está boa. Notei alguns erros, alguns comuns, outros não. Algumas trocas de palavras, porém o que foi mais frequente foi a repetição de palavras. Apesar disso, não vejo motivos para reprovar sua ficha.
Seja bem vinda, filha de Apolo.
APROVADA.
☪ Atualizado por Nyx.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Tártaro em Ter Mar 04, 2014 10:34 am

AVALIANDO A FICHA DE GRAHAN D. BLACK

Tirando alguns breves erros está tudo muito bom.

Você escreve bem, é um dos dons perceptíveis em você, mas "tome cuidado para não pintar o sol de azul". Filhos de Ares são mais raivosos em impulsivos, seu personagem é melancólico e 'meio nerd'.

A história de inicio me parecia que caminharia para um poço de drama sem fim, mas ao meio, quando Abby volta, mais velha, para cuidar de sua avó, as coisas começam a ficar mais intensas e pode-se perceber de cara o tom de romance.

No final não foi diferente, caminhou para um clímax intenso e  terminou com um gosto de quero mais. Parabéns, filho de Ares, aprovado.

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

Não procure monstros... o pior deles está no espelho.

[img][/img]
avatar
Tártaro
Deuses Primordiais
Deuses Primordiais

Mensagens : 57
Data de inscrição : 22/12/2013

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Candice Máximos em Ter Mar 04, 2014 4:28 pm

E uma Máximos se revela...

--- Dados Básicos ---


Nome: Candice (Angeline) Máximos.

Idade: 17 anos.

Local de Nascimento: Manchester, Inglaterra - Reino Unido.

Progenitor Primordial: Melinoe.

Progenitor Mortal: Nathaniel Máximos.



--- Dados Avaliativos ---


Características Psicológicas: Podemos dizer que a nossa jovem Candice é uma das poucas garotas que você ira encontrar que  prefere observar e escutar os outros em vez de passar horas e horas tagarelando sobre assuntos alheios, ficará um tanto apreensivo em sua presença por conta do “vazio” que transparece e até mesmo assustado com a seriedade que trata as coisas que lhe cerca. Diremos também que a pequena trás em si o temperamento forte de seu pai além de um senso de humor deplorável que é capaz de afastar de si até mesmo os mais brincalhões que não se importam em serem completamente ignorados. Apesar disso tudo, a jovem garota trás escondido no fundo de seus coração um tanto gelado um pouco de bondade e compaixão, mas que raramente é capaz de se manifestar aos que tentam lhe chamar atenção ou até lhe “conquistar”.
Você irá se surpreender com a capacidade de explorar  os outros ao máximo que Candice tem além de orar para que a mesma vá com sua “cara”  pois desde muito nova essa menina aprendeu a não se deixar para trás e estar sempre em primeiro, talvez possamos qualificar  isso com orgulho, ambição ou até mesmo como o nosso conhecido espirito de liderança.


Características Físicas: Se pararmos para avaliar o porte físico de Candice seremos obrigados a dizer que a garota é dona de um corpo que pode e vai ser considerado por muito como pequeno,porém, vale ressaltar que isso não lhe impossibilitou  de se manter em forma. ter os músculos em seus devidos lugares e um tanto definidos para alguém de sua idade, isso acaba por fazer que mesmo sendo pequena seja considerada alguém muito bonita.  Diferente de sua irmã mais nova ( Sarah) é dona de belíssimos cabelos loiros e olhos verdes de dar inveja em qualquer um que foram ambos herdados de Nathaniel, seu pai. Seu riso raramente se faz presente, mas as poucas vezes que iremos vê-lo podemos considerar que seus dentes bem alinhados e de um branco cegante dão forma em um sorriso encantador que é completado por lábios avermelhados que são capazes de fazer qualquer homem sentir vontade de toca-los, mas  vou aconselhar a vós que nem mesmo sonhe em tentar fazer tal ato pois com toda a certeza existente irá acabar com alguns membros quebrados ou com parte da boca arrancada sem dó e muito menos piedade.


Conte-nos sua História:  Nathaniel se sentia estranho, suas mãos soavam mais do que de costume, suas pernas pela primeira vez em toda sua vida entediante estavam bambas enquanto seu coração não lhe obedecia e insistia em bater cada vez mais forte enquanto observava a alguns metros de distância as passadas graciosas em um ritmo mágico de dança daquela mulher que nunca havia visto antes, não sabia explicar o motivo de estar daquele jeito e nem mesmo se preocupou em descobrir pois instantes depois se viu caminhando lentamente em direção da tal mulher magnifica. Será que podemos considerar isso como um daqueles raros casos de amor a primeira vista ou se tratava de algum encantamento desconhecido? Bom, isso nem mesmo chegou a passar por sua mente que se encontrava povoada penas pelas imagens daquela mulher dançando graciosamente.
Ele parou a alguns passos de distancia da mulher que agora parecia ainda mais bela sob a luz do luar,mas não se tratava de uma beleza comum pois sua pele era de uma palidez impressionante enquanto seus cabelos compridos eram negros e brilhantes trazendo um imenso destaque para seu rosto, olhos azuis do homem encontraram de maneira rápida o caminho que levava até as grande bolas negras quase sem vida que eramos olhos da mulher  e como em um passe de mágica um sorriso bobo surgiu em seus lábios revelando seu sorriso branco  enquanto um simples “Que bela noite faz hoje” escapavam de seus lábios, a mulher nada respondera e apenas encarava Nathaniel talvez não acreditava da situação em que se encontrava mas aos poucos fora mudando sua expressão de seriedade para algo mais amigável que fazia com que o coração do pobre homem batesse ainda mais forte... Bem, essa fora a noite em que Nathaniel Máximos encontrara a mulher de sua “vida” pela primeira vez.
Meses foram se passando e o jovem rapaz continuava a encontrar com a tal mulher todas as noites no mesmo horário, a cada momento que  se passava sua paixão por ela aumentava mais e mais tornando algo grandioso e admirável,os dias foram se passando e o inevitável acontecera, noites de amor inesquecíveis até que a notícia da primeira gravidez veio atona como uma bomba. O homem se sentia completo e não se importava com o passado desconhecido de sua mulher que desde que a conhecera se apresentava apenas como "Mel".

A pequena Candice veio ao mundo em uma noite fria e silenciosa onde apenas os uivos de lobos eram escutados com clareza, uma garotinha de lindos cabelos loiros e olhos azuis como os do pai, a pele pálida era a única característica que ligava a mesma com sua mãe. Era uma bebê linda apesar de que diferente da maioria dos outros bebês se tratava de uma criança um tanto quieta que raramente abria a boca para chorar pois apenas um deuses olhares já eram suficiente para dizer o que queria...


☽●☾


- Ei Nath, adivinha a noticia que tenho para você - "Mel" estava com um sorriso quase invisível em seu rosto pálido enquanto Nathaniel se ajeitava na poltrona da casa no bosque onde estavam vivendo a quase uma ano, a pequena Candice vinha embalada em sono profundo nos braços da mãe – Candy vai ganhar uma irmãzinha querido.

Nathaniel sentiu o corpo estremecer ao receber a noticia, mal dava conta de cuidar de Candice nos momentos em que a esposa sumia e agora teria de lidar com mais uma criança, não sabia dizer como seria seus próximos dias e muito menos com iria passar por aquela situação. Ficou em silêncio, massageou as têmporas com força e logo depois a mulher lhe entregou a primeira filha ainda com o mesmo sorriso, o homem elevou o olhar de encontro ao da esposa como se transportasse seus pensamentos para ela por aquela linha imaginária que se criara fazendo com que a mulher desfizesse o sorriso e tomasse sua face sombria:

- Você vai sobreviver Nathaniel, você é um Máximos – A mulher andou de um lado para o outros com os cabelos negros bailando no ar na altura de sua cintura – Eu conheço sua família muito bem, a anos eu venho observando vocês e sabe disso.

- Melinoe, você acha que é fácil pra mim saber que logo terá de partir definitivamente? – O homem se levantou ainda com a criança no colo, ele encarou seu rosto pálido e acaricio seus cabelos loiros por um tempo  - Como acha que vou cuidar de duas crianças sozinho? Não serei capaz de proteger as duas.

- Querido, não é por que não estarei aqui fisicamente presente que deixarei de estar com elas – Melinoe suspirou alto e se deixou caír na poltrona aonde o “marido” momentos antes ocupava – Lamento Nath, mas realmente não posso ficar e você já esta cansado de saber disso. Pela primeira vez eu desejava poder ficar, mas não é assim que as coisas são.

Ela se levantou e abraçou a cintura de Nathaniel, ficou ali por um tempo, mas logo desapareceu como se fosse um “fantasma”. Muito irônico usar tal comparação para a deusa dos Fantasmas...

Os anos se passaram, Nathaniel Máximos recebeu a segunda filha assim que a mesma veio ao mundo, se viu obrigado a educar e cuidar das meninas sozinho, em algumas poucas vezes contava com a ajuda de seus pais, mas todos os dias mantinha a esperança viva de que a mãe de suas filhas ainda poderia voltar a viver com eles até que começou a acreditar que aquilo jamais iria acontecer.


☽●☾

Candice estava sentada lendo um livro qualquer enquanto Sarah tagarelava com Rosie sem parar, em poucos momentos a irmã dirigia alguma especie de palavra para Candy que sempre lhe devolvia com resposta o mesmo olhar sério e calado que faria qualquer um sentir sérios calafrios. Bom, qualquer um que não fosse a pequena e sorridente Sarah que igual a mãe tinha lindos cabelos  e olhos negros encantadores, Sarah não costumava permitir que a irmã ficasse quieta enquanto estavam sozinhas, mas não se aventurava a provoca-la ou até mesmo lhe chamar a atenção enquanto estavam na presença de outros familiares. Horas se passaram até que Rosie deixou a casa das primas se despedindo com um aceno simples para as duas e sumindo pela estrada que dava acesso a casa onde moravam.
Sarah não perdeu tempo e assim que a prima sumiu tratou de tomar o livro da irmã e sair correndo com a intensão fazer com que a loira ao menos se levantasse daquele quarto e se exercitasse um pouco,mas por seu desgosto a menina nem mesmo se mexeu e continuou sentada, porém, colocara seus velhos fones de ouvido para não ser obrigada a escutar Sarah gritando " CANDICE VENHA ME PEGAR!" ou " CANDY VOU RASGAR COMPLETAMENTE O SEU EXEMPLAR", enquanto escutava Beatles e fechava seus olhos conseguia se perder em pensamentos que sempre lhe levava a uma imagem de uma mulher que imaginava ser sua mãe, ela sempre vestia túnicas escuras que esvoaçavam ao vento de algum lugar que até então não conseguia distinguir enquanto lhe abria os braços de maneira acolhedora... Talvez Candice sabia o que sua mãe era, ou talvez não, mas isso seria resolvido a alguns meses quando se veria sendo mandada em direção ao Camp Meio-Sangue contra sua própria vontade. Agora apenas lhe faço uma simples pergunta meu caro leitor, o que o "destino" reserva para nossa pequena Candice?

☽●☾
avatar
Candice Máximos
Filhos de Melinoe
Filhos de Melinoe

Mensagens : 4
Data de inscrição : 02/03/2014
Idade : 21

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Ex-Staff07 em Ter Mar 04, 2014 5:03 pm

Aprovada.

Alguns pequenos erros de palavras e colocações, mas nada grave.
Parabéns. Bem vinda a seu novo lar, prole de Melinoe
Atualizado! {Poseidon}

Ex-Staff07
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 16
Data de inscrição : 04/03/2014

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
0/0  (0/0)
HP:
0/0  (0/0)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Sarah Máximos em Qui Mar 06, 2014 5:53 pm


Reclamação
Nome: Sarah Bennett Máximos
Idade: 16
Local de Nascimento: Machester, Inglaterra- Reino Unido
Progenitor Primordial: Melinoe
Progenitor Mortal: Nathaniel Máximos

Características Psicológicas:
Sarah é mais nova das irmãs, feliz em todos os casos, é uma garota meiga e fofa, tendo um carisma impecável, de todas as formas é totalmente fofa, é uma menina de ouro e com psicologia de uma mulher adulta, aos seus 16 anos, é uma menina não tão psicótica, porque claro, tem alguns problemas como sua dislexia, mas a mesma é pouca não impedindo a garota de nada.
***



Características Físicas:
Sarah atualmente tem seus cabelos Vermelho, resultados de uma coloração, a cor dos cabelos de Sah é Preta, assim como seus olhos que possuem a mesma coloração, Sáh tem características similares ás de sua mãe, a garota adora moda e investir em visuais novos e criar uma nova moda é seu forte,  a garota é sua própria estilista e suas roupas são criadas pela mesma.
***



Conte-nos sua História :

Um casal, Nath e Mel, eram estes os apelidos, Nath de Nathaniel e Mel, ninguém sabia o seu nome verdadeiro, porém sempre era chamada e conhecida por apenas "Mel", a mesma teve uma primeira filha com Nath e a mesma se chamava Candice, logo em seguida outra filha, era a pequena Sarah, a garota era completamente fofa e bonita com seu carisma avassalador, era pouco diferente da mãe em características psicológicas, porém se assemelhava muito a seu pai. Sarah simplesmente amava sua irmã e se inspirava muito nela, a pequena adorava chamar atenção da garota, porém a mesma não dava atenção á pequena, Sarah, então, usava seu livre tempo para passar o dia na casa de amigas de escola, certa vez, em uma de suas saídas para a casa de uma amiga, Sarah viu um tipo de "áurea" de uma delas, a mesma era mal e queria fazer maldades com as amigas, Sarinha logo avisou á dona da casa que começou a ficar de olho na tal "garota do mal", a mulher descobriu que a jovem havia quebrado muitas coisas de sua casa ás escondidas para incriminar as outras crianças, as mães então, se tornaram melhores amigas de Sarah, ja que a pequena era muito sincera e carinhosa, elas adoravam conversar com a garota.
A menina era amiga de todos, dos velhinhos até os bebês, era uma garota de ouro, A garota passava tempos enormes com seu pai e irmã, porque as vezes surgiam compromissos para ela fazer, Sarah sempre quis descobrir oque eram os tais compromissos, mas a mãe sempre voltava e tudo ficava bem.
Sarah cresceu e sua curiosidade para saber seu futuro era imensa, porém sabia que alguma coisa estava escondida em seu passado e em sua vida, sua irmã á pouco tempo hávia viajado, todos disseram que era para um "acampamento estudantil", e é claro que Sarah não acreditou, a garota queria descobrir quem era, queria sair da vida melancólica e curtir, aproveitar e viver uma vida na qual tudo fosse revelado á ela. A menina era poderosa, ela sabia que era, não tinha provas, porém sentia o poder, sentia que era uma garota especial, ela era uma menina totalmente esperta, e tinha seus dons, e mesmo sabendo disso, daria qualquer coisa por sua familia, em especial por sua mãe, Mel, ou será que podemos dizer Melinoe?

Filha de Mel
avatar
Sarah Máximos
Filhos de Melinoe
Filhos de Melinoe

Mensagens : 3
Data de inscrição : 02/03/2014

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste de Reclamação - Olimpianos e Deuses Menores

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum