Problemas com as Náiades! - Missão para Liam W. Armstrong - One-Post

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Problemas com as Náiades! - Missão para Liam W. Armstrong - One-Post

Mensagem por Poseidon em Sab Dez 14, 2013 9:12 pm

Problemas com as Náiades!


Liam estava se preparando para ir aos Estábulos, quando foi interceptado por Quíron.
-Vamos dar uma volta rapaz?...

.........................................................................
Pontos obrigatórios:
1)Narre o momento em que foi interceptado por Quíron
2) Narre um diálogo entre você e Quíron, no qual ele diz que recebeu uma mensagem de uma náiade dizendo que a situação com suas "irmãs" estavam fora do controle;
3)Vá até Seattle, quando chegar lá arrume alguma forma de achar a náiade, será fácil já que é uma área urbana, logo terá poucos lagos, rios, etc.;
4) Descubra qual o problema das náiades; (Seja criativo)
5) Dê uma solução e volte para o acampamento; (Seja criativo)
.........................................................................
Dicas de postagem:
-Explore bastante os sentimentos do semideus;
-Use um corretor ortográfico ou Word para evitar erros gramaticais;
-Se precisar de ajuda com a missão mande MP;
.........................................................................
Regras:
-Prazo: 48 horas (Dois dias);
-Armas: Você poderá levar apenas 3 armas no máximo;
-Colocar armas levada no final do post em cód.. ou spoiler;
-Colocar os poderes usado no final do post em cód.. ou spoiler;
-Quando postar mande uma MP;


Boa sorte! Me surpreenda!
avatar
Poseidon
Deuses Maiores
Deuses Maiores

Mensagens : 236
Data de inscrição : 04/12/2013
Localização : No mar

Ficha do personagem
Level: Infinito
Energia:
99999999999999999/99999999999999999  (99999999999999999/99999999999999999)
HP:
99999999999999999/99999999999999999  (99999999999999999/99999999999999999)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Problemas com as Náiades! - Missão para Liam W. Armstrong - One-Post

Mensagem por Convidado em Seg Dez 16, 2013 6:14 pm

Caminhava sem dar atenção a nada, minhas mãos estava repousadas nos bolsos de minha calça jeans e na bolsa que eu carregava pendendo as costas estava um pouco de ração e algumas maçãs que peguei no refeitório para dar a minha pégaso, Blackberry. Um sátiro veio caminhando comigo e falando sobre os eventos do acampamento, informou sobre a tal reunião dos líderes do acampamento que ocorria dia após dia para resolver como se defender dos problemas, dizem até que um novo inimigo se ergueu contra nós, semideuses, mas isso ainda não fora passado para todos, por isso ainda não refleti a fundo sobre isso.

De repente um corpo de equino parou logo na minha frente e do Simon, meu colega de pernas de bode. Fitei mais acima e pude ver o semblante rígido e um pouco frio de Quíron, sempre é assim que ele se comporta quando precisa falar algo importante. Por via das dúvidas retirei o saco com comida do meu mascote e disse:
- Simon, pode dar isso a Blackberry, precisarei selar o cavalo Senhor Quíron?
- Provavelmente.
- Vamos dar uma volta rapaz?...

Acompanhei as passadas largas do corpo equino do meu mestre, seu arco pendia em seu ombro e suas flechas balançavam a cada galope, continuei com minhas mãos paradas aos bolsos e tentando descobrir o motivo dessa caminhada sem motivo que nos levava em direção ao meu chalé, como se ele quisesse mostrar que eu teria que ir lá para alguma coisa.
- Algum problema Quíron?
- Recebi uma mensagem de Íris de Seatlle, de uma náiade.
- Não sabia que seres da natureza usavam esse meio de comunicação...
- Realmente não utilizam, mas a situação para estar urgente, ela apenas informou que alguma coisa estava incomodando o lugar dela e suas irmãs estavam sem condições de resolver, pode ajudar?
- Então terei que voar para o outro lado do país e ajudar num problema que nem sei qual é de uma náiade?
- Sim.
- Goste da ideia- Olhei o relógio e disse- São quase duas da tarde, talvez uma parada apenas para dormir e eu chegue ao lugar.
- Existe um hotel em Denver o qual é administrado por um semideus, seu nome é bem sugestivo, Demihotel. – Quíron me contou o endereço enquanto eu acenava com a cabeça dirigindo-me ao meu chalé.

Abri a porta e percebi o lugar vazio, dei um leve sorriso enquanto meus passos ecoavam pelo lugar, abri um armário de madeira trancando com um pequeno cadeado onde estavam minhas armas. Cuidadosamente vesti a armadura de ouro sobre meu corpo, usei um espelho para prender as tiras nas costas, conferi se minha espada estava no meu bolso em forma de caneta e sai do chalé pegando uma mochila já preparada por cima da mesa, ao lado de alguns livros, com roupa, um pouco de comida e dracmas.

Não demorei tanto a chegar aos estábulos, Blackberry vagarosamente se aproximou de mim, fiz um carinho em sua crina e agradeci ao meu amigo por me auxiliar nesse momento, montei em suas costas e bati de leve as rédeas contra seu pescoço o fazendo alçar voo. O tempo passava lento até que a noite caiu, depois disso as horas corriam mais rápido e quando deu dez horas nos sobrevoávamos o céu de Denver, baixamos um pouco a altitude para observas as ruas e quando vimos o outdoor do hotel Demihotel pousamos algumas quadras dali. Die umas maçãs a Blackberry enquanto dizia:
- Voei por ai e fique no lugar seguro, descanse e volte de manhã.

Sorri ao ver um cavalo de asas negras sair voando pelo céu escuro. Depois de atravessar algumas esquinas e um cara ficar me encarando provavelmente pela armadura, cheguei ao hotel, eu não iria retirar ainda aquela proteção, mesmo sendo estranho, era melhor ser louco do que morto. Bati num sino e um rapaz veio me atender, pude ver seus olhos castanhos claros fitarem meu corpo todo e antes de chegar eu já sabia o motivo:
- Você deve ser o dono por ter me analisado tanto. Quíron disse que havia um hotel de um semideus aqui, achei que poderia me hosperdar. Quanto custaria?
- Nada garoto, Quíron foi meu mestre, jamais cobraria de outro do acampamento, siga-me.

Subi as escadas até o segundo andar observando aquele rapaz, ele aceitou de tão bom grado me ceder um quarto e, além disso, olhava-me a todo o momento dos pés as cabeças. Chegamos ao quarto e ele disse que qualquer coisa era somente chamar, dei um sorriso e assim que ele fechou as porta fitei o lugar. Era um quarto confortável, o banheiro estava fechado, um único cômodo além do sanitário com uma cama, um espaço amplo e uma janela larga. Coloquei minha mochila perto da janela, olhei as estrelas e ainda suspeitava que aquela hospitalidade toda poderia ser uma armadilha, depois de viajar por quatro anos aprendi a não confiar muito em quem oferece coisas de graça. Usei meus poderes das sombras, a tatuagem em meu pescoço brilhou púrpura quando das sombras um demônio totalmente negro surgiu me encarando.
- Fique na porta, se alguém entrar o detenha. É uma ordem.

Ele bandeou a cabeça e se prostrou a porta, ainda sim dormi de armadura praticamente atento a qualquer coisa, deixei a janela aberta para ter um meio de fuga caso necessário e fechei os olhos. Consegui tirar um bom cochilo para o que eu estava preparado acontecesse, umas quatro da manhã uma empousa invadiu o quarto arrombando a porta seguida de um lestrigão e meu saudoso anfitrião protegido por uma armadura de bronze celestial. Meu guerreiro das sombras era bem ágil e assim que a serva de Hécate surgiu ele já cravou seu chifres em seus peito, foi destruído logo depois pelo soco do lestrigão, mas era um demônio fraco e era apenas um contratempo para que eu tivesse tempo de escapar.

Saltei da cama jogando a para cima quando uma esfera de bronze flamejante foi jogada contra mim. Um escudo mágico e dourado surgiu em meu pulso o usei para ver por cima da cama que o semideus se aproximava com a cobertura do lestrigão, rolei pelo chão saindo de trás da cama ficando perto da janela e percebi que uma foice de mão atravessou a cama com facilidade, ele tinha duas.  No momento meu corpo começou a agir sozinho, bolas de fogo vinham em minha direção, por isso convoquei um leve reforço de cinco clones de sombras que armados de espada e escudos enfrentaram o monstro. Usei meu escudo e defendi o primeiro arco do monstro e depois desviei quando a foice dele tentou me acertar no peito, ela cintilava num tom prata iluminado e envolto de luz, somente agora percebi que parecia uma lua minguante, ele deveria ser filho de Selene.

Saltei de lado ouvindo os ruídos do combate logo atrás entre meu esquadrão, ativei minha caneta dourada que virou uma arma mortal para qualquer um, principalmente traidores, mas o garoto manejava bem seu conjunto de foices, porém se desequilibrou no resto da cama que restava no chão e caiu, cravei minha espada em seu ombro e depois tomei uma de suas foices, sentindo poder da luz gélida. Bati com o cabo em seu rosto o fazendo desmaiar, dei um sorriso meio de vitória por estar certo da emboscada e libertei meus auxiliares. As duas foices se transformaram em pingente de lua, peguei aqueles itens e guardei na bolsa de fora da mochila e saltei de janela abrindo as asas de meu peitoral, logo amanheceria.

Não demorou muito que minha pégaso me achasse com o amanhecer tão próximo, fiz com que as asas de minha armadura se dobrassem e demos continuidade a nossa viagem. Voamos por algumas horas, mas não percebi quando sobrevoava o gélido ar de Seatlle, uma leve neblina cobria a luz solar e voamos o mais próximo possível da superfície, entre os prédios, para encontrar algum lago ou rio onde pudesse haver um núcleo de ninfas aquáticas. Depois de alguns minutos observei ao prolongar de um parque um lago a oeste coberto por uma névoa mais espessa ainda como se dela surgisse o resto, se bem que poderia ser verdade. Pousei antes de chegar à nuvem e deixei que Blackberry caminhasse um pouco para descansar.

O gramado não estava tão verde mesmo com a proximidade a umidade de água do lago, por isso já suspeitei que houvesse algum problema e quando observei marcas de folhas queimadas fiquei seriamente preocupado. Tomei minha caneta dourada nas mãos e escutei passos, pedi silêncio com os dedos, iria me proteger das névoa, porém além de minha visão ser praticamente imparável por fumaça a pessoa não parecia coordenada, fugia de um urro que surgia logo atrás e pelas passadas leves deveria ser um humano ou algo parecido, por isso guardei a caneta e me joguei contra o que se movia. Descobri que era ela.

Cai sobre o corpo mole de uma menina de traços tão delicados que se ela tivesse uma asa seria uma fada, olhos azuis como duas safras e cabelos castanhos claro, linda. Ajudei a levantar enquanto ela ainda queria correr, segurei seu braço firme e disse:
- Quíron recebeu uma mensagem de Íris e eu vim ajudar, o que está acontecendo?
- Graças aos deuses, um monstro horrível mata tudo que se aproxima do lago, venha por favor, minhas irmãs precisam de ajuda, estão encurraladas a algumas horas.

Segui a menina ainda curioso, minha montaria trotava logo atrás e quando névoa diminuiu descobri que um ser de duas cabeças estava causando problemas. O corpo era de um réptil enorme como um dragão, cabeças serpenteavam literalmente ao ar com dentes curvos de uma cabeça triangular de onde gotejava veneno. Ela estava com metade do corpo abaixo da água e mostrava força contra um grupo de meninas entre rochas, a Hidra parecia esperta o suficiente para não se meter nas pedras, mas também não deixaria que as náiades saíssem dali.
- Por que elas foram parar ali?
- Precisamos de água, mas a Hidra monopolizou nosso rio, acho que essa névoa particular que não permite muita luz a chamou atenção para ela querer morar aqui, só que não vivemos sem água. Elas foram para aquele grupo de rochas onde tem um pouco de água, porém o monstro percebeu, pode nos ajudar?
- Posso.

Dei um sorriso, quer dizer, forcei um sorriso enquanto eu corria pela lama da margem seguida da água, o terreno abaixo dos meus pés eram ladrilhos e pedras, então não era instável, dava para fazer algo. Sem perceber minha presença a Hidra morta uma vez por Hércules tentava um avanço pela água, mas saltei usando meus poderes para voar, mesma sabendo da habilidade incomum de duplicar as cabeças quando são cortadas eu precisei sacar minha espada e cravar em suas costas. Flutuei para longe quando ela chicoteou a cauda onde eu estivera alguns segundos, virou-se mostrando seus olhos penetrantes e lacrimejando pela aura venenosa me afastei, deveria evitar ficar perto.

Uma rápida lida em livros de mitologia e monstros te mostraria que se não cortasse as cabeças dela, a Hidra vira um dragão de duas cabeças pelo menos que se te morder praticamente você está morto, porém, não é tão ameaçadora de longe.  Outra característica e sua fraqueza ao fogo ou luminosidade, por isso a primeira coisa que fiz foi que a pouca luz que irradiava do Sol, porém bloqueada pela neblina se intensificasse incomodando visivelmente a minha inimiga. Ela então fez seu primeiro ataque projetando seu corpo para minha direção com certa velocidade não esperada, meu escudo surgiu em meus braços e defendi uma das cabeças dela e fiz a besteira, mesmo que por impulso, de descreve um arco rápido com minha lâmina dourada que decepou o dragão.

Observei meio que maravilhado pela regeneração rápida que ela teve, do lugar onde fora rompido o pesco duas cabeças surgiram repentinamente e já atacavam como se estivessem nascidas há tanto tempo, tive que ser rápido e hábil para desviar de tudo voando, dei mole e recebi uma cabeçada, mas Blackberry surgiu com seu corpo negro e montei nela me afastando, pensando em uma forma de lhe derrotar. Rodei seu corpo escamoso e percebi que teria que usar um pouco mais de energia para derrotar aquele ser.

Dei uma guinada na minha égua alada e conjurei chamas, senti a marca no meu pescoço brilhar quando usei os poderes ganhos de um tratado com Érebo, lancei o fogo que assim que tocou a pele do monstro inflamou e aumentou ainda mais, lancei bolas de luz que bombardearam com força aquele réptil enorme e usei mais chamas e luz, sempre com rápidas saídas e entradas em rasantes e guinadas poderosas de minha pégaso, por fim uma chama poderosa na cabeça que restava até que a Hidra estava derrotada em poeira e eu morto de cansaço na beira do lago, era como se eu tivesse perdido um pouco de mim na batalha.

Cai quase que desmaiando, mas senti leves mãos me levando para longe da água e me dando uma espécie de alga que comi, sentindo o gosto de grama misturado com lama, mas também um pouco mais de disposição. Olhei ao redor vendo as ninfas da água se aproximando aos poucos com sorrisos e olhares confortáveis, acenei para elas e disse:
- Acho que consegui arrumar o problema de vocês.
- Realmente semideus, vai ficar um pouco...

Observei o sorriso charmosos da náiade, eu sabia dessa fama de serem atraentes e sedutoras, mas eu tenho dono, pelo menos meu coração, levantei rapidamente caminhando para meu pégaso e montando mesmo que cansado, olhei par elas e antes que pudesse falar algo, uma delas tomou a dianteira:
- Voe por cima de Dakota do Norte, um bom vento está levando tudo para Nova York, fará sua viagem na metade do tempo, chegará ainda hoje em casa. Obrigado.
- De nada.

Com um sorriso alcei voo me afastando aos poucos do lago, fiz um cafuné na crina de Blackberry e mesmo nós dois cansados chegamos que quase meia noite ao acampamento, ela foi para seu estábulo e prometi um belo banho para ela amanhã. Eu passei na Casa Grande para avisar ao Quíron sobre minha bem sucedida missão, mas enquanto lhe esperava cai no sono no sofá confortável de sua sala, se quer voltei para meu chalé naquela noite...
arma encontrada:

Foices Luar: Duas foices de uma mão feitas de prata abençoada para ferir monstros, capazes de produzir uma energia derivada da lua que aumente o poder da lâmina, a deixando mais cortante e destrutiva.( Viram dois pingentes de lua)

habilidades:
Poder Soberano: Uma marca no pescoço do indivíduo que o concede usar os poderes dos filhos de Érebo.

•Exército das Sombras [Inicial] - O semideus é capaz de invocar 5 clones usando a escuridão, os clones estão armados com uma espada e escudo, e eles obedecem ao meu filho, podendo auxilia-los da maneira que quiserem.

• Demonio das Sombras [Inicial] - Pode invocar um pequeno demonio com 200HP, tem a forma de um diabo, com asas e garras e chifres, para ajuda-lo em batalha.
Nível 7
Voo perfeito: Você pode voar mais não apenas isso, você voa até a camada superior ao céu pode chegar assim ao olimpo mas cuidado se aparecer por lá sem ser convidado os deuses podem puni-lo.
Nível 10
Photocinese II: Agora você controla qualquer luz e pode aumenta-la no tamanho e calor desejado.
Level 08:Elementos

Fogo: Controlamos os Vácuos, podendo criar um, e tambem desfazer. Voce agora tem a habilidade de criar gases, e usando esses gases voce cria o fogo, e pode controlá-lo com perfeição, criando ataques e defesas usando o elemento.
Nível 2
Bolas de luz: Você cria 4 bolas de luz e é capaz de lança-las

Código:
☼ Armadura da Luz Celestial: uma armadura dourada com asas da mesma cor em suas costas. Quando utilizada tem seu peso totalmente anulado, permitindo assim o uso de agilidade. As asas sofrem influência da mente do dono.[Opcional]

Espada do Devoto: espada de ouro imperial mortal para monstros e humanos. Vira uma caneta dourada.[Obrigatório]

Escudo da Rainha: um escudo de ouro espelhado quase indestrutível, influencia o adversário a tal ponto que faz o mesmo ficar relutante em atacar. Aparece quando necessário.[Obrigatório]

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Problemas com as Náiades! - Missão para Liam W. Armstrong - One-Post

Mensagem por Poseidon em Seg Dez 16, 2013 11:03 pm

Problemas com as Náiades! Avaliação!


Avaliação:
Você narra bem, entende dos temas da missão, sabe escrever a missão mesmo que não tenha pontos obrigatórios totalmente definidos.
Achei muito legal a leitura do seu post, porem faltou um clímax na missão. Foi longe de ser entediante, só que não teve um momento eletrizante.
Houve alguns erros ortográficos, principalmente em relação à troca de letras. Houve também falta de vírgulas em momentos que eram importantes, como: "- Simon, pode dar isso a Blackberry, precisarei selar o cavalo Senhor Quíron?" , quando o certo seria: -...., precisarei selar o cavalo, senhor Quíron?" . Pois sem a vírgula deu a entender que você selaria Quíron.
No mais foi uma boa missão. Você merece parabéns!

Níveis: 4
Dracmas: 2100
Força: 17
Técnica: 16
Inteligência: 14
Velocidade: 17
Itens:  Como você encontrou um item não irá ganhar outro, sendo assim, aí esta o item> Foices Luar: Duas foices de uma mão feitas de prata abençoada para ferir monstros, capazes de produzir uma energia derivada da lua que aumente o poder da lâmina, a deixando mais cortante e destrutiva.( Viram dois pingentes de lua)



Aguardando atualização!

------------------------------------- PercyJackson -------------------------------------

credits @
avatar
Poseidon
Deuses Maiores
Deuses Maiores

Mensagens : 236
Data de inscrição : 04/12/2013
Localização : No mar

Ficha do personagem
Level: Infinito
Energia:
99999999999999999/99999999999999999  (99999999999999999/99999999999999999)
HP:
99999999999999999/99999999999999999  (99999999999999999/99999999999999999)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Problemas com as Náiades! - Missão para Liam W. Armstrong - One-Post

Mensagem por Ex-Staff02 em Ter Dez 17, 2013 10:51 am

ATUALIZADO

Ex-Staff02
Indefinidos
Indefinidos

Mensagens : 116
Data de inscrição : 13/11/2013

Ficha do personagem
Level: 1
Energia:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Problemas com as Náiades! - Missão para Liam W. Armstrong - One-Post

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum